COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Tecnologia

21 de Agosto, 2014 - 23:30 ( Brasília )

São José homenageia os 21 mortos na tragédia de Alcântara

Nesta sexta-feira, 22 Agosto, serão 11 anos do acidente com o VLS V03, que matou 21 cientistas e técnicos do DCTA.


Júlio Ottoboni

Os familiares dos funcionários do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), de São José dos Campos, e a direção do Sindicato Nacional dos Servidores Públicos Federais na Área de Ciência e Tecnologia promovem, neste dia 22 Agosto 2014, uma homenagem aos 21 mortos do acidente da Base de Lançamentos de Alcântara (MA), ocorrido em 2003 com a queima do foguete VLS. O caso chocou o país e praticamente levou a estaca zero o programa de lançadores de satélites desenvolvidos no Brasil.

 Segundo o presidente da entidade, Ivanil Elisiário Barbosa, além das manifestações dos familiares e amigos está programado 21 disparos em memória de cada um dos mortos. Até hoje o DCTA não conseguiu reestruturar o setor de veículos lançadores, pois perdeu praticamente toda sua equipe de especialistas no acidente.

“Para o próximo ano, quando estaremos dentro do 25º ano de existência do sindicato, faremos uma agenda para se discutir a situação trágica em que se encontra o programa espacial brasileiro, a necessidade de uma política para o setor, a revitalização do DCTA e do INPE e de vários projetos que foram simplesmente abandonados, sem qualquer explicação”, revelou Barbosa,que é funcionário de carreira do DCTA.


 

Desenho do VLS1 - V03 como apresentado no Relatório Final do Acidente

As vítimas do acidente de Alcântara, que foram mortas enquanto checavam as condições do VLS na torre de lançamento, eram praticamente todas de São José dos Campos. O foguete que levaria um dos satélites nacionais ao espaço apresentava uma forte corrente de eletricidade estática em seu corpo, o que acabou por ocasionar o acendimento involuntário de um dos boosters de ignição do motor do primeiro estágio de voo.

Com as chamas atingindo uma média de 3 mil graus centígrados, os funcionários, entre engenheiros, projetistas e técnicos, foram mortos no local do acidente e a torre de lançamento da base de Alcântara foi totalmente destruída. O local ficou fechado por vários anos e o governo federal tenta reativá-lo por meio da empresa binacional, criada com a Ucrânia, a Cyclone. A intenção é transformar o local num centro de lançamentos de satélites que tenha apelo comercial na área aeroespacial.

Os membros do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), falecidos por ocasião do acidente ocorrido no Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), dia 22 de agosto de 2003, às 13h30:

1. Amintas Rocha Brito
2. Antonio Sergio Cezarini
3. Carlos Alberto Pedrini
4. Cesar Augusto Costalonga Varejão
5. Daniel Faria Gonçalves
6. Eliseu Reinaldo Moraes Vieira
7. Gil Cesar Baptista Marques
8. Gines Ananias Garcia
9. Jonas Barbosa Filho
10. José Aparecido Pinheiro
11. José Eduardo de Almeida
12. José Eduardo Pereira II
13. José Pedro Claro Peres da Silva
14. Luis Primon de Araújo
15. Mario Cesar de Freitas Levy
16. Massanobu Shimabukuro
17. Mauricio Biella de Souza Valle
18. Roberto Tadashi Seguchi
19. Rodolfo Donizetti de Oliveira
20. Sidney Aparecido de Moraes
21. Walter Pereira Junior"

 
O Relatório Final pode ser baixado diretamente do DefesaNet

O Relatório da Investigação do Acidente Ocorrido com o VLS-1 V03, em 22 de Agosto de 2003, em Alcântara , Maranhão. Link