COBERTURA ESPECIAL - Venezuela - Inteligência

04 de Agosto, 2018 - 21:40 ( Brasília )

Venezuela - Atentado contra Maduro?

Segundo o governo venezuelano, drone com explosivos atingiu cerimônia de aniversário da Guarda Nacional; presidente está bem, mas sete policiais ficaram feridos




CARACAS - O governo da Venezuela denunciou neste sábado, 4, uma tentativa de atentado contra a comitiva do presidente Nicolás Maduro e afirmou que um drone carregado com explosivos atingiu um ato oficial comandado pelo líder chavista em Caracas. Ao menos sete policiais ficaram feridos, segundo o Ministério das Comunicações. Maduro, a primeira-dama Cília Flores e membros da cúpula militares foram retirados do local a salvo.



O presidente discursava sobre medidas para retirar o país da grave depressão econômica que já dura cinco anos quando o sinal da TV estatal foi interrompido. No vídeo, é possível ver o líder chavista e sua mulher olham para cima antes de a transmissão ser cortada. Cília chega a se assustar e segurar o braço de um militar do seu lado.


Ainda de acordo com Rodríguez o drone continha uma carga explosiva que foi detonada nos arredores do palco e feriu sete policiais que foram levados a hospitais próximos. “Para tranquilidade de todos, Maduro saiu completamente ileso e está fazendo seu trabalho habitual, em reunião permanente com o comando político e militar”, acrescentou. 
 
Nesta semana, o país começou a fazer um censo dos proprietários de veículos, uma medida que, segundo o governo, ajudará a determinar o consumo “racional” de combustível. O governo anunciou que o subsídio ao combustível mais barato do mundo, que não seguiria no nível atual, estaria ligados a uma adesão à “carteira da pátria”. 

A crise venezuelana se agravou desde meados do ano passado, quando o governo americano impôs sanções que dificultaram o acesso da estatal petroleira PDVSA a crédito e complicaram operações de embarque de petróleo. Com isso, a produção petroleira caiu aos menores níveis em 30 anos.
Sem dinheiro em caixa, o governo continua a imprimir dinheiro sem lastro para financiar o déficit fiscal, o que alimenta a espiral hiperinflacionária. Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), a inflação neste ano no país deve chegar a 1 milhão por cento. 

Além disso, o país sofre com a escassez crônica de remédios e alimentos e com um fluxo de refugiados que se espalha pela América Central e do Sul. 

Em junho do ano passado, o ex-policial Oscar Pérez roubou um helicóptero atacou com tiros a sede do Tribunal Supremo de Justiça em Caracas. A ação foi repelida na época pela GNB e terminou sem feridos. Pérez foi morto em uma operação militar em janeiro

 


“Faço um chamado à Venezuela honesta e trabalhadora. Vamos apostar no bem do nosso país. Chegou a hora da recuperação econômica”, disse o presidente antes da interrupção. Na sequência, a câmera enquadra os soldados da GNB que assistiam ao discurso. Alguns deles fugiram correndo do local. 

“Trata-se de um atentado contra a figura do presidente Nicolás Maduro”, disse o ministro de Comunicações Jorge Rodríguez, sem oferecer provas do ataque.
O grupo intitulado Soldados de Franelas, composto aparentemente por dissidentes militares, reivindicou o ataque. “Nosso objetivo era mandar dois drones com C4 no palco presidencial, mas eles foram abatidos por atiradores de elite”, disse o grupo no Twitter. “Demonstramos que são vulneráveis. É questão de tempo.






Ainda de acordo com Rodríguez o drone continha uma carga explosiva que foi detonada nos arredores do palco e feriu sete policiais que foram levados a hospitais próximos. “Para tranquilidade de todos, Maduro saiu completamente ileso e está fazendo seu trabalho habitual, em reunião permanente com o comando político e militar”, acrescentou. 
 
Nesta semana, o país começou a fazer um censo dos proprietários de veículos, uma medida que, segundo o governo, ajudará a determinar o consumo “racional” de combustível. O governo anunciou que o subsídio ao combustível mais barato do mundo, que não seguiria no nível atual, estaria ligados a uma adesão à “carteira da pátria”. 

A crise venezuelana se agravou desde meados do ano passado, quando o governo americano impôs sanções que dificultaram o acesso da estatal petroleira PDVSA a crédito e complicaram operações de embarque de petróleo. Com isso, a produção petroleira caiu aos menores níveis em 30 anos.
Sem dinheiro em caixa, o governo continua a imprimir dinheiro sem lastro para financiar o déficit fiscal, o que alimenta a espiral hiperinflacionária. Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), a inflação neste ano no país deve chegar a 1 milhão por cento. 

Além disso, o país sofre com a escassez crônica de remédios e alimentos e com um fluxo de refugiados que se espalha pela América Central e do Sul. 
Em junho do ano passado, o ex-policial Oscar Pérez roubou um helicóptero atacou com tiros a sede do Tribunal Supremo de Justiça em Caracas. A ação foi repelida na época pela GNB e terminou sem feridos. Pérez foi morto em uma operação militar em janeiro



 
Declaração de Nicolas Maduro, a partir dos 19 minutos, acusando ao governo e à dieita da colômbiana pelo o envio de assassinos para perpretar o atentado contra ele. 

VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Expansão Chinesa

Expansão Chinesa

Última atualização 12 DEZ, 23:20

MAIS LIDAS

Venezuela