COBERTURA ESPECIAL - Fronteiras - Terrestre

05 de Janeiro, 2022 - 09:09 ( Brasília )

Operação Ágata: o Exército nas Operações Interagências nas faixas de fronteiras


A Operação Ágata é coordenada pelo Ministério da Defesa e consiste na execução de atividades em ambiente interagências com efetivos militares das Forças Armadas, em interação com órgãos de segurança pública e fiscalização federais e estaduais.

A operação visa intensificar a presença do Estado nas regiões de faixa de fronteira e prevenir, controlar, fiscalizar e reprimir os delitos transfronteiriços, tais como o tráfico de pessoas, drogas, armas e munições, bem como os crimes ambientais.

Em consequência, o Exército Brasileiro vem atuando nas regiões mais periféricas do território para coibir esses ilícitos transfronteiriços e ambientais na faixa de fronteira, contribuindo com a proteção da Amazônia Brasileira e garantindo a soberania nacional na região.

Até o início do último trimestre de 2021, tropas do Comando Militar do Sul, do Comando Militar do Oeste, do Comando Militar da Amazônia e do Comando Militar do Norte já tinham realizado mais de uma centena de operações, totalizando o emprego de mais de 10 mil militares para a salvaguarda das pessoas, dos bens e dos recursos nacionais em uma área de operações que corresponde a 27% do território nacional, onde estão situados 710 municípios, sendo 122 limítrofes e 588 não limítrofes.

A Força Terrestre realizou bloqueios de rodovias montados em pontos de provável entrada de ilícitos. Além disso, revistou embarcações por meio de milhares de missões de patrulhamento fluvial de norte a sul, em calhas de rios como o Javari, na tríplice fronteira amazônica com a Colômbia e o Peru; os rios Guaporé e Paraguai, na fronteira com a Bolívia e o Paraguai, respectivamente; e os rios Paraná e Uruguai, na fronteira com o Paraguai e a Argentina, respectivamente.



Resultados

Durante as operações, o Exército Brasileiro realizou a apreensão de mais de seis toneladas de entorpecentes, resultando em um significativo prejuízo econômico para as organizações criminosas que pretendiam comercializar essas drogas ilícitas no Brasil.

Também foram presos quase 100 criminosos que, deixando de cometer crimes, contribuíram para a melhoria da segurança pública nessa parte do território brasileiro.

O trabalho integrado do Exército com as demais Forças Singulares e os órgãos de segurança pública e fiscalização vem aperfeiçoando as ações contra os ilícitos nas fronteiras, inclusive no combate aos crimes ambientais, o que tem reforçado o sentimento de nacionalismo e de defesa da Pátria nessas regiões sensíveis do Estado brasileiro.



A Força Terrestre permanece de prontidão na extensa fronteira brasileira realizando os patrulhamentos necessários para coibir as diversas atividades ilícitas e, assim, contribuir para a garantia da ordem, da paz e do bem-estar social.


VEJA MAIS