COBERTURA ESPECIAL - KC-390 - Aviação

21 de Abril, 2015 - 11:39 ( Brasília )

KC390 x C130 - Guerra Iniciada

A luta para a entrada no mercado da aeronave multimissão de transporte KC-390 requererá um combate árduo tanto pela EDS como pelo Governo Brasileiro


Assis Moreira
Valor

 

LISBOA  -  Os Estados Unidos entraram com força na competição com o Brasil para a venda de seis cargueiros militares para Portugal, num pacote de dezenas de milhões de dolares.

A EMBRAER está na briga com seu KC390, da qual uma parte é inclusive produzida em sua usina de Évora, em Portugal. Com a empresa brasileira trabalham outras 16 companhias portuguesas, o que significa que a encomenda poderia beneficiar também a indústria portuguesa.

Ocorre que Washington ofereceu ao governo português um pacote financeiro considerado extremamente interessante, que inclui não só a venda dos seis cargueiros em condições vantajosas, fabricados pela Boeing, como a reforma dos aparelhos Hercules da Força Aérea Portuguesa que estão em má situação e mesmo a reforma de base aérea no país.

O vice-presidente brasileiro, Michel Temer, levantou o tema em conversa hoje com o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, enfatizando a importância da encomenda para a Embraer, empresa que produz também em Portugal.

O chefe de governo português, porém, nada comentou. A expectativa em Lisboa é de que Portugal decida pelo ganhador da concorrência até o começo de maio.

Passos Coelho recebeu carta da presidente DIlma Rousseff convidando-o para uma cúpula no Brasil, que poderia ser realizada até julho. No caso de a Embraer ganhar, uma possibilidade seria o anúncio ocorrer nessa reunião.

Para Temer, em todo caso, "é mais do que natural que se a Embraer está a produzir aviões aqui em Portugal, que Portugal compre aviões da Embraer e espero que isso venha a acontecer".

Tal como outros 30 países, Portugal assinou uma carta de intenção de compra do KC-390, de até seis jatos.

Sobre o interesse de empresas brasileiras na privatização da TAP, Michel Temer disse que "este é um assunto de interesses privados", mas acrescentou que "o que temos feito no Brasil é incentivar as empresas aéreas brasileiras a interessarem-se por esta privatização, assim fiz com a TAM, assim fiz com a GOL e assim fiz com a AZUL e sei que a AVIANCA também esteve a participar neste encontro (de empresários em Lisboa)".


Matérias Relacionadas

Portugal paga mais 34 milhões de euros para programa de construção de novo avião militar da Embraer Link

Governo português promete "celeridade" na análise de novos investimentos da Embraer em Évora Link

Governo português ainda considera compra do KC-390 Link