COBERTURA ESPECIAL - Task Force Brazil - Geopolítica

08 de Maio, 2022 - 20:20 ( Brasília )

TFBR - O descompasso do Chanceler Carlos França

O Itamaraty anda em círculos e sabota as diretrizes do presidente Jair Bolsonaro

O descompasso do Chanceler Carlos França

 

Especial DefesaNet
Texto Atualizado


Um evento recente demonstra o quanto a chefia do Itamaraty está fora de sintonia com as diretrizes do Presidente Jair Bolsonaro. O Chanceler Carlos França agiu nos bastidores para evitar que o nome de Marcos Degaut, Secretário de Produtos de Defesa (SEPROD), do Ministério da Defesa e indicado por Bolsonaro para chefiar a Embaixada em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, fosse incluído na rodada de 7 sabatinas que a Comissão de Relações Exteriores do Senado realizará no dia 11/5.

Cedendo a pressões corporativistas e à ala esquerdista do Itamaraty, que vê em Degaut (cuja indicação foi avalizada pelo setor produtivo e não foi objeto de ataque nem mesmo de senadores de esquerda) um “outsider” e alguém muito próximo do Presidente, o Chanceler e seus assessores mais próximos fizeram gestões junto à CRE e ao Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, para que a sabatina do indicado para a Embaixada em Abu Dhabi fosse deixada de fora do “pacote”, que foi divulgado sexta-feira (06MAIO).

Pacheco, aliás, ainda não leu nem despachou a Mensagem Presidencial que indica Degaut como Embaixador do Brasil nos Emirados Árabes. O ato foi publicado no Diário Oficial da União, de 20 de abril, juntamente com a Mensagem que indica o diplomata Juliano Féres como Representante Permanente do Brasil junto à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, em Lisboa. O Presidente do Senado leu e despachou o ato de indicação de Féres, que será sabatinado pela CRE em 11 MAIO.

Comenta-se, no Itamaraty, que a ação de França para minar a indicação de Degaut não é motivada por antipatia do Chanceler pelo indicado, e sim por uma estratégia de “seguro de carreira” do atual chefe do Itamaraty: ao ceder às pressões corporativistas e assim contrariar as linhas da política externa do Presidente Jair Bolsonaro, França estaria antecipando a possibilidade de retorno do PT ao poder, buscando “ficar bem na fita” com o possível alto escalão de um Itamaraty petista.

Tempos estranhos estes em que o órgão constitucionalmente responsável pelo assessoramento do Presidente da República em matéria de política externa age, na pessoa de seu diplomata mais graduado, precisamente para sabotar as diretrizes presidenciais.


Matéria Relacionada

SIMDE - Designação de Embaixadores é prerrogativa exclusiva do Presidente
09 Maio 2022 - SIMDE DefesaNet



 


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


US RU OTAN

US RU OTAN

Última atualização 06 JUL, 11:50

MAIS LIDAS

Task Force Brazil