06 de Fevereiro, 2015 - 00:40 ( Brasília )

Terrestre

Gen Enzo Peri - Discurso de Despedida


 

Palavras de Despedida do
Comandante do Exército
Gen Ex Enzo Peri 
Brasília 05 Fevereiro 2015


O tempo, no seu curso sem volta, é o senhor das mudanças, das sucessões, da história. A ele subordinam-se as expectativas, os planejamentos, os sonhos, a própria vida. Para dar sentido ao tempo, sua narrativa precisa de fatos.

Subordinando-me ao tempo, aqui estou para prestar minha última continência - fardado - ao Exército Brasileiro, após 55 anos de vida castrense, sendo oito como seu Comandante. Esta solenidade é o conteúdo desse momento.

Pensei muito sobre o que seria importante sintetizar nesse meu último ato. Como colocar tantas vivências e tantas experiências em breves e abrangentes palavras com a lucidez da razão, mas sob o manto da emoção que, naturalmente, iria me cobrir.

Apoiando-me na prudência, na coragem, na temperança e na justiça - conjunto das quatro virtudes cardeais da antiguidade – que, de alguma forma, e compondo-se com outros valores e circunstâncias, foram farol, bússola e radar a me guiarem até aqui, entendi que minhas palavras deveriam ser de reconhecimento e gratidão, de fé e confiança; uma vez que tudo o mais já fora escrito, dito e feito nesse mais de meio século de vida castrense e, portanto, ficaria sobrando.

Assim sendo, e já guiado pela mão da concisão, peço que os olhares de todos que nos honram com suas presenças se voltem para o novo Comandante do Exército, Gen VILLAS BÔAS, companheiro de tantas jornadas, a quem antecipo meus desejos de toda sorte de felicidade juntamente com a família, muita resiliência para lidar com incertezas, e muita determinação para realizar as necessárias mudanças impostas pelas lições aprendidas e pela conjuntura. Sucesso no comando do Exército, Gen VILLAS BÔAS!

O cerimonial militar prevê a colocação da foto do antigo Chefe na galeria dos Comandantes, para preservar a memória da Instituição. E a passagem do cargo, perante a Bandeira do Brasil, para tornar sagrado o compromisso do novo Comandante com a Nação brasileira. Esses dois atos são como o marcador de um livro - indicam a continuidade da história do Exército de CAXIAS e sua permanente identidade com a Pátria.

O cargo de Comandante do Exército é conformado por um conjunto de valores, tradições, história, normas legais rígidas e disciplinadoras e muita, muita responsabilidade. A estrutura da Instituição apoia o cargo. A qualidade, a capacidade, o comprometimento e os valores dos homens e mulheres que compõem o Exército dão-lhe certeza do cumprimento exitoso das missões que recebe. A credibilidade que a sociedade lhe atribui dá-lhe rosto e legitima seu emprego. Por isso mesmo, o Exército sempre foi parte da História do Brasil.

Tudo isso exige permanente prontidão e diuturna ação de comando – em todos os níveis. E torna o Comandante do Exército servo incondicional da Pátria.

Devo muito de tudo que decidi pelo Exército ao estudo e ao competente assessoramento do Alto-Comando e dos demais subordinados, particularmente dos mais próximos, mas confesso que nunca deixei que o alvoroço das sugestões calasse minha própria voz interior. E muitas vezes optei por seguir meu próprio coração e minha intuição. Foi meu ônus indelegável de Comandante.

Vivi intensamente, nesses últimos oito anos, como dirigente máximo, aquilo que ficou denominado transformação do Exército - movimento vigoroso, com muita energia cinética e ainda em plena atividade.

Planejamos. Trabalhamos com projetos. Buscamos enxergar longe, selecionar frentes e regular curto.

Desenvolvemos uma sistemática eficaz de governança. Firmamos contratos de objetivos. Travamos as batalhas diárias do orçamento. Alinhados com a Política Nacional de Defesa, a Estratégia Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa criamos uma nova Concepção Estratégica para o Exército. Avançamos na direção de uma nova Doutrina de emprego da Força, assentada em interoperabilidade, interagência e preparação por capacidades. Passamos a atuar no espaço cibernético. Buscamos novas formas de racionalização e valorização dos nossos Recursos Humanos. Enfim, escalamos novo patamar na busca de novas estruturas, novos materiais, nova doutrina e novas competências. Demos passos largos e seguros para que a Força Terrestre ingressasse na Era do Conhecimento - condição imposta pela crescente estatura do Brasil no cenário internacional.

Bem, não há prestação de contas. O que foi feito aí está – em cada organização militar, em cada operação, nas Escolas, nas missões cumpridas, na satisfação manifestada em cada rosto. Portanto, penso que já é hora de começar a dizer muito obrigado, do fundo do coração, por terem me ajudado a chegar até aqui, preservando minha fé na Instituição, e com a mesma impulsão e entusiasmo do Cadete que cruzou os portões da AMAN em 1960.

Obrigado por terem sido compreensão, apoio, sugestão, proteção, incentivo, exemplo, força, trabalho, realização, amizade, alegria, vibração, fé e família – minha família.

Agradeço, inicialmente, aos Senhores Presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff por me terem confiado o honroso cargo de Comandante do Exército por dois períodos consecutivos de quatro anos cada um.

Agradeço o convívio enriquecedor e fraterno, e o apoio inconteste recebidos de todos os integrantes do Ministério da Defesa. Nomino o Gen De Nardi, Chefe do EMCFA, e o Dr Ari, sucedido pela Dra Eva,Secretário Geral. E destaco os Sr Ministros Waldir Pires, Nelson Jobim, Celso Amorim e, mais recentemente,o Ministro Jaques Wagner pelas orientações seguras, apoio inconteste e incontáveis demonstrações de apreço com que sempre me distinguiram.

Agradeço aos Comandantes da Marinha do Brasil, Alte Esq Júlio Soares de Moura Netto; e da Aeronáutica, Ten Brig Ar Juniti Saito, com quem dividi, particularmente nesses últimos oito anos, preocupações e alegrias. O trabalho conjunto que desenvolvemos e os princípios éticos que nortearam nosso caminhar concederam-me motivação permanente, fortaleza interior e diuturna crença na missão. Vocês são irmãos fraternos! Muito obrigado.

Agradeço - sem nominar, mas tendo um apreço especial por cada um - aos integrantes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e das Funções Essenciais à Justiça que responderam sempre de maneira construtiva às nossas demandas institucionais.

Agradeço, por intermédio de seus presidentes, à IMBEL, à Fundação Osório e à FHE/Poupex pela forma profissional, comprometida e competente com que conduziram suas missões.

Aos meus pais, que me apontaram o caminho do Colégio Militar do Rio de Janeiro, berço da minha vocação, meu preito de gratidão. Eles sempre estiveram presentes ao longo de toda minha vida de Soldado, principalmente de forma intangível, espiritual, como referência de virtudes. Deles, herdei a humildade, o desapego material e a profunda crença no eterno. No meu sentir, eles se encontram presentes neste momento.

Suas bênçãos!

Ao Gen Cid, meu ex-Assistente e atual Chefe do Gabinete, agradeço pela dedicação exclusiva, lealdade superlativa e amizade filial. Do seu trabalho incansável, conduzindo uma equipe forte e decidida, colhi a segurança para dar conformidade e consequência a todas as ordens, sugestões e demandas que recebi e expedi, interna e externamente, permitindo que o Exército continuasse a cumprir suas missões e a transitar com desenvoltura no seio da Nação. Muito obrigado Gen Cid! Por seu intermédio, louvo e agradeço a todo meu Gabinete, ao Centro de Inteligência, ao Centro de Controle Interno, ao Centro de Comunicação Social, à Secretaria Geral do Exército e ao Estado-Maior Pessoal.

À família militar - esposas, filhos, dependentes, ativa e reserva - agradeço sensibilizado, sentindo me afortunado, por ter sido acolhido, desde a primeira hora, no seio dessa grande família, nessa longa e maravilhosa jornada.

Ao Exército como um todo - indivisível, coeso, forte, invencível - é mais difícil agradecer. Ele sempre foi a principal razão de ser de toda minha vida. Nele está minha existência. Dele não me despeço porque continuo nele e ele em mim. Continuarei a me emocionar com o Hino e a Bandeira nacionais, com as canções, com o desfile da tropa e com as conquistas da nossa gente verde-oliva. Saio de forma, mas permaneço no pátio de formatura da Pátria. Por intermédio do Alto-Comando, peço fazer chegar a cada Soldado, nos quatro cantos do nosso Brasil, onde estão cooperando com a estabilização de áreas carentes e com o desenvolvimento nacional, adestrando-se e levando o braço forte e a mão amiga onde e quando se faz necessário, meu fraterno e emocionado abraço de gratidão. Igualmente transmita o abraço àqueles que se encontram no exterior, em missões de promoção da paz, de instrução ou de representação, que tão bem dignificam a Bandeira do Brasil e mostram que a nada somos indiferentes.

A Deus, agradeço por dar ouvido às minhas orações e por manter sua mão invisível me guiando até o dia de hoje. Obrigado, Senhor!

Por fim, agradeço a todos que homenageiam o Gen VILLAS BÔAS e sua esposa Maria Aparecida e a mim com suas honrosas presenças.

Fixarei minha residência no Rio de Janeiro. Lá estarei com as portas abertas a todo meu Exército e a todos os que o engrandecem, valorizam e amam.

Muito obrigado a todos por tudo.

Brasília, 5 de fevereiro de 2015.

General de Exército ENZO MARTINS PERI
Comandante do Exército


Matérias Relacionadas

Gen Villas Boas - Mensagem Ministro Defesa Link


Exército Brasileiro tem novo comandante Link


Gen Villas Boas - Cobertura Fotográfica Link


Gen Enzo Peri - Discurso de Despedida Link