COBERTURA ESPECIAL - Especial Terror - Geopolítica

23 de Dezembro, 2021 - 11:00 ( Brasília )

EUA sanciona membros de rede vinculada a Al Qaeda no Brasil


Os Estados Unidos impuseram sanções econômicas contra três indivíduos identificados como integrantes de uma rede situada no Brasil que possui vínculos com a Al Qaeda, além de duas empresas, "por oferecer apoio ao grupo terrorista", informou nesta quarta-feira (22) o Departamento do Tesouro americano.

"As designações de hoje [22] ajudarão a negar o acesso do grupo ao setor financeiro formal", assinalou subsecretário do Tesouro, Brian E. Nelson.

"As atividades contínuas desta rede baseada no Brasil revelam que a Al Qaeda continua sendo uma ameaça terrorista global", declarou o secretário de Estado americano, Antony Blinken, em outro comunicado.

O grupo terrorista e as organizações regionais vinculadas a ele se financiam graças às arrecadações de fundos individuais nos países do Golfo Pérsico e em outras partes do mundo.

"Os Estados Unidos estão comprometidos a trabalhar com nossos parceiros, inclusive o Brasil, para atrapalhar as redes de apoio financeiro da Al Qaeda", afirmou Blinken.

Entre os indivíduos sancionados se destaca Haytham Ahmad Shukri Ahmad Al Maghrabi, que chegou ao Brasil em 2015 e foi um dos membros iniciais de uma rede de apoio da Al Qaeda no país, segundo o Departamento do Tesouro americano.

Al Maghrabi tinha frequentes contatos e negócios para compra de moeda estrangeira de um outro indivíduo filiado à rede no Brasil. Além disso, Al Maghrabi reportava e era o contato no Brasil de Ahmed Mohammed Hamed Ali, que foi incluído na lista de terroristas globais em 2001, segundo Washington.

Outro sancionado é Mohamed Sherif Mohamed Mohamed Awadd, que chegou ao Brasil em meados de 2018 e "desempenhou um papel importante em um grupo vinculado à Al Qaeda com sede no país e participou da impressão de moedas falsas".

Segundo o governo americano, Awadd é o único sócio da empresa de móveis Home Elegance Comércio de Móveis EIRELI, com sede em São Paulo, que também é alvo das sanções.

O terceiro citado na lista de Washington é Ahmad Al Khatib, responsável da Enterprise Comércio de Móveis e Intermediação de Negócios EIRELI, outra companhia registrada em São Paulo e também incluída nas sanções.

Os três indivíduos são acusados de "auxiliar materialmente, patrocinar ou fornecer apoio financeiro ou tecnológico, ou bens ou serviços" à organização terrorista fundada por Osama Bin Laden.

Como resultado, o Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC, na sigla em inglês) do Departamento do Tesouro bloqueou todos os seus bens e interesses sob jurisdição dos Estados Unidos.

Além disso, e a menos que haja uma autorização especial, os regulamentos do OFAC proíbem as transações efetuadas por cidadãos americanos, dentro ou fora dos Estados Unidos, destinadas aos indivíduos ou entidades sancionadas.

Para limitar o fluxo de financiamento da Al Qaeda em nível mundial, os Estados Unidos recorreram a ferramentas financeiras que incluem a designação de quase 300 indivíduos e entidades afiliadas a esta e outras organizações em Afeganistão, Paquistão, Golfo Pérsico, África e outras regiões.

  Leia também:
::

PCC - EUA incluem PCC em lista de sanções a grupos ligados ao tráfico de drogas[Link]


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Intel

Intel

Última atualização 24 MAI, 18:30

MAIS LIDAS

Especial Terror