26 de Setembro, 2014 - 10:24 ( Brasília )

Defesa

EXCLUSIVO: Moura Neto prepara Barbosa Guerra para a sucessão

Opção do chefe do Estado-Maior da Armada de aceitar vaga no STM, deixa sucessão na Marinha entre Barbosa Guerra e Leal Ferreira


EXCLUSIVO: Moura Neto prepara
Barbosa Guerra para a sucessão

Roberto Lopes
Exclusivo para DefesaNet

 
A surpreendente decisão do chefe do Estado-Maior da Armada (EMA), almirante-de-esquadra Carlos Augusto de Souza, de não permanecer na administração da Marinha, e, dessa forma, não se envolver no processo de sucessão do atual comandante, almirante Julio Moura Neto, movimentou o cenário político da cúpula da Força Naval, que parecia já delineado.

Considerado um oficial culto, admirado por seu idealismo, o almirante Carlos Augusto, natural do estado de Sergipe, era o candidato natural ao cargo de Moura Neto. Mas ele preferiu assumir a vaga que a Marinha tem em aberto no Superior Tribunal Militar (STM).

Com sua transferência para o STM, Carlos Augusto passará a chefia do EMA para o atual Comandante de Operações Navais e Diretor Geral de Navegação, almirante Wilson Barbosa Guerra – que, pelo critério de antiguidade, passa a ser também o mais cotado para receber a indicação de Moura Neto à sua sucessão.

Um almirante-de-esquadra que já deixou a ativa mas ainda priva da intimidade dos atuais quatro estrelas informou a DefesaNet que, nesse momento, Moura Neto já até vem preparando Barbosa Guerra para assumir o comando da Força.

Entre a oficialidade, o comandante do CON sempre foi considerado como um nome que asseguraria continuidade aos sete anos da gestão Moura Neto na corporação.

A Era Moura Neto foi um dos períodos que proporcionou maior transformação à Marinha do Brasil, abrindo à Força perspectivas de renovação e futuro que acabaram por superar as expressivas conquistas obtidas pelos chefes navais nos cinco anos de comando do almirante-de-esquadra Maximiano da Silva Fonseca (março de 1979 a março de 1984).

Nos últimos tempos, apesar de dotada de um sistema de Comunicação Social cujo desempenho está aquém das suas necessidades, a Marinha obteve certa projeção na mídia brasileira e até no plano internacional.

O advento de Barbosa Guerra no comando da Força Naval pode, entretanto, ser contestado pelo prestígio do atual comandante da Escola Superior de Guerra, almirante-de-esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira – tido na corporação como um de seus quatro estrelas mais brilhantes.

De acordo com a fonte de Defesanet, Leal Ferreira, que no passado já indicou seu desejo de comandar a Marinha a partir de 2015, estaria agora exibindo uma “tendência” de acomodar-se em uma nova vaga que se abrirá para a Marinha no STM, em maio de 2015, com a aposentadoria do almirante Álvaro Luiz Pinto.

Em círculos de governo, entretanto, admite-se que Leal Ferreira ainda venha a disputar a posição de 01 da Marinha do Brasil.