COBERTURA ESPECIAL - Base Industrial Defesa - Terrestre

15 de Janeiro, 2014 - 12:44 ( Brasília )

KMW - Começa obra da fábrica de blindados em Santa Maria

Cerca de 100 operários deram início ontem à construção do pavilhão da KMW. Conclusão levará seis meses

 


Publicado Jornal A Razão de Santa Maria em 14 Janeiro 2013



Por Marcos Fonseca


Começou ontem (13JAN14) a ser erguida a fábrica de blindados de Santa Maria. A unidade do grupo alemão Krauss-Maffei Wegmann (KMW), destinada a atender a América do Sul, deve ficar pronta em apenas seis meses. A partir do segundo semestre deste ano, a empresa dará início à primeira fase do seu investimento no Brasil, com a manutenção de veículos do Exército.

Na semana passada, começaram a chegar na cidade os caminhões com materiais. O serviço está sob responsabilidade da Construtora Viero, de Erechim, especializada em obras industriais. A empresa é a mesma que está construindo a sede da fábrica de elevadores Hyundai, em São Leopoldo, investimento de mais de R$ 50 milhões que chegou a ser cobiçado por Santa Maria.

O gerente de Qualidade e Marketing da Viero, Alessandro Emilio Valmorbida, informa que cerca de 100 pessoas trabalham para a KMW. A estrutura do pavilhão da fábrica de blindados é basicamente de pré-moldados, o que assegura a rapidez do serviço. Segundo Valmorbida, a maioria dos trabalhadores foi recrutada em Santa Maria. Apenas a equipe de apoio, com engenheiros, mestres e encarregados, é de Erechim e está na cidade para conduzir os trabalhos.

Ao longo desta semana, devem começar a ser instaladas as bases do pavilhão pré-moldado. A estrutura é feita pela própria Viero, com materiais especiais. A cobertura será de metal.

O complexo industrial fica num terreno adquirido pelo grupo alemão às margens da BR-287, perto do campus da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra). O valor do investimento não é informado. O gerente-geral da KMW em Santa Maria, Christian Böge, confirma a inauguração no segundo semestre, mas ainda há data definida.

Unidade iniciará com 50 empregados

A fábrica de blindados é um dos mais importantes investimentos feitos em Santa Maria nas últimas décadas. O gerente Christian Böge, afirma que a empresa tem 30 empregados e, quando começar as operações, terá 50 funcionários. Em função da demora de mais de um ano para obter a primeira licença do investimento, o projeto sofreu modificações.

Neste ano, a fábrica ficará restrita à manutenção de blindados do Exército brasileiro. A pista de testes dos veículos, projetada para ser construída este ano, ficará para 2015. “O melhor é que houvesse, mas isso não prejudica dos testes”, garante Böge. O gerente prefere não revelar detalhes das negociações com as forças armadas de países da América do Sul, mercado ao qual a fábrica da KMW de Santa Maria está dirigida.

A construção da fábrica de blindados encerra um capítulo da longa novela que marcou a chegada do grupo alemão à cidade. A primeira licença ambiental emitida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) demorou um ano, alterando o cronograma dos investimentos. Agora ainda falta uma última licença, a da operação, que permitirá o início das atividades da fábrica. Para isso, no entanto, Böge garante já estar preparado. “Já estamos mais preparados para o procedimento entre governo do Estado e a Fepam”, assegura.



 

Nota DefesaNet

O início das obras da instalação da empresa KMW, em Santa Maria, foi retarda pela burocracia do governo do Estado do Rio Grande do Sul, ao não liberar a licença ambiental para o empreendimento.

O editor