COBERTURA ESPECIAL - Panorama Haiti - Terrestre

16 de Outubro, 2013 - 10:55 ( Brasília )

Batalhão campineiro é estratégico, afirma comandante


Correio Popular


Além de encaminhar cerca de 300 militares — de um total de 1,2 mil — para mais uma missão de paz no Haiti a partir de dezembro, Campinas também tem despontado como uma referência cada vez mais estratégica dentro do Exército brasileiro. Quem afirma é o general Adhemar da Costa Machado Filho, comandante militar do Sudeste-Estado de São Paulo, que visitou na manhã desta terça-feira (15) o Batalhão de Infantaria do 19 Contingente de Força de Paz (Brabat 19), no Jardim Chapadão, que prepara a tropa paulista para a ação humanitária no país caribenho.

"Além de outras missões no Haiti, os militares daqui estiveram por duas vezes nas missões de pacificação dos complexos do Alemão e da Penha, no Rio de Janeiro, e essa foi considerada a melhor atuação de todas as tropas que o Exército já mandou para esse tipo de missão", afirmou o general. "Esses 1,2 mil homens vão com uma noção exata da missão que têm. Conhecem a cultura haitiana e o sofrimento daquele povo e vão com o espírito de colaborar", reforçou o general.

Ainda em relação à preparação da tropa que vai para o Exterior, a partir do próximo dia 21 serão realizadas diversas simulações de ações militares nas cidades de Campinas, Sumaré e Nova Odessa. Tudo faz parte dos estágios Básico de Operações de Paz e Avançado de Operações de Paz. Durante a manhã, militares do Paraguai que vão acompanhar os brasileiros nessa ação no Haiti também receberam o seu gorro azul, símbolo da partição na missão de paz da ONU. Este já é o 14º pelotão paraguaio que participa da ação. "Participar disso é muito importante para a República do Paraguai", disse o tenente-coronel paraguaio Edgar Aguirre.