COBERTURA ESPECIAL - Notas Estratégicas BR - Geopolítica

25 de Fevereiro, 2022 - 14:20 ( Brasília )

Notas Estratégicas BR - Ucrânia -- Diferente da posição do presidente os militares brasileiros apoiam a Ucrânia


 

Notas Estratégicas de 25 Fevereiro 2022

EB Notas Estratégicas - A escolha do futuro Ministro da Defesa, que sucederá ao Gen Braga Netto é estratégica para a reeleição de Bolsonaro


Notas Estratégicas BR - Ucrânia -- Diferente da posição do presidente os militares brasileiros apoiam a Ucrânia


EB Notas Estratégicas - VBC Cav e as Lições Operacionais da Ucrânia


O Editor





Ucrânia -- Diferente da posição do presidente os militares brasileiros apoiam a Ucrânia


Nelson During
Editor-chefe DefesaNet


1)  Ucrânia - O assunto mais Discutido

O assunto mais discutido entre as lideranças militares brasileiras foi a invasão russa da Ucrânia.  Os generais classificaram como absurda violação territorial de um país soberano por outro.

Nas conversas os militares brasileiros manifestam forte oposição a ação militar russa que desrespeita a lei internacional. Um general disse que a posição da diplomacia brasileira precisa ser firme, pois uma ação do tipo pode vir a ser usada contra o Brasil no futuro.

O militar lembrou as palavras do Vice-Presidente Hamilton Mourão. Se um dos povos indígenas que vivem na fronteira da Amazônia declarar independência e for reconhecido por uma potência estrangeira, poderemos ter que lutar para reaver o território perdido.

O silêncio de Bolsonaro sobre a situação poderia ser usado para avalizar uma ação militar contra o Brasil no futuro. Os militares têm tratado a invasão ucraniana como o fim do Sistema Internacional. Depois disso voltamos à barbárie, onde cada nação pode fazer guerra sempre que ela for necessária para atingir seus objetivos político-estratégicos.

2)   Jair Bolsonaro está declarando fidelidade a Vladimir Putin

Será seu vassalo na América Latina enquanto for útil ao líder russo. Quem elegeu o presidente jamais pensou que isso iria acontecer. Segundo informações, relatórios reservados de embaixadores estrangeiros em Brasília apontam que o Brasil avalizou a invasão russa da Ucrânia classificam como uma catastrófica posição do governo brasileiro com reflexos que serão sentidos em breve.
 
3)    A guerra na Ucrânia está trazendo muitas lições para o Brasil.

A necessidade de ter uma Força Aérea forte e desdobrada em múltiplas bases aéreas e não concentrada em poucas é interessante e bastante necessária no contexto de uma guerra de defesa territorial. Até o momento, a Rússia não conseguiu destruir a Força Aérea Ucraniana.

O uso de artilharia antimíssil mostrou-se necessário já que a maior parte dos ataques aéreos foi feita com mísseis balísticos. A maior parte das unidades de combate convencionais ucranianas foram desdobradas para o leste, onde tem infligido pesadas perdas ao exército russo.

Enquanto que a defesa ucraniana está concentrada e ocupada no leste, a verdadeira invasão russa está acontecendo a partir da fronteira com a Bielorússia, no norte, situada próxima a Kiev.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


US RU OTAN

US RU OTAN

Última atualização 06 JUL, 11:50

MAIS LIDAS

Notas Estratégicas BR