COBERTURA ESPECIAL - TOA - Defesa

27 de Janeiro, 2022 - 09:09 ( Brasília )

Programa Calha Norte leva desenvolvimento à Amazônia Legal e amplia em 40% o número de municípios atendidos


Mariana Alvarenga


O Programa Calha Norte (PCN), do Ministério da Defesa, iniciará as atividades em 2022 com a ampliação de 40% no número de municípios atendidos em relação ao ano passado. Para este ano, estão previstos R$ 625,9 milhões de investimentos para a realização de obras de infraestrutura (como escolas, creches, pontes, pavimentação de estradas e implantação de sistema de rede elétrica e iluminação pública).

O montante também será investido na aquisição de equipamentos, incluindo caminhões, tratores, retroescavadeiras; e na melhoria da infraestrutura e na compra de bens em quartéis na área de atuação do Programa. Esses recursos contribuem para a promoção do desenvolvimento regional da região da Amazônia Legal, principalmente em áreas de difícil acesso e distantes dos grandes centros urbanos.

Ao longo de seus 36 anos, o Programa Calha Norte tem mudado a vida de muitas pessoas que moram em pequenas comunidades da Amazônia Legal. Obras e equipamentos foram entregues às populações mais isoladas, principalmente na área de fronteira”, destaca o Diretor do Programa, General de Divisão R/1 Ubiratan Poty.

Maior cobertura

A ampliação da cobertura se deve ao aumento de municípios nos estados de Tocantins e Pará, que tiveram o incremento, de 91 e 86 cidades, respectivamente. O programa, que atendia até dezembro do ano passado, 442 municípios, atenderá este ano a 619 cidades localizadas em 10 estados (Acre, Amazonas, Roraima, Amapá, Pará, Rondônia, Maranhão, Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul). Com isso, cerca de 24 milhões de brasileiros serão beneficiados por meio das ações do Calha Norte.

Atuação

O PCN executa as obras de infraestrutura por meio de parceria entre o Poder Executivo e o Poder Legislativo. Parlamentares direcionam recursos ao Ministério da Defesa, que analisa os projetos e acompanha toda a execução e entrega das obras. Para conferir se cada empreendimento foi concluído conforme tais projetos, engenheiros e supervisores do PCN vistoriam as obras presencialmente.

Ir a todas as obras de responsabilidade do DPCN é um diferencial na gestão do Programa. Para isso, os técnicos do Programa se valem de todos os modais de transporte que a região amazônica exige, aéreo, terrestre e fluvial”, enfatizou o General Poty.

A iniciativa também atua na implantação, adequação e ampliação de organizações militares situadas em áreas de difícil acesso. Os recursos são provenientes do Orçamento, direcionados às Forças Armadas e empregados para ações como: controle e segurança da navegação fluvial, manutenção da infraestrutura instalada nos Pelotões Especiais de Fronteira (PEF) e apoio às comunidades, com evacuação aeromédica.


VEJA MAIS