COBERTURA ESPECIAL - Venezuela - Geopolítica

04 de Agosto, 2021 - 11:11 ( Brasília )

Painel da OEA insta TPI a investigar crimes contra a humanidade na Venezuela


A Procuradoria do Tribunal Penal Internacional (TPI) deve iniciar uma investigação sobre crimes contra a humanidade na Venezuela o mais rápido possível, instou nesta segunda-feira (2) um painel de especialistas internacionais independentes da OEA, que há três anos já havia feito esta recomendação.

Qualquer demora seria inadequada e só causaria maiores danos ao povo venezuelano, e permitiria que crimes contra a humanidade e graves e sistemáticas violações dos direitos humanos continuassem a ser cometidos”, advertiu, segundo nota da Organização dos Estados Americanos (OEA).

O grupo de especialistas foi convocado em 2017 pelo secretário-geral da OEA, Luis Almagro, e é composto pelos juristas Manuel Ventura Robles (Costa Rica), Santiago Cantón (Argentina) e Irwin Cotler (Canadá).

O painel disse que "é oportuno anunciar o início da investigação" sobre a Venezuela depois que uma câmara preliminar do tribunal rejeitou em 2 de julho um pedido de controle judicial apresentado pelo governo de Nicolás Maduro, considerando-o "inadmissível".

A ex-procuradora Fatou Bensouda afirmou no final de 2020 que havia "uma base razoável" para acreditar que foram cometidos na Venezuela crimes dentro da jurisdição do TPI. Em junho, ao deixar o cargo, Bensouda indicou que pretendia abrir a investigação, mas no último minuto um recurso de Caracas a impediu de fazê-lo.

O relatório do painel da OEA, enviado em setembro de 2018 à Procuradoria do TPI, cita assassinatos, prisões, torturas, estupros e outras formas de violência sexual contra opositores na Venezuela, assim como perseguições e desaparecimentos forçados, com evidências que datam de "pelo menos 12 de fevereiro de 2014".

O governo de Maduro, no poder desde 2013, disse que o caso contra ele foi criado "artificialmente", e enviou vários relatórios à Procuradoria do TPI contestando o que descreveu como "uma grande farsa".

O TPI, com sede em Haia, é regido pelo Estatuto de Roma, um tratado ratificado por 123 países, incluindo a Venezuela, que entrou em vigor em 2002.

A Procuradoria do TPI examina a situação na Venezuela desde fevereiro de 2018, após as massivas manifestações antigovernamentais de abril de 2017, que deixaram pelo menos 125 mortos.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Task Force Brazil

Task Force Brazil

Última atualização 21 SET, 01:00

MAIS LIDAS

Venezuela