31 de Maio, 2015 - 22:38 ( Brasília )

Terrestre

Exclusivo DefesaNet Entrevista o Gen Ex Villas Boas Comandante do Exército




ESPECIAL INFANTARIA – Exclusivo
DefesaNet Entrevista o Comandante do Exército
Gen Ex Eduardo VILLAS BÔAS

 

Vianney Júnior
Editor Internacional de Aeroespaço e Defesa


 
Editor Internacional de Defesa da Agência DEFESANET entrevista com exclusividade o Exmo. Comandante do Exército Brasileiro, General de Exército Eduardo Dias da Costa VILLAS BÔAS
 
Durante as comemorações ao 205° ano do nascimento do Brigadeiro Antônio de Sampaio, na Festa Nacional da Infantaria realizada no Ceará, o editor internacional de aeroespaço e defesa da Agência DefesaNet, Vianney Júnior, entrevistou o General Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, Comandante do Exército Brasileiro.
 
Dentre os temas abordados, o retorno da Festa Nacional da Infantaria ao berço de seu Patrono, organizada pelo Comando Militar do Nordeste, na figura de seu comandante, General-de-Exército Manoel Luiz Narvaz Pafiadache, com apoio da 10ª Região Militar - Região Martim Soares Moreno, comandada pelo General-de-Divisão Marco Antônio Freire Gomes.
 
Os exemplos transmitidos pelo Brigadeiro Sampaio aos infantes de hoje.
 
Preservação da memória das grandes figuras do Exército, e seus exemplos de heroísmo.
 
O futuro da Infantaria e a modernização tecnológica.
 
Palavra do Comandante aos Infantes da Ativa e da Reserva.
 
Os cortes no orçamento da Defesa.
 
Confira a seguir:
 
DefesaNet: General Villas Bôas, qual a significância encerrada na realização da Festa Nacional da Infantaria, este ano, no estado do Ceará, terra do Patrono da Arma? Como se deu o processo para a decisão de fazer de Fortaleza, a Capital da Infantaria em 2015?
 
General Villas Bôas: A realização da Festa Nacional da Infantaria, no Ceará, tem uma importância muito grande para a Infantaria Brasileira, uma vez que, além de ser Tamboril a terra de nascimento do Patrono da Arma, naquele Estado estão concentrados aspectos históricos que marcaram a vida do Brigadeiro Sampaio.
 
No Museu do Brigadeiro Sampaio, localizado nas instalações da 10ª Região Militar, em Fortaleza, encontra-se em exposição a espada que pertenceu a Sampaio, símbolo da sua bravura e coragem. À frente desse mesmo Quartel General, exatamente na entrada, está localizado o Memorial, onde estão depositados seus os restos mortais.
 
Ao par de todos esses aspectos, a 10ª Região Militar (RM) está instalada hoje onde outrora existia o 22° Batalhão de Caçadores, primeira unidade na qual incorporou Antonio de Sampaio.
 
A Região Nordeste é o berço da nossa nacionalidade, primeiro lugar onde se ouviu a expressão PÁTRIA. Nela, a semente do Exército Brasileiro germinou para forjar esta que é hoje uma das instituições de maior credibilidade do Brasil e nada mais justo levarmos para o Nordeste Brasileiro as comemorações do patrono de uma de suas armas-base, uma vez que as demais comemorações estão concentradas em outras regiões do País.
 
Esses argumentos serviram de base para um documento elaborado pelo Comandante da 10ª RM, que propunha eleger a cidade de Fortaleza como a Capital da Infantaria em 2015. A proposta foi encaminhada para apreciação do Comandante Militar do Nordeste que, considerando os aspectos históricos apresentados e a sua coerência com o que se estaria comemorando, decidiu enviar o pleito da Região Militar ao Comando do Exército, por meio da Secretaria Geral, órgão responsável pela análise e apreciação de requerimentos ligados às tradições e raízes do Exército Brasileiro.
 
A Secretaria Geral do Exército, ouvindo a Diretoria de Patrimônio Histórico e Cultural do Exército, apresentou parecer favorável. A proposta foi aprovada e, com muita satisfação, comemorada por todos os infantes brasileiros.
 
Por último, as comemorações em Fortaleza permitem que seus descendentes possam, em melhores condições, participar das festividades e transmitir aos novos infantes como foi a vida desse ilustre brasileiro.
 
DefesaNet: O Comando Militar do Nordeste, a 10ª Região Militar e o 23? Batalhão de Caçadores apresentaram uma série de eventos e uma formatura muito elogiados, e que encantaram a sociedade local. Qual a avaliação do Comandante do Exército sobre os eventos nos quais tomou parte e que pontos destacaria?
 

General Villas Bôas: Alguns eventos foram marcantes e confirmaram a importância da presença do comando do Exército nas comemorações.
 
Destaco, por exemplo, o almoço onde foi possível reunir militares da ativa e da reserva residentes no Ceará, ocasião na qual reencontramos integrantes da nossa turma da Academia Militar das Agulhas Negras, que não nos víamos há muitos anos.
 
Igualmente importante foram as visitas às instalações de algumas organizações militares da guarnição de Fortaleza, como a realizada à 10ª Região Militar, a Região Martim Soares Moreno, particularmente ao Museu do Brigadeiro Sampaio e ao Memorial a ele dedicado, hoje sua última morada.
 
A expressiva solenidade realizada ao final da tarde, nas instalações do 23° Batalhão de Caçadores, maior unidade de infantaria da Guarnição, reuniu infantes de ontem, de hoje e de sempre e homenageou a figura do insigne patrono da Infantaria Brasileira, um cearense de Tamboril, cuja história enche de orgulho seus conterrâneos.
 
A jornada, breve, mas intensa, deixou as melhores impressões possíveis e deixou evidenciada a importância da Semana Nacional da Infantaria para os infantes brasileiros e particularmente para o povo cearense, que assistiu com atenção e respeito como são tratados os heróis nacionais no âmbito do Exército Brasileiro.
 
DefesaNet: Em um momento em que vemos uma profunda inversão de valores na sociedade, que exemplos a história de Sampaio pode transmitir aos jovens infantes, e por que não, a todos os jovens brasileiros?
 
General Villas Bôas: O Brigadeiro Antonio de Sampaio incorpora em sua trajetória de vida episódios marcantes, que caracterizam valores essenciais ao líder de hoje e de sempre.
 
Sua coragem e seu desprendimento em todas as suas atuações, sua presença junto ao subordinado e na frente de combate mostram o espírito do Infante Maior, cuja coragem e estoicismo servem de exemplo para os que com ele combateram. Em situações de crise, a manutenção do esforço na conquista dos objetivos traçados foi sempre sua principal motivação.
 
O Exército Brasileiro tem valores que são imutáveis ao longo da nossa história. O Brigadeiro Sampaio é um exemplo de comandante e líder que define a tradição, as glórias e os valores de ontem, de hoje e de sempre. A Infantaria e o Exército se apoiam nesse exemplo e nesses valores para cumprirem suas missões ante os desafios do século XXI.
 
O legado de Sampaio, ao lado da Ética Militar, são os alicerces sobre os quais o soldado brasileiro deve ser construído. Ele proporciona as bases em torno das quais os militares devem buscar as respostas para sustentar suas decisões em todos os níveis.
 
Por fim, vale ressaltar o sentimento de amor a Pátria de Sampaio, quando sacrifica sua própria vida, abandonando o combate somente após receber o terceiro tiro.
 
DefesaNet: Recentemente, o senhor tomou parte das comemorações do Dia da Vitória na Itália, palco do sacrifício de milhares de Infantes Brasileiros. Foi objeto de artigo nosso, a participação de crianças italianas entoando a Canção do Expedicionário, ao passo que no Brasil, pouco se propagou na mídia a atuação desses tantos brasileiros, que deixaram sua terra natal para lutar no estrangeiro, a fim de garantir um mundo livre da tirania do nazifacismo. Qual a visão do Comandante sobre as ações de preservação da memória dos grandes vultos nacionais? Dos heróis que evocam o sacrifício pessoal em prol do bem comum?
 
General Villas Bôas: O Canto da Canção do Expedicionário pelas crianças de Montese foi parte de uma série de eventos realizados na Itália em comemoração dos 70 anos da participação da Força Expedicionária Brasileira na Segunda Guerra Mundial. Foram realizados eventos em diversas cidades, desde Roma até Collechio.
 
Realmente, um dos momentos mais marcantes foi presenciar as crianças cantando e se esforçando para superar as dificuldades da língua.
 
Os habitantes daquela região sofreram muito com a Guerra. Passaram fome e frio. Os nossos pracinhas perceberam isso e, ao ajudar a população, criaram vínculos afetivos que persistem até hoje. Muito mais que cultuar heróis individuais, os italianos prestam homenagem aos “libertadores brasileiros”.
 
Nós, por outro lado, temos, nas figuras de Max Wolff Filho e Francisco Mega, exemplos de heroísmo e determinação. Há também lugares históricos, onde o sangue de muitos brasileiros foi derramado, como Monte Castelo e Montese. Esses heróis e lugares são reverenciados, todos os anos, pelas unidades militares, que buscam manter vivos os feitos e as tradições da FEB, bem como transmitir às futuras gerações exemplos verdadeiros de patriotismo.
 
DefesaNet: Como o senhor vê o futuro da Infantaria e a influência da tecnologia na incorporação de novas doutrinas?
 
General Villas Bôas: Qualquer que seja o nível tecnológico de um exército, por trás de cada artefato, de cada equipamento ou arma de guerra haverá um homem que incorpora os valores da Infantaria, uma vez que o homem, para os discípulos de Sampaio, é a força da nossa força.
 
As doutrinas se adaptam às ameaças e ao potencial bélico de uma nação, porém, em todos os teatros de operações a conquista e a ocupação do terreno exigirão infantes de coragem e determinação, equipados e armados com meios militares modernos e incorporando a doutrina mais adequada para o ambiente operacional.
 
Por tudo isso, observa-se que ao longo dos anos a Infantaria vem agregando ao seu espírito características doutrinárias específicas como, por exemplo, aqueles da Infantaria Mecanizada, da Infantaria Aeromóvel, da Infantaria de Montanha, da Infantaria Blindada, da Infantaria de Selva, da Infantaria Para-quedista, dentre outras.
 
DefesaNet: Que palavras o senhor deixa aos Infantes, tanto da ativa como da reserva, na passagem da data magna da Arma?
 
General Villas Bôas: Primeiramente, gostaria de parabenizar a todos os Infantes do Exército Brasileiro. De ontem e de hoje. Da ativa e da reserva.
 
Gostaria também de destacar que, hoje em dia, o cenário de atuação da Força Terrestre necessita de um versátil soldado infante. Ele deve estar consciente de seu papel estratégico no cumprimento das missões. Deve estar capacitado a operar sistemas de armamentos de alta tecnologia. Não deve, no entanto, perder a genuína rusticidade, a persistência, a coragem e, sobretudo, a disciplina.
 
Tenham sempre como exemplos o Brigadeiro Sampaio, o Aspirante Mega, o Sargento Max Wolff, dentre tantos outros que deixaram escritas páginas de glória com suas demonstrações de destemor, dedicação, retidão de conduta, abnegação e amor à Pátria. Nossos heróis nos indicam o prosseguimento, de maneira inabalável, rumo ao cumprimento do dever.
 
DefesaNet: Por fim, em um ano de contingenciamento, onde projetos importantes estão sujeitos a cortes, ou, no mínimo, a atraso de seus cronogramas iniciais, como o senhor pensa que tais medidas afetam os planejamentos estabelecidos e as missões à cumprir? O que o senhor espera da tropa, e o que a tropa deve esperar de seu novo Comandante?
 
General Villas Bôas: Um cenário de orçamento restrito demanda uma reavaliação de planejamento, ocasião na qual serão realizados estudos para adequar os projetos do Exército Brasileiro à essa nova realidade orçamentária e financeira.
 
Além disso, serão estabelecidas prioridades, metas de redução de custeio, metas para aumentar a qualidade do gasto e planeja-se a adoção de um processo de racionalização administrativa a partir da Alta Administração.
 
Aos meus subordinados, estimulo-os a preservar o orgulho de serem integrantes do Exército Brasileiro. Tenham a certeza de que o Exército, em qualquer tempo e sob quaisquer circunstâncias, cumprirá suas missões com presteza, eficiência e precisão. Tenham sempre em mente os valores que regem a nossa Força Terrestre, valores que nos tornam perenes e nos fazem uma das Instituições de maior confiabilidade e respeito junto à sociedade brasileira.
 
 
NOTA: DefesaNet agradece ao General-de-Brigada Otávio Santana do Rêgo Barros, Comandante do CECOMSEX, ao Coronel Guedes e ao Coronel Basto, cujo zelo e atenção no melhor interesse da propagação da imagem positiva do Exército Brasileiro, bem como da mensagem de seu Comandante à massiva audiência atingida pelos meios de comunicação da Agência DefesaNet, se concretizasse em pleno êxito e em uma entrevista de elevado valor informativo e inspiracional.

Matérias Relacionadas

ESPECIAL INFANTARIA – Festa Nacional da Infantaria volta ao berço de seu Patrono (Link)

ESPECIAL INFANTARIA – Liderança Militar Nas ações, os traços de um grande líder (Link)