06 de Fevereiro, 2013 - 14:40 ( Brasília )

FREMM - Fragata Aquitaine atira com sucesso seu primeiro míssil Aster




A primeira Fragata Multimissão (FREMM) francesa realizou ontem com sucesso um lançamento do míssil superfície-ar Aster 15 no campo de testes do DGA francês das Ilhas du Levant, no Mar Mediterrâneo.
 
“Este lançamento permitiu aos marinheiros da FREMM Aquitaine consolidar a validação de todas as etapas de lançamento do sistema do míssil Aster 15 a partir de uma FREMM. Estas etapas começam a partir da preparação do míssil até a destruição efetiva do alvo, passando pela fase de detecção do alvo pelo radar e das atividades dos operadores do sistema de combate do barco.” Explica o Capitão de Navio Benoît Rouvière, comandante da fragata.
 
A FREMM Aquitaine poderá se equipar com até 16 mísseis Aster 15, sendo ele desenvolvido para se opor aos mais modernos mísseis anti-navios e contra atacar possíveis ataques de saturação, se tornando o principal meio de defesa da FREMM contra ameaças aéreas.
 
A Fragata de 142 metros de comprimento e de capacidade de 6000 toneladas também é equipada com 8 mísseis Exocet MM40 Block3 e 16 mísseis de cruzeiro Scalp Naval (MdCN), todos produzidos pela MBDA. A Aquitaine também dispõe de torres de 76mm, tubos de lança torpedos de MU90  e de um helicóptero Caïman Marine (NH90).
 
7 classes de navios equipados com o sistema Aster
 
Dentro da fase de Verificação das Capacidades Militares (VCM) da FREMM Aquitaine, necessário para o serviço ativo da embarcação (previsto para o fim do ano), marca a introdução do míssil da MBDA a uma nova plataforma de lançamento.
 
Antes de ser instalado na FREMM francesa, o Aster foi instalado pela primeira vez no porta aviões francês Chales de Gaulle, sendo posteriormente operado em outras Fragatas: 3 da Arábia Saudita (Tipo F3000), 6 Cingalesas (Classe Delta), 4 Franco-Italianas (Tipo Horizon).  Além de também ser equipado em 6 Destroieres Britânicos (Tipo 45).
 
O sistema Aster, até o momento, obteve uma encomenda de 11 exemplares pela França e também equipará o futuro navio de desembarque e suporte logístico da Argélia, que se encontra atualmente em construção na Itália.