COBERTURA ESPECIAL - Brasil - Arábia - Armas

18 de Abril, 2017 - 13:00 ( Brasília )

CARACAL BRASIL - Lança Pedra Fundamental

No lançamento da pedra fundamental em Anápolis, Caracal Brasil destaca investimento de R$ 550 milhões e 600 empregos diretos e indiretos. Agiliza construção e quer produzir em 18 meses



Com informes da O Popular,
Goiana (GO)

 
Em dois movimentos arrojados a empresa CARACAL, com sede em Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos, marcou presença no país. Primeiro foi a participação na feira LAAD 2017, 4-7 Abril, Riocentro, RJ, onde teve um grande stand. E com enorme presença de público durante todo o período da feira.
 
Tão logo terminada a LAAD2017 a CARACAL lançou a pedra fundamental de suas futuras instalações para a fabricação de equipamentos para segurança e defesa, a CARACAL Brasil, no dia 10 Abril, em Anápolis, Goiás. O início do serviço de terraplanagem é imediato e a contratação da empresa de construção e arquitetura será fechada nessa semana.

A agilidade vem das cifras de R$ 550 milhões que serão injetadas para tocar as obras, maquinários e capacitação profissional. A expectativa é de que em 18 meses sejam produzidas as primeiras pistolas em solo goiano.

A estimativa inicial é de gerar 600 empregos diretos e indiretos, podendo atingir contratação de 1,5 mil funcionários de acordo com o aumento da escala ao longo dos anos. A produção será destinada para o Brasil e países da América Latina.

São 113 mil metros quadrados num terreno localizado no Distrito Agroindustrial de Anápolis (DAIA), as pistolas serão os primeiros produtos, seguindo com a ampliação, ano a ano, com novas armas: submetralhadoras, rifles de assalto e de precisão para atiradores de elite (snipers). Os calibres são 9 mm, 5.56 mm, 7.62 mm, e ponto 308 win.

“Nós temos certeza de que este será um marco histórico para o estado de Goiás e para a própria CARACAL. Nosso objetivo é trazer toda a expertise, tecnologia e o portfólio de produtos da CARACAL Internacional a fim de redefinir o conceito de segurança e de confiabilidade no mercado brasileiro. Além disso, a produção será completamente nacionalizada com o passar dos anos, contribuindo para o desenvolvimento da indústria do Brasil”, afirma Paulo Humberto Barbosa, empresário goiano que comanda o projeto ao lado do sócio Augusto de Jesus Delgado Júnior, em parceria com a CARACAL Internacional.

Por isso, diz que o investimento total é imensurável, a depender da demanda do mercado. Em parceria no empreendimento está outro goiano, Augusto Delgado de Jesus.

A estratégia para a capacitação profissional já está definida. “Parte da equipe técnica virá dos Estados Unidos, parte dos Emirados Árabes e vamos contratar técnicos na área de engenharia mecânica para serem treinados para utilizarem os equipamentos e máquinas necessários”, diz. Uma parceria com o governo estadual via Universidade Estadual de Goiás (UEG) vai direcionar alunos que podem ser selecionados para trabalhar no local.

Estratégica

O potencial industrial não é nada modesto e a empresa pretende em, no máximo em cinco anos, superar toda a indústria nacional. O País é o quarto maior exportador de armas do mundo. “A linha de produtos da CARACAL é muito grande, é impossível mensurar em quanto tempo fabricaremos toda a linha. Estarei mentido se dizer que teremos toda a linha em 10 anos, por que, até lá, já existirão mais umas 40 novas linhas”, afirma o sócio-proprietário Paulo Humberto Barbosa

O investimento inicial da CARACAL BRASIL estará na faixa de R$ 100 milhões e pode chegar a R$ 500 milhões em 10 anos. Cerca de 600 novos postos de trabalho serão gerados diretamente durante a primeira fase do projeto (implementação e start-up). A previsão é de que cerca de 1.250 empregos diretos e indiretos serão criados durante todo o processo, gerando um impulso significativo na economia local.

“O estabelecimento da CARACAL em Goiás representa o início de uma cooperação maravilhosa entre os Emirados Árabes Unidos e o Brasil, a começar pelo apoio à indústria de defesa brasileira, com tecnologias avançadas de design, fabricação e fornecimento de armas leves, por meio da CARACAL BRASIL”, diz o CEO da CARACAL Internacional, Hamad Al Almeri.

A indústria goiana é considerada estratégica para a expansão da gigante bélica – que possui fábricas também nos Estados Unidos e Alemanha. “É uma indústria que tem o foco a exportação de seus produtos para a América Latina e vai ajudar a contribuir para o PIB e geração de emprego do Estado de Goiás”, disse o governador Marconi Perillo.

Matéria Relacionada

Recomendamos a leitura de artigo do Financial Times sobre as perspectivas da Indústria de Defesa dos páises árabes em especial sobre as dos emirados.

Gulf Arab States Push to Develop Their Own Defense Industries FT March 2017 Link


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Especial DitaBranda

Especial DitaBranda

Última atualização 28 JUN, 12:50

MAIS LIDAS

Brasil - Arábia