18 de Outubro, 2017 - 00:10 ( Brasília )

Pensamento

Comentário Gelio Fregapani - A raiz do mal e para constar



Assunto : A raiz do mal e para constar

 
 A raiz do mal – A Conspiração usa o Imperialismo

Teóricos da Conspiração acreditam que a história moderna reflete uma secular conspiração feita por uma elite financeira internacional para fins de escravizar a humanidade. Muitos geopolíticos atribuem a culpa aos Sionistas, Illuminati, Vaticano, Jesuítas, Francos-maçons, Bildersbergs e outros, sem se dar conta que as verdadeiras cabeças são as famílias que dominam o Banco da Inglaterra, o Federal Reserve Bank e cartéis associados. Elas controlam o Banco Mundial e o FMI e a maioria das Agências de Inteligência do mundo. A identidade das famílias não é ostensiva, mas os Rothschild certamente fazem parte delas.

A "conspiração", mesmo dominando as finanças, precisa usar da força de um país para sustentar suas manobras e acredita-se que tenha se desenvolvido em Veneza, passando pela Holanda e chegando a Inglaterra onde se aliou com os Estados Unidos, acompanhando o centro do poder mundial.

A Inglaterra ainda é uma oligarquia dirigida pela “City de Londres” e a City pelo Banco da Inglaterra, uma corporação privada que não está sujeita à lei Britânica, ao contrário, dita as leis. O Banco da Inglaterra foi “nacionalizado” em 1946 mas o poder para criar dinheiro se manteve nas mesmas mãos.

O Banco da Inglaterra assumiu o controle dos EUA em1901-1909 quando seu agente J.P. Morgan tomou o comando de 25% dos negócios americanos.

O Império Britânico era uma extensão dos interesses financeiros de banqueiros.  Os banqueiros são parte de uma rede chamada “Clube das Ilhas” que é uma associação informal incluindo algumas famílias reais. O Clube das Ilhas, comanda as finanças, governa sobre gigantes corporativos tais como a Royal Dutch Shell, Imperial Chemical Industries, Lloyds of London, Unilever, Lonrho, Rio Tinto Zinc, Anglo American De Beers e domina o suprimento mundial de petróleo, ouro e diamantes e muitas outras matérias-primas onde naturalmente utiliza esses bens para sua agenda geopolítica. Planeja reduzir a população humana de cerca de 7 bilhões de pessoas para menos de 1 bilhão no prazo de duas ou três gerações no interesse de manter seu domínio global.

Essas famílias são o poder por detrás do trono de britânico. Eles se veem como os herdeiros da oligarquia Veneziana, que infiltrou-se na Holanda através do calvinismo e conquistou (economicamente) a Inglaterra nas guerras napoleônicas, estabelecendo um sistema oligárquico Anglo-Holandês-Suíço.

 A City domina os mercados especulativos do mundo, bem como a extração de matérias-primas, as finanças, seguros, transporte e produção de alimentos, exercendo virtual controle total sobre as indústrias mundiais.

Essas famílias trataram de casar suas filhas com aristocratas europeus, assegurando a influência política quando não o controle dos governos. O fato de os indivíduos predominantes dessa conspiração serem judeus não incrimina os judeus em geral, que foram manipulados, tratados com o mesmo desdém e quando convinha até mesmo perseguidos. Não é exatamente uma conspiração judaica pois fazem parte do mesmo os muçulmanos da casa real saudita bem como os oligarcas norte-americanos nominalmente cristãos, como os Rockfellers.

Seja como for se trata de uma facção vampira que procura dirigir o mundo controlando as instituições políticas, econômicas e culturais e para isto procura neutralizar os Estados Nacionais e as fortes influências familiares. Para isto, já tentou usar o comunismo. A democracia para eles é só uma ilusão para o controle social enquanto a mídia alimenta os povos com coisas triviais, banais e sensuais e os sistemas de educação são usados para a difusão de uma nova moral hedonista. A Sociedade está sendo subvertida e a cultura ocidental desgastada, assim anseia poder controlá-la.

Essas são as raízes do mal, para combatê-las é necessário opor-se às manobras e corrigir alguns dos efeitos seja na promoção dos bons costumes seja evitando o endividamento e  incentivando a religião tradicional, mas isto não bastará pois a luta se assemelhará a pugna de Hercules contra a Hidra de Lerna – a cada cabeça cortada aparecerá outra. Certo, precisamos cortar as cabeças, pois são elas que nos mordem, mas para vencer é indispensável primeiro conhecer o fenômeno. Só assim se pode vencer adotando uma estratégia adequada.

Para constar

Como se sabe que a maioria dos parlamentares não tem opinião. Tem é preço,
O recente atentado que matou 50 pessoas nos EUA foi atribuído a liberdade de porte de arma. Entretanto, há pontos obscuros: Por que alguém levaria mais de dez armas e não uma (ou duas para o caso de pane)? Será que poderiam ser vários atiradores que deixaram um cadáver para despistar num atentado político ou fundamentalista?

Os que tentam nos manter desarmados aproveitaram o fato sem contar que, se nos EUA qualquer pessoa pode comprar um fuzil, na nossa sociedade desarmada só quem consegue comprá-los são os bandidos e isto nos causa mais mortes por dia do que causou aquele massacre num dia só, mas serve como uma manobra psicológica que visa impedir que as nossas pessoas de bem possam se defender e acostumar a população a ceder face a qualquer ameaça. Caso haja pressões de algum pais ambicioso esta situação deverá facilitar a "rendição" em caso de guerra.

É hora de reagir e que Deus abençoe a nossa reação

Gelio Fregapani