08 de Janeiro, 2016 - 01:00 ( Brasília )

Pensamento

As Meretrizes Baratas do Feminismo

Os eventos na Alemanha na passagem do Ano Novo têm sido tratados de uma forma absurda, pela imprensa, autoridades policiais e os governos municipais e federal do país.


Paulo Eneas

Analista político nacional e internacional
É editor do blog Critica Nacional
 pauloeneas@hotmail.com


As feministas não passam de meretrizes baratas a serviço dos homens que chefiam e comandam a esquerda globalista internacional. O cinismo e a dissimulação e a falta de caráter das feministas ficaram mais uma vez evidenciados pelo silêncio de suas lideranças e de suas milionárias entidades, após dezenas e dezenas de mulheres alemãs terem sido vítimas de agressões sexuais e estupros praticados por muçulmanos na cidade de Colônia, na Alemanha, durante a virada do ano.

A prefeita da cidade, Henriette Reker, seguidora fiél da agenda globalista da esquerda, inicialmente procurou ocultar a ocorrência dos atos de violência. Em seguida, tentou negar que os muçulmanos estrangeiros tivessem sido os autores das agressões. Diante das dezenas de depoimentos das vítimas, confirmando que os agressores eram muçulmanos, Henriette Reker afirmou que a responsabilidade pela violência é das mulheres agredidas, uma vez que elas não estão sabendo se adequar, do ponto de vista comportamental, ao novo ambiente multiculturalista da Alemanha.

O cinismo e o mau-caratismo desse tipo de afirmação só não são maiores do que o cinismo e o mau-caratismo das feministas em face de seu silêncio ante a própria afirmação da prefeita e ante aos próprios atos de violência que foram cometidos. Episódios como esse servem para desmascarar de vez a farsa que representa e sempre representou o chamado movimento feminista.
 
O feminismo nunca esteve preocupado com a defesa das mulheres. O feminismo não passa de um braço da esquerda marxista e de sua agenda ideológica. Uma agenda em que o item prioritário é o apoio ao islamismo e à invasão do ocidente pelos muçulmanos.

Cabe ao feminismo e às meretrizes contratadas para serem militantes do feminismo, uma tarefa menor, mas igualmente sórdida: promover o assassinato de fetos por meio do eufemismo de direitos reprodutivos da mulher, fazer a defesa e a apologia da pedofilia, e atacar e vilipendiar a instituição da família nas democracias ocidentais, como forma de desestabilizar e desestruturar ainda mais a sociedade, para que assim a esquerda marxista possa implementar sua agenda mais facilmente.

É para isso que uma feminista serve: fazer o serviço que os homens que chefiam a esquerda marxista internacional mandam, e ficar de boquinha fechada quando eles assim o determinam.


Nota DefesaNet

Os eventos que ocorreram em várias cidades da Alemanha na passagem do Ano Novo, em especial na cidade de Colônia tem sido tratados pela: imprensa, autoridades policiais e governos estaduais e federal da Alemanha de uma forma criminosa contra os fatos.

O pensador Paulo Eneas apresenta uma análise sobre o polticamente correto aplicado de forma totalmente deformada.

O Editor