02 de Janeiro, 2014 - 10:30 ( Brasília )

Terrestre

Exército brasileiro comemora participação em missões de paz no mundo

Jubileu de Prata do Prêmio Nobel da Paz conferido às Forças de Manutenção da Paz das Nações Unidas

Diáro de Pernambuco

Com participação em missões de paz mundo afora desde 1948, o Brasil comemorou neste mês de dezembro 25 anos do Prêmio Nobel da Paz, concedido, em 1988, às Forças de Manutenção da Paz das Nações Unidas, da qual o Exército brasileiro fez parte.

A primeira participação do país em uma missão desse tipo aconteceu em 1948, nos Balcãs. Nos 40 anos seguintes, o país enviou tropas também para o Oriente Médio, Nova Guiné, Chipre, República Dominicana, Índia e Paquistão.

Mais recentemente, as Forças Armadas brasileiras estiveram no Timor Leste, onde já encerrou sua missão. Desde 2004, o Exército mantém homens no Haiti, na Companhia de Engenharia e no Batalhão de Infantaria de Força de Paz, Batalhão Haiti.

Cada brasileiro passa em média seis meses em missões de tropa e 12 meses em missões individuais. Atualmente, são mais de 1,4 mil brasileiros no país da América Central. A capital haitiana, Porto Príncipe, foi atingida por um forte terremoto em janeiro de 2010, que deixou mais de 200 mil mortos.

O Prêmio Nobel da Paz é conferido a pessoas ou organizações que estejam envolvidas num processo de resolução de problemas em prol da paz e, neste caso em particular, conforme declaração do então Secretário Geral da ONU, Javier Pérez de Cuéllar, foi um tributo ao idealismo de todos aqueles que serviram à ONU e ao valor e sacrifício daqueles que contribuíram e continuam contribuindo para as operações de manutenção da paz.

No período de 1948 a 1988, o Brasil participou das seguintes missões de paz:

- UNSCOB (Comissão Especial das Nações Unidas nos Balcãs);
- UNEF 1 (Força de Emergência das Nações Unidas no Oriente Médio);
- UNTEA/UNSF (Força de Segurança das Nações Unidas na Nova Guiné);
- UNFICYP (Forças das Nações Unidas no Chipre);
- DOMREP (Missão do Representante Especial do Secretário-Geral da ONU na República Dominicana); e
- UNIPOM (Missão de Observação das Nações Unidas para a Índia e o Paquistão).

Essa participação tem prosseguido em várias regiões do mundo, em especial na Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (MINUSTAH), onde o Brasil está atuando desde 2004, demandando ingentes esforços, sacrifícios e determinação de toda a sociedade brasileira.

Todas essas missões têm contribuído de maneira relevante para o aprimoramento da operacionalidade das tropas brasileiras e, principalmente, para o estabelecimento da paz em nações amigas .   

No momento das comemorações desse Jubileu de Prata, o Exército Brasileiro presta uma homenagem especial aos vários militares brasileiros que já integraram as missões de paz da ONU, bem como àqueles que atualmente estão representando o Brasil mundo afora.