COBERTURA ESPECIAL - Guerra Hibrida Brasil - Editorial

09 de Novembro, 2017 - 01:09 ( Brasília )

EDITORIAL - Na Autofagia da Guerra Híbrida, Globo Fuzila seus Soldados



Editorial DefesaNet

Na Autofagia da Guerra Híbrida, Globo Fuzila seus Soldados




Na noite de quarta-feira (08NOV2017), o agora chamado Grupo Globo, emitiu uma nota comunicando o afastamento do jornalista Willian Waack, do comando do Jornal da Globo e provavelmente do programa Painel da GloboNews, apresentado aos sábados à noite.

A nota da Globo:

“A Globo é visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações. Nenhuma circunstância pode servir de atenuante. Diante disso, a Globo está afastando o apresentador William Waack de suas funções em decorrência do vídeo que passou hoje a circular na internet, até que a situação esteja esclarecida.

Nele, minutos antes de ir ao ar num vivo durante a cobertura das eleições americanas do ano passado, alguém na rua dispara a buzina e, Waack, contrariado, faz comentários, ao que tudo indica, de cunho racista. Waack afirma não se lembrar do que disse, já que o áudio não tem clareza, mas pede sinceras desculpas àqueles que se sentiram ultrajados pela situação.

William Waack é um dos mais respeitados profissionais brasileiros, com um extenso currículo de serviços ao jornalismo. A Globo, a partir de amanhã, iniciará conversas com ele para decidir como se desenrolarão os próximos passos.”


A nota apresentada e o motivo, em tudo mostram, que foi um evento articulado nos porões do próprio Grupo Globo.

Sem coragem de dizer publicamente o motivo, que suas teses de Guerra Híbrida contra o Brasil, momentaneamente focadas no Governo Michel Temer começam a ruir, e o jornalista já não seguia cegamente.  

O jornalista Waack estava dando liberdade aos seus entrevistados, em  especial no Painel, sem patrulha apresentaram opiniões favoráveis ao Governo Michel Temer. O programa, apresentado 28 Outubro merece ser analisado. O tema do programa era:  Governo Temer: mais do mesmo?



 

Programa Painel do 28 de Outubro 2017.



Participaram; Samuel Pessoa (pesquisador IBRE), Brasilio Sallun Jr (USP) e Marcelo Issa (Pulso Público). Que apresentaram suas opiniões livremente sem serem censurados por Waack. (link do programa https://globosatplay.globo.com/globonews/v/6251702/)

DefesaNet não conseguiu confirmar a informação de que o jornalista já tinha sido advertido.

O resultado foi pegar um vídeo que está há um ano nos arquivos da Globo, com uma situação obscura escolhida a dedo. Resultado afastamento do jornalista por motivos éticos. Uma boa estória de cobertura para uma ação sórdida.

Será substituído por um/a jovem jornalista cumpridor de ordens e sem opinião.

Sintomático, que nos 100 anos do Golpe de 1917, revivemos os tristes julgamentos de Moscou, dos períodos de Josef Stalin, agora travestidos de ética.

A autofagia da Guerra Híbrida, da Troika Marinho, não ficará somente no jornalista Willian Waack, nas hostes do Grupo Globo.

Talvez nem seja necessário criar os pelotões para a Síndrome von Stauffenberg.



Ver matéria Relacionada

 

EDITORIAL - Síndrome von Stauffenberg Link


VEJA MAIS