COBERTURA ESPECIAL - Panorama Haiti - Terrestre

12 de Janeiro, 2016 - 18:40 ( Brasília )

Batalhão Suez- Inaugurado Monumento

Foi inaugurado no dia 08 de janeiro de 2016, o Monumento ao Batalhão Suez, os Boinas Azuis, na Praça Batalhão Suez, Centro Histórico de Porto Alegre. Texto cortesia O Tuiuti e fotos ADESG/RS e CMS


Luiz Ernani Caminha Giorgis
 Presidente da AHIMTB/RS
lecaminha@gmail.com
www.ahimtb.org.br

 
 

Foi inaugurado no dia 08 de janeiro de 2016, às 1030 h, o Monumento ao Batalhão Suez, os Boinas Azuis, na Praça Batalhão Suez, Centro Histórico de Porto Alegre.

O evento contou com a importante presença do Comandante Militar do Sul General de Exército Antônio Hamilton Martins Mourão, que o presidiu, juntamente com outras autoridades. O Gen Mourão foi homenageado com a Medalha da Ordem do Mérito do Batalhão Suez e fez uso da palavra destacando o evento e elogiando a participação do EB e dos 6.400 militares brasileiros que participaram da Missão em dez anos de existência dela.

O CMS, sob o comando do Gen Mourão, apoiou decisivamente a construção do Monumento aos “Boinas Azuis”.

Era uma antiga reivindicação dos ex-integrantes da Força de Emergência das Nações Unidas (FENU) no Oriente Médio (Batalhão Suez). O Monumento resgata essa fase da História do Exército Brasileiro nas Missões de Paz da ONU e valoriza a atuação desses militares que foram cumprir, em terras estranhas, importante intervenção de pacificação sob a égide da ONU. Isso acontece até hoje. Estamos no Haiti.

No caso do Batalhão Suez, a pacificação do conflito entre egípcios e israelenses após a nacionalização do Canal de Suez pelo Egito em 1956.

Os beligerantes, Egito e Israel, confiavam na imparcialidade da Força de Emergência.

Os ex-integrantes do Batalhão Suez estão reunidos em na Associação Brasileira de Integrantes do Batalhão Suez do Rio Grande do Sul (ABIBS/RS). O Presidente da ABIBS/RS, Alfredo Marcelino dos Santos Filho, fazendo uso da palavra no evento, disse que o efetivo total de gaúchos na Missão de Paz foi de 1.300 em três contingentes. Destacou também que o trabalho da Missão era o de supervisionar o cessar-fogo entre as tropas egípcias e israelenses após a chamada Guerra de Suez.

Em 29 Out 56 Israel invadiu a Faixa de Gaza. França e Inglaterra exigiram o cessar-fogo e, não atendidas, desembarcaram tropas em Port Said e Port Fuade. Diante do perigo de uma generalização do conflito, a ONU resolveu intervir com a Força de Emergência das Nações Unidas (FENU). O Brasil foi um dos países escolhidos para contribuir. O Congresso Brasileiro aceitou o convite da ONU e autorizou o Executivo através do Decreto Legislativo nº 61, de 22 Nov, a organizar a tropa brasileira.

A Lei nº 2.953, de 17 Nov 56, já havia regulado a remessa de tropa para fora do território nacional. A unidade encarregada foi o 2º Regimento de Infantaria - Regimento Avaí, sediado na Vila Militar, Rio de Janeiro que mobilizou o seu 3º Batalhão (3º/2º RI) o qual embarcou em 09 Jan 57 chegando em Port Said a 02 Fev.

As ações da tropa brasileira nos 50 Km da Faixa de Gaza sob sua responsabilidade foram:

- assegurar o cumprimento das resoluções das Nações Unidas;
- supervisionar e garantir a retirada das tropas que operavam em solo egípcio; e
- interpor-se entre os beligerantes, na linha de fronteira, a fim de impedir os choques armados.


 





Ao longo de dez anos formaram-se contingentes também em São Paulo, Porto Alegre, Recife e Belo Horizonte. A cada seis meses era trocado o efetivo. Dois generais brasileiros comandaram a FENU: os generais Carlos Flores de Paiva Chaves e Syzeno Sarmento. E também participaram oficiais brasileiros para trabalhos de Estado-Maior.

Em 19 de maio de 1967 a FENU foi extinta. Em 5 de junho do mesmo ano iniciou a Guerra dos Seis Dias. Um militar brasileiro perdeu a vida por bala perdida nesse conflito. Foi o Cabo Adalberto Ilha de Macedo, pertencente a um dos contingentes de Porto Alegre, atingido por um disparo no acampamento Rafah por ocasião da deflagração da Guerra dos Seis dias. Ele é homenageado no Monumento.
Fonte: HEB, 1972, vol. 3, p. 870.
 
Imagens gentilmente cedidas pelo Coronel Petry, da ADESG e CMS


Os integrantes do Batalhão Suez possuem duas Associações no Brasil. São as seguintes:
 
ABIBS RS
Associação Brasileira de Integrantes do Batalhão Suez-RS
Rua dos Adradas, 904, Centro Histórico
Porto Alegre, RS, CEP 90020-006
Telefone: (51) 3224 5382
Email: batalhaosuez.rs@gmail.com
 
AIBS - RJ
Associação dos Integrantes do Batalhão Suez - RJ
Rua 24 de Maio, 1311/1321 - Méier - Rio de Janeiro
CEP 20725-000
Telefone: (21) 2501 1814
Email: btlsuezaibs@gmail.com
Facebook: AIBS – RJ


Matéria Relacionada

O soldado de El Alamein Conto do Gen Bda (R1) que participou do 20 Contigente como jovem Tenente Link



Outras coberturas especiais


Base Industrial Defesa

Base Industrial Defesa

Última atualização 22 JUN, 13:20

MAIS LIDAS

Panorama Haiti