COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Tecnologia

25 de Maio, 2015 - 16:00 ( Brasília )

Veículo espacial secreto americano é lançado pela quarta vez este ano

Nem todos os drones americanos estão sobrevoando o Sudeste Asiático. Ao menos um está no espaço.

Texto do Allgov.com via Naval open Source Intelligence
Tradução, adaptação e edição – Nicholle Murmel

 

A Força Aérea dos Estados Unidos lançaram na última quarta-feira, em Cabo Canaveral, um veículo espacial X-37B. A aeronave foi ao espaço a bordo do foguete Atlas V e orbitará ao redor da Terra por período indefinido – cerca de um ano ou mais.

 

A USAF conta com duas unidades do X-37B que, assim como os ônibus espaciais, decolam como foguetes e pousam como aviões. Esses modelos não são tripulados, e têm um quarto do tamanho dos ônibus espaciais, agora retirados de serviço. Seu espaço para transporte de carga é cerca do equivalente à caçamba de uma picape. O lançamento da última quarta é a segunda missão conhecida do X-37B.

 

O programa do drone especial é motivo de entusiasmo. “É para coisas bacanas. Por exemplo, ele vai para o espaço, mas, diferente dos satélites, ele pode voltar. Qualquer coisa que colocarmos no compartimento de carga e levarmos ao espaço poderá ser trazida de volta, e podemos aprender com isso”, explicou o General John Hyten, chefe do Comando Espacial da USAF em entevista ao programa 60 Minutes da emissora CBS mês passado.
 

A Força Aérea Americana não revelou qual dos dois X-37B foi lançado. Sabe-se porém que o veículo transportava um propulsor de íons a ser testado e que, caso tenha sucesso, pode revolucionar as viagens espaciais. A missão também levou um painel solar e deve realizar experimentos sobre o efeito do ambiente spacial em diversos materiais.

Uma das missões anteriores do drone espacial chegou a ser suspeita de ter como finalidade espionar a estação espacial chinesa, apesar de a USAF negar a informação. Na entrevista ao 60 Minutes, ao ser perguntado se o X-37B pode vir a se tornar uma arma no futuro, o general Hyten disse: “não posso responder essa pergunta. Não posso dizer o que [o drone] vai se tornar, pois ainda estamos experimentando”.