COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Tecnologia

13 de Fevereiro, 2014 - 14:25 ( Brasília )

AEB - 20 Anos da Agência Espacial Brasileira

Selo comemorativo à data foi lançado durante a cerimônia


 

Nota DefesNet,

AEB - Discurso Comemorativo 20 Anos Agência Espacial Brasileira Link

O Editor




A Agência Espacial Brasileira (AEB) comemorou na tarde de segunda-feira (10), em Brasília, 20 anos de atividades. A cerimônia, realizada na sede do órgão, contou com a apresentação do selo comemorativo alusivo a data, criado pelos Correios. Foram homenageados 24 servidores com mais de nove anos de trabalho prestados à instituição.

Em seu discurso, Raimundo Coelho, presidente da AEB, lembrou o histórico da autarquia, criada em 10 de fevereiro de 1994, com o objetivo de promover, formular e coordenar a política de desenvolvimento das atividades espaciais. Ele também fez um balanço do Programa Espacial Brasileiro e do papel desempenhado pela AEB para que ele atingisse o patamar em que se encontra. "Sem dúvida, foi o esforço e a dedicação dos funcionários o fator primordial para que isso ocorresse nestes 20 anos", destacou.

Coelho falou sobre o papel articulador da Agência e sua atuação nas parceria com os diversos atores do setor - Ministério da Aeronáutica, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e indústria. "Nosso programa é essencialmente voltado para as necessidades da população brasileira; então, nada mais justo do que contarmos com todos os representantes da sociedade para tomarmos decisões conjuntas", frisou o presidente.

O ministro em exercício do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Luiz Antonio Elias, também participou da solenidade e ressaltou em seu discurso o esforço do governo brasileiro para impulsionar o setor espacial. "Estamos ampliando cada vez mais o nível de instrumentos e a possibilidade, tanto em recursos não reembolsáveis e em projetos cooperativos, quanto na subvenção econômica e no crédito, para responder a percepção de demanda da indústria", explicou.

Elias apresentou o quadro da evolução do orçamento da Agência, que passou de R$ 23 milhões, em 2002, para R$ 310 milhões em 2014. Ele destacou, ainda, os recursos direcionados à subvenção econômica (R$ 150 milhões, via Finep), mais R$ 41 milhões para projetos cooperativos, além de R$ 3 bilhões, por meio do Plano Inova Empresa, para a defesa (área com grande interface com o setor). "Isso dá uma percepção clara da consideração do governo em relação ao segmento espacial brasileiro", afirmou.

A presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Helena Nader, também participou do evento e falou sobre a importância da AEB para a sociedade brasileira, principalmente no quesito segurança. "Um País que não domina os projetos aeroespaciais fica sujeito a extrair essas tecnologias de outros países. Precisamos investir nesta área. Tenho orgulho da AEB. Ela faz um esforço muito grande para nos colocar na fronteira do conhecimento", observou.

Helena Nader aproveitou para agradecer a Agência pela parceria com a SBPC nos programas do AEB Escola, que visam desenvolver e divulgar as atividades espaciais.

O evento também contou com a presença dos ex-presidentes da Agência, Sérgio Maurício Gaudenzi, Mucio Roberto Dias e Carlos Ganen, do diretor geral do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Carlos Perondi, representantes do setor aero industrial e diversas outras autoridades civis e militares.

Concurso

Durante a solenidade, Coelho falou sobre a realização do primeiro concurso público para a contratação de 150 servidores ainda em 2014, que segundo ele, vai ajudar a desenvolver ainda mais o programa de atividades espaciais junto com aos institutos.

Programa Espacial Brasileiro (PEB)

O presidente da AEB aproveitou as homenagens para ressaltar o papel da Agência na administração do Programa Nacional de Atividades Espaciais (Pnae), que é executado pelas instituições que integram o Sistema Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (Sindae).

Entre os órgãos setoriais que compõem o Sindae destacam-se o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), do MCTI, e o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), do Comando da Aeronáutica (Comaer), do Ministério da Defesa (MD), que são responsáveis pela execução dos principais projetos e atividades estratégicos do PNAE.