COBERTURA ESPECIAL - Prosub - Naval

16 de Dezembro, 2014 - 16:23 ( Brasília )

IMPORTANTE - Íntegra Entrevista Coletiva Alm Moura Neto em Itaguaí

Na entrevista coletiva o Comandante da Marinha repassa o PROSUB, CNV e outros assuntos.



Nota DefesaNet

Para texto da Coletiva de Imprensa em inglês com o Almirante Moura Neto consulte o link:

IMPORTANT - Press Conference Adm Moura Neto  Link

The Editor


Entrevista Coletiva concedia pelo Comandante da Marinha do Brasil, Almirante-de-Esquadra Moura Neto, quando da inauguração do Prédio Principal de Produção de Submarinos,  no Complexo de Itaguaí, RJ, em 12 de Dezembro de 2014.

Participaram as seguintes autoridades:

Comandante Marinha Almirante-de-Esquadra  Moura Neto;
Almirante-de-Esquadra Gusmão, Diretor-Geral de Material;
Almirante-de-Esquadra(RM1) Gilberto Max Roffé Hirschfeld – Coordenador-Geral Programa de Desenvolvimento do Submarino com Propulsão Nuclear, e,  
Almirante Ferreira Marques - Centro de Tecnologia da MB-SP.


Questão – Quanto a Comissão Nacional da Verdade?

Alm Esq Moura Neto – Hoje foi o primeiro encontro com a presidente Dilma Rousseff após o anúncio da Comissão Nacional da Verdade. O assunto não foi tratado com ela. Falamos só sobre a obra que está sendo inaugurada hoje.

Questão – A Odebrecht responsável por esta obra está sendo investigada na Operação Lava a Jato. Isto pode afetar o cronograma. Qual a posição da Marinha do Brasil?

Alm Esq Moura Neto – Vamos aguardar os desdobramentos. 

Questão – O cronograma do Submarino Nuclear (SN-BR) está sendo mantido?

Alm Esq Moura Neto – O prazo de conclusão do Submarino Nuclear (SN-BR) é 2023, quando realizará os testes de cais e de mar, e sua transferência para o setor operativo, em 2025.

Em 2017 estará pronto o primeiro submarino convencional (S-BR), com entrada no setor operativo em 2018. Isto está conforme o planejado e estamos conseguindo cumprir o cronograma.

Questão - O senhor tem uma crítica ou comentário sobre o relatório da CNV .

Alm Esq Moura Neto – O Relatório da CNV foi entregue à Presidente da República e as Forças Armadas estão aguardando o que ela disse via fazer. Vou me debruçar sob o Relatório. O Relatório foi divulgado dia 10, no dia 11, estávamos preparando esta solenidade de hoje. Ainda temos alguns compromissos hoje e então após vamos trabalhar sobre as determinações que vierem do governo.

A CNV cumpriu o trabalho dela e ainda não tivemos oportunidade de analisá-lo.

Questão – Como o Senhor vê a estabilidade financeira do PROSUB para os próximos anos.

Alm Esq Moura Neto –  Com muito bons olhos, principalmente  após a presidente dar hoje apoio total ao PROSUB. E eu tenho certeza que não teremos nenhuma dificuldade de conduzir este, que é o programa mais importante da Marinha contemporânea. Tenho a impressão que teremos todo o apoio da presidente para conduzir o PROSUB.

Questão - Temos visto a parte física do submarino. Como está o desenvolvimento dos sistemas de Combate e de Missão?

Alm Esq Moura Neto – Para os submarinos convencionais isto parte também da transferência de tecnologia acertada com os franceses. Para os Submarinos Nucleares nos estamos desenvolvendo o sistema de combate que será brasileiro. (Ver a matéria
MECTRON : Desenvolverá sistema de Gerenciamento do Submarino Nuclear Link)


Alm Esq  Gusmão - O sistema de combate francês é o “SUBTICS”. Estão sendo produzidos na França e acompanhados por nossos engenheiros e técnicos. Neste processo há uma grande transferência de tecnologia, uma verdadeira inteligência do sistema, que está no seu software.

Os nossos engenheiros não somente acompanham, mas como ajudam a desenvolver módulos  deste sistema.

Estes sistemas serão instalados nos quatro Submarinos Convencionais e no Submarino Nuclear

Alm Esq (RM1) Max – Quero complementar que além do pessoal da Marinha temos a Fundação EZUTE, que também está se qualificando para a manutenção deste sistema de combate na França. Estamos bem adiantados quanto ao submarino convencional no sistema de combate.

A pergunta também se relacionou com equipamentos. Estamos procurando constantemente  quanto a: transferência de tecnologia, nacionalização e qualificação de pessoal. Este é o tripé do PROSUB. Estamos em fase bem adiantada desta fase quanto a equipamentos.

Alm Esq Moura Neto - Só para dar ideia existe um ponto que é extremamente sensível, que são os tubos de torpedo. Tecnologia que poucos países do mundo dominam.  Os tubos do nosso 4º submarino serão construídos por empresas brasileiras assim como os tubos de torpedo, que equiparão o Submarino Nuclear.



A partir da Esq. Alm Ferreira Marques, Alm Esq Gusmão, Alm Esq Moura Neto, Comandante da Marinha, e Alm Esq RM1 Max Reffé - Foto DefesaNet


Questão - O que representa para a Marinha a inauguração deste Prédio Principal e as próximas etapas da construção Estaleiro e da Base Naval?

Alm Esq Moura Neto - É um passo importantíssimo, pois o cronograma previa a construção do Prédio Principal, em  2014, e esperamos ter todo o estaleiro pronto no ano que vem.

E a Base de Manutenção e a Base Naval, em 2018, estarão prontos quando for necessário, isto é mo momento que o submarino for transferido para a área operativa.

Questão  - A Compra do Acelerador de Partículas tem relação com o Programa do PROSUB?

Alm Ferreira Marques (Centro de Tecnologia da MB-SP) -  A aquisição do Acelerador de Partículas está relacionado com o tratamento de rejeitos. Uma das características do setor Nuclear é que somos obrigados a tratar os rejeitos.

Das técnicas mais adiantadas uma é de bombardear os rejeitos com partículas, para que ele se transfigure em um material que possa ser melhor manejado, em condições de segurança. É uma exigência do licenciamento da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e dos órgãos ambientais como o IBAMA, para que tratemos os rejeitos e os gerenciemos ao longo dos anos

Questão  - O cronograma do MANSUP( Míssil Antinavio de Superfície)?

Alm Esq Moura Neto - Fica pronto em 2017, é um míssil antinavio de superfície-superficie. Estamos desenvolvendo uma nova Classe de Corvetas, a Classe Tamandaré. O próximo grande desafio. No momento estamos refazendo o projeto básico da Corveta Tamandaré, que deve terminar no início ou meados do ano e a partir daí contrataremos uma empresa para o detalhamento do projeto da Corveta Tamandaré e a produção iniciada em 2016.

Nesta classe procuramos nacionalizar ao máximos os equipamentos e sistemas. A arma principal da Corveta  será o míssil superfície-superfície MAN-SUP.


 

Seção de Qualificação apresentada pela Marinha do Brasil no dia 12 Dezembro, na cerimônia de inauguração do Prédio Principal de Fabricação de Submarinos em Itaguaí.Foto - DefesaNet


Questão – A importância da seção de qualificação?

Alm Esq (RM1) Max - A Seção de Qualificação fica ao meio navio. Serve para qualificar todos os processos industriais envolvidos na produção dos submarinos, como as soldas, para todos os quatro submarinos.

Deve demonstrar que os processos industriais e as qualificações de todos os nossos técnicos e operários está correto e atendem ao especificado.

O importante é TODOS os operários e técnicos, que participarão da produção do Submarino tenham passado pela seção de qualificação.

Alm Esq Moura Neto - As seções 3 e 4 foram produzidas na França, pela DCNS. No momento estamos produzindo as seções reais 1 e 2 na NUCLEP e ICN, e em fevereiro do próximo ano deverão ser transferidos para a Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas (UFEM) para serem completadas. Podemos dizer recheadas com os cabeamentos, estruturas  e componentes.

Questão - Qual o significado da produção do Submarino Nuclear já que o Brasil não tem inimigos?

Alm Esq Moura Neto - Hoje as marinhas não se preocupam com inimigos, mas se preocupam  com capacidades. A Marinha do Brasil tem de ter capacidade de patrulhar a Amazônia Azul,  e as suas águas (4,5 milhões Km2).

Temos de ter a capacidade de patrulhar, defender e uma capacidade crível de dissuasão. O que é dissuasão (?) é se as pessoas vierem aqui encontrarão uma defesa eficaz.

Os submarinos entram como uma capacidade enorme de dissuasão. E uma capacidade muito   produtiva de defender os recursos naturais, de óleo e gás, que existem em nossas águas jurisdicionais.

Questão – Qual é a ênfase, no Submarino Nuclear (SN-BR) ou o convencional (S-BR)?

Alm Esq Moura Neto – O Programa de Desenvolvimento  de Submarinos (PROSUB) é maior empreendimento da Marinha do Brasil e envolve recursos de 28 Bilhões de Reais.

Questão - O que acontecerá com estas instalações após 2025, quando for entregue o Submarino Nuclear?

Alm Esq Moura Neto –  Depois de 2025 é claro que esta capacidade industrial deverá ser aproveitada. O planejamento estratégico da Marinha do Brasil prevê construir 15 submarinos convencionais e de construir 6 Submarinos Nucleares. Lógico que isto significa obtenção de verbas e de autorização governamental.

A Marinha planeja continuar a aproveitar estas maravilhosas instalações industriais. E para que não se perca também o conhecimento e capacidade industrial adquirido. Como me alerta o Almirante Max.

Questão – Como será o emprego dos submarinos no dia a dia da Marinha do Brasil?

Alm Moura Neto – O emprego dos submarinos é de patrulhar as nossas águas. Após deixar o porto mergulham e realizam a patrulha conforme o planejado. O Submarino Nuclear fará a mesma coisa, porém como tem maior velocidade, autonomia,  e capacidade de permanecer submerso por maior tempo terá a possibilidade de patrulhar áreas muito maiores. Isto nós dá, além da maior capacidade de patrulha, um grande elemento de dissuasão.

Questão  - Quais países têm submarinos Nucleares?

Alm Esq Moura Neto – São cinco países que tem capacidade de produzir e operar Submarinos de propulsão Nucleares (Estados Unidos, Inglaterra, França, China e Rússia). Dois outros por caminhos diferentes estão chegando lá, que são o Brasil e a Índia. Este clube que hoje é de cinco terá sete membros.  

Questão – Está confirmado as apresentações das propostas do SisGAAz (Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul), em janeiro?

Alm Esq Moura Neto – Está previsto para 19 janeiro (2015), que as empresas que candidataram-se a serem “Main Contractors”  apresentem as suas soluções tecnológicas.

Questão – Após 8 anos como Charlie Mike (como é chamado o Comandante da Marinha na Força), o Senhor está pronto para novas missões?

Alm Esq Moura Neto – Esta pergunta não tem resposta (risos).





 

Vista frontal do Prédio Principal da Construção de Submarinos, inaugurado em Itaguaí, RJ, 12DEZ14. Foto - DefesaNet