COBERTURA ESPECIAL - Tank - Terrestre

22 de Setembro, 2016 - 11:00 ( Brasília )

Armata será invulnerável a projéteis de urânio empobrecido da OTAN


Um novo sistema de proteção ativa criada pelos cientistas russos pode tornar o carro de combate russo Armata invulnerável a projéteis de urânio empobrecido (DU) capazes de perfurar o casco blindado.

O sistema de proteção ativa Afganit é destinado a proteger os Armatas contra vários tipos de foguetes e granadas anti-tanque. Agora os cientistas do Bureau de Design de Instrumentos KBP fizeram com que o sistema seja capaz de interceptar e destruir munições de urânio empobrecido, informou o jornal russo Izvestia.

As munições de urânio empobrecido (DU) foram utilizadas pela primeira vez pelos EUA durante a Guerra do Golfo de 1990-1991. O uso de urânio em munições lançadas de carro de combates norte-americanos M1A1 Abrams permitiu literalmente reduzir a cinzas os carros de combates iraquianos das linhas soviética T-55, T-62 e T-72. Entretanto, esta vitória trouxe também diversas consequências – os efeitos tóxicos prejudicaram gravemente a saúde dos soldados e o meio-ambiente. Apesar disso, o Pentágono e a OTAN continuam dizendo que o uso de tais munições é absolutamente seguro.

"Os primeiros testes de intercepção de munições de urânio empobrecido foram realizados neste ano. O novo sistema de proteção ativa consegue fazer frente a este tipo de projéteis, apesar de até o momento a intercepção de munições de urânio empobrecido ser considerada impossível. Foi prestada especial atenção à resolução do problema de uso pelos veículos blindados da OTAN de projéteis de urânio empobrecido", disse a fonte no Ministério da Defesa da Rússia.

O sistema Afganit faz parte dos equipamentos do Carro de Combate russo T-14 Armata e dos veículos de infantaria pesado T-15. Além disso, alguns componentes do sistema estão presentes em vários tipos de outros veículos blindados russos.

O traço distintivo do novo carro de combate T-14 Armata

O novo carro de combate T-14 Armata é capaz de disparar qualquer tipo de munição de calibre 125 mm, anunciou o chefe da Direção-Geral de Automóveis e Blindados do Ministério da Defesa da Rússia, tenente-general Aleksandr Shevchenko, em entrevista à agência RIA Novosti.

"O carro de combate Armata pode disparar todos os tipos de munições de calibre 125 mm, essa é a particularidade desse veículo. Se for desenvolvido um projétil mais moderno, esse carro de combate poderá usá-lo", explica Shevchenko.

O T-14 Armata é hoje o único carro de combate de terceira geração no mundo. Equipado com um motor de 1.800 cavalos de potência, um canhão de alma lisa de 125 mm e uma metralhadora de controle remoto de 7,62 mm, o Carro de Combate é operado por três tripulantes numa cápsula blindada localizada na frente do veículo.

Ele é construído com base na plataforma universal de combate da nova geração Armata. Essa mesma base serve para produzir Carro de Combates, veículos blindados de combate, de transporte e vários outros modelos.

Artigos recomendados DefesaNet:


Bundeswehr – A Necessidade de Munição DU para Carros de Combate [Link]

Análise - O “blindado mais mortal da Rússia” é realmente invisível? [Link]

Reflexões Teóricas Sobre Conflitos Assimétricos: Parte V – Cavalaria Blindada nos Espaços Confinados [Link]



Outras coberturas especiais


PF-PRF

PF-PRF

Última atualização 19 AGO, 11:00

MAIS LIDAS

Tank