09 de Outubro, 2013 - 09:16 ( Brasília )

Terrestre

Exécito Brasileiro - Projetos Estruturantes

Sentinela da Pátria e Amazônia Protegida

Sentinela da Pátria

O Projeto Estratégico Estruturante Sentinela da Pátria é um portfólio de projetos e de ações estratégicas destinados à reorganização, adequação e aperfeiçoamento da estrutura das organizações militares em todo o território nacional, exceto a região amazônica, incluindo basicamente projetos relacionados à transferência, transformação e implantação de unidades, tendo como objetivo principal proporcionar melhores condições para o cumprimento das missões constitucionais do Exército Brasileiro (EB), em especial a defesa da Pátria.

Atendendo ao Planejamento Estratégico do Exército e em coordenação com os demais projetos estratégicos, como o Amazônia Protegida, o SISFRON e o PROTEGER, o Projeto Sentinela da Pátria permite a evolução da articulação (posicionamento) da Força Terrestre e considera também a manutenção da presença do EB em todas as regiões do Brasil e a capacidade de se fazer presente onde se fizer necessário em defesa dos interesses nacionais.

Amazônia Protegida

O Projeto Estratégico Estruturante Amazônia Protegida é um portfólio de projetos e de ações estratégicas orientadas para a preservação da soberania brasileira sobre a sua região amazônica, tendo a defesa, o desenvolvimento sustentável, a paz social e a preservação ambiental como eixos estruturantes.

O Projeto tem por objetivo a implantação, construção, reorganização, transformação e rearticulação de Organizações Militares (OM) e de Pelotões Especiais de Fronteira (PEF). Também visa a adequação da infraestrutura, a revitalização dos PEF e das OM já existentes, e a implantação de ações que tragam o bem-estar social e a qualidade de vida à família militar e às comunidades do entorno.

EBlog: Com quais recursos o projeto contará para a sua implantação?

Estado-Maior do Exército (EME): Contará principalmente com os recursos alocados ao Programa Calha Norte.

EBlog: Para quando está prevista a conclusão do projeto?

EME: A conclusão está prevista para o ano de 2022, se os recursos forem liberados de acordo com o planejamento ideal do projeto.

EBlog: Quais são as principais entregas do projeto?

EME: O projeto está na fase de implantação e já conta com algumas ações na área do Comando Militar da Amazônia e do Comando Militar do Norte, recentemente ativado. Na área do Comando Militar do Norte, a própria implantação deste comando na cidade de Belém e a futura implantação de uma Brigada na Foz do Amazonas, em Macapá, caracterizando ações relevantes em andamento. Na área do Comando Militar da Amazônia, está em curso a revitalização gradual de todos os Pelotões Especiais de Fronteira existentes.

EBlog: Quais são os principais resultados para o País?

EME: A transversalidade de ações do projeto com os outros projetos estratégicos do Exército, o SISFRON e o PROTEGER, trará benefícios como a geração de empregos e incentivos ao desenvolvimento de atividades econômicas sustentáveis nas comunidades isoladas e a melhoria da Segurança do País, com uma maior ação do Estado na faixa de fronteira. Outro aspecto fundamental é que a infraestrutura criada, na faixa de fronteira, permitirá um incremento das operações interagências, ampliando o combate aos crimes e delitos transfronteiriços.