30 de Janeiro, 2014 - 23:04 ( Brasília )

Segurança

Santa Catarina - Primeira Unidade Móvel do Mundo com 3 Simuladores

Equipamento proporciona mais segurança e permite treinar policiais com economia, redução de custos e preservação ambiental




Florianópolis (SC) -  Santa Catarina será o primeiro Estado do Brasil a adotar um simulador virtual de tiro móvel para treinamento policial e de segurança. Montado em um caminhão, o avançado equipamento, inédito em todo o mundo, foi apresentado no dia 30 de janeiro, ao governador do Estado, Raimundo Colombo, ao secretário de segurança pública do Estado, César Augusto Grubba, e à secretária nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, Regina Maria Filomena de Luca Miki, na sede da Secretaria de Segurança Pública, em Florianópolis, na sede da Secretaria de Segurança Pública, em Florianópolis.
 
O veículo utiliza a tecnologia de Sistema Virtual de Tiro e faz parte do Projeto Escola Itinerante para capacitação na disciplina de tiro policial, fruto de uma parceria/convênio da Secretária de Segurança Pública (SSP) com a Secretária Nacional de Segurança Pública (Senasp). Será utilizado para a formação de policiais civis e militares e treinamento de legítima defesa, técnicas e táticas policiais, sobrevivência e direitos humanos.
 
A unidade móvel de simulação de tiro virtual da Secretária de Segurança Pública foi desenvolvida de forma integrada pela Athos Brasil, Federal Defender BR, Taurus e Roncat Soluções. A aquisição representou investimento de R$ 1,2 milhão e vai proporcionar mais segurança, e permitir treinar policiais com economia, redução de custos, preservação ambiental e melhor gestão.
 
O primeiro simulador virtual de tiro é uma sofisticada unidade de exercício de defesa e ataque que permite o treinamento simultâneo de até 12 atiradores. Montada em um caminhão Ford Cargo com carroceria tipo Baú com 11 metros de comprimento, possui três simuladores instalados, além de sistema de software para gerenciamento, acompanhamento e registro das atividades dos profissionais, bem como sistema de CFTV para gravação e monitoramento interno e externo da Unidade.
 
É a primeira unidade móvel de simulação virtual de tiro do mundo com três simuladores e com esses recursos para treinamento de policiais. Embora instalado em um caminhão com carroceria tipo Baú, os projetos para simuladores em unidades móveis são versáteis e possibilitam a sua utilização em carrocerias de diferentes dimensões, desde vans e furgões pequenos até micro-ônibus e carretas, além das tradicionais montagens em salas fixas.
 
O equipamento apresentado ao governador, e ao secretário da SSP e Secretária da SENASP permite realizar intervenção virtual simulando desde um simples treino de tiro ao alvo até complexas operações. Também pode ser personalizado para treinamentos, como invasão de um cativeiro com reféns, interceptação de assalto a banco ou a retomada de um navio ocupado por terroristas.
 
O projeto, que deverá percorrer todo o Estado de Santa Catarina, tem a missão de fornecer treinamento de alto nível para as polícias militar e civil, além de contribuir para a modernização dos recursos da área de segurança pública e o aprimoramento profissional. Tem também o objetivo de “salvar vidas” com a premissa de que um policial bem treinado, além de preservar a sua vida e a do opositor, terá condições de evitar acidentes, inclusive nas hipóteses de acidentes ocasionados por balas perdidas registrados em ocorrências policiais.
 
Equipamento inédito
 
O tenente-coronel da Polícia Militar de Santa Catarina, Claudio Gomes, é um dos responsáveis pelo projeto com base em equipamentos semelhantes utilizados nos Estados Unidos. “Com o simulador, após se formar nas academias, os policiais poderão dar continuidade ao treinamento com total segurança. Atualmente em treinamentos, cada policial realiza a média entre 500 tiros, com naturais riscos de acidentes, além de comprometer o meio ambiente, pela contaminação provocada pelo chumbo e outros elementos químicos presentes nas munições”, explica.
 
O treinamento virtual apresenta muitas vantagens, repetição de treinamento até que o policial atinja a pontuação ideal, elimina a probabilidade de acidente, assim como permite, ao longo do tempo, economia. Com o uso de munição real, um treinamento que envolva 500 mil tiros, teria um custo aproximado de R$ 1,5 milhão, enquanto que, pelo com o uso de simulador o custo dos exercícios cairia drasticamente para aproximadamente 1% do valor (custo de manutenção).
 
Além disso, o equipamento impede integralmente a probabilidade de incidentes com bala, pela adoção de um sistema de ar comprimido. Outro aspecto importante é que, por ser itinerante, o simulador, também elimina os gastos com o deslocamento, munição e estada de centenas, ou milhares de policiais para a realização de um programa de treinamento de rotina.
 
Da mesma forma, o tenente-coronel Ricardo Freitas, também da Polícia Militar de Santa Catarina, explica que o equipamento é fundamental no ensino e na aprendizagem das polícias. “Portar uma arma é de extrema responsabilidade. Com o equipamento, podemos fortalecer os conceitos de repetição, associação e regularidade, que são fundamentais para a polícia, além de triplicar o número de tiros que um policial dá em treinamento”, acrescenta.
 
Maurílio Gama, professor de armamento e tiro da Academia de Polícia Militar do Estado de São Paulo, e proprietário da escola de vigilantes Espaço Pacem, em Bauru, SP, também aprova a adoção do simulador. “É um equipamento que contribui muito na formação e na eficiência dos policiais”, acrescenta o professor.
 
Versatilidade e sofisticação
 
Projetado pela Federal Defender Br, em parceria com a Athos Brasil, a Taurus e Roncat Soluções, o simulador  conta com uma série de avançados recursos voltados para a eficiência das operações, conforto e segurança dos policiais e funcionários de suporte. Entre esses recursos destacam-se a duplicação do espaço interno pela expansão lateral das paredes por sistema hidráulico, e acesso ao veículo por uma porta aviônica. O simulador possui também dois geradores que garantem ambiente totalmente climatizado e todas as facilidades de um escritório, como mesas, cadeiras, armários e frigobar.
 
O simulador conta com uma ampla gama de aplicações para treinar e formar profissionais, desde atividades esportivas, policiais e até tropas altamente especializadas, como os SEALs (Sea, Air e Land - mar, ar e terra) da Marinha norte-americana, que rotineiramente emprega esse tipo de equipamento em seus treinamentos.
 
Também dispõe de uma série de sofisticados recursos da tecnologia da informação (computador, impressora, acesso à internet, roteador, máquina digital, sistema de CFTV completo, que permite o monitoramento e gravação por câmeras internas e externas, além de avançado software de gestão integrado aos simuladores).
 
O software de gestão, que opera tanto na versão web quanto em desktop (quando não há conexão com a internet), realiza a gestão das capacitações, rotinas de manutenção, e rastreamento georreferenciado em tempo real e por histórico, além de integração com o BI - Business Intelligence (Inteligência de negócios) da Segurança Pública do Governo do Estado de Santa Catarina.
 
Vantagens
 
Além da modernização dos recursos da Secretaria de Segurança do Estado, que a posiciona entre as mais avançadas, e do aperfeiçoamento profissional dos policiais, a adoção do simulador virtual de treinamento apresenta uma série de vantagens, especialmente em segurança, custo e meio ambiente.
 
Com a eliminação do emprego de munição real, o programa de treinamento virtual elimina a probabilidade de acidente, assim como permite grande economia. Outra vantagem é em relação ao meio ambiente. Por se tratar de um simulador de tiro, elimina a probabilidade de contaminação do ambiente com chumbo e outros elementos químicos e, principalmente, de acidentes.
 
RECURSOS DO SIMULADOR
 
O simulador móvel de tiro conta com os seguintes recursos de avançada tecnologia:
 
ESTANDE DE TIRO
 
O estande 3D reproduz fielmente um estande real, com cinco alvos que podem ser posicionados entre 1m a 30m do atirador e três formas diferentes de treinamento.
 
TIRO LIVRE – Esta opção permite treinamento de até quatro atiradores em linha, cada um disparando por vez, com a opção de limitar a quantidade de tiros e gerar relatórios estatísticos de cada atirador.
 
ALVO FIXO 5/10/15 - Permite o treino de um atirador por vez em alvo à distância de cinco metros. Exige que o atirador dê seis tiros e o obriga a ir à frente para conferir seus tiros. Depois disso, o alvo é substituído automaticamente para que o atirador dê mais seis tiros e, novamente, confira o resultado. O mesmo processo ocorre com o alvo à distância de 15 metros e, nesta opção, o sistema gera relatórios estatísticos por atirador que participou do exercício.
 
DOUBLE TAP - Prevê a participação de um atirador por vez com cinco alvos à distância de 5, 10 e 15 metros. Neste exercício, os alvos ficam sem visão e quando são exibidos, de forma aleatória, o atirador deve disparar dois tiros. Esta opção permite ao usuário treinar um atirador por vez. De forma aleatória, o sistema alterna os alvos nas distâncias previstas  e o atirador pode selecionar o tempo de treinamento ou manter o padrão do sistema que é de 30 segundos por exercício. O sistema igualmente gera relatórios estatísticos por atirador.
 
LODA 3D
 
A LODA 3D (Localizar, Observar, Decidir e Agir) tem por objetivo avaliar a agilidade e a capacidade de decisão do atirador. Reproduz uma situação na qual é submetido à simulação de uma ocorrência policial, em um ambiente virtual 3D. Personagens virtuais são exibidas, submetendo o atirador a situações aleatórias, em que serão avaliados o seu poder de decisão de tiro e seus reflexos. Ao concluir, o usuário pode avaliar o atirador selecionando itens de acompanhamento, dando uma nota e, se preferir, digitar uma observação que fica gravada no sistema por atirador.
 
VÍDEO
 
O vídeo é a filmagem personalizada para cada cliente, que escolhe o cenário que será filmado. Gravado pela Polícia Militar de Florianópolis, um filme exibe a abordagem policial a três indivíduos suspeitos de estarem vendendo drogas e portando arma de fogo. Neste vídeo o atirador deve dialogar com as pessoas que se encontram sentadas, mas terá a responsabilidade de tomar a decisão de apertar o gatilho ou não quando um dos indivíduos encenar a exibição de um documento ou sacar uma arma. Ao concluir, o usuário poderá ser avaliado, dando uma nota e se preferir digitar uma observação. A ação do atirador ficará gravada no sistema.
 
Para este exercício, a Polícia Militar fornece vídeos de treinamento, já disposição na biblioteca da Polícia Militar.
 
ALVO QUATRO CORES
 
É um exercício que treina a memória do atirador e seu tempo de resposta para disparar nos alvos. O sistema mostra um alvo com quatro círculos nas cores vermelha, amarela, azul e verde e emite um apito longo de atenção e, em seguida, um apito curto de ação. Nesse momento, o atirador deve disparar a sua arma e atingir os alvos que emitiram os apitos. O sistema tem a opção de selecionar o tempo de ação do atirador em 2, 4, 6, 8 e 10 segundos para efetuar os disparos. O sistema gera uma tela com o resultado de acerto do atirador.
 
Descritivo Técnico do Hardware
 
O hardware do simulador consta dos seguintes sistemas:
 
Central de computação
 
Responsável pela execução do software, pelo gerenciamento do sistema, comunicação com o equipamento de captura de disparos e com a plataforma multimídia.
 
Kit adaptador
 
O kit adaptador mantém as principais características de uma arma de fogo real. Assim, na conversão, são mantidos o corpo, o gatilho e o mecanismo operacional de disparo da arma original a ser adaptada. Em substituição ao carregador, dispõe de um dispositivo acoplado a um sistema pneumático responsável pela simulação do movimento do projétil e o “recuo” da arma. Após a sua utilização, o armamento volta ao normal. O sistema ainda fornece uma explosão audível para a plataforma multimídia de treinamento pela sincronia com o detector de disparos. O sistema de simulação de tiros está preparado para a utilização em toda a linha de armamentos Taurus.
 
O kit possui manual de operação explicativo de utilização e manutenção. Acompanha também uma mangueira de conexão da arma com a estação de recarga.
 
Estação de recarga (Cilindro de ar comprimido)
 
Entende-se por estação de recarga um cilindro de ar comprimido com capacidade de 2.800 PSI, acompanhado das válvulas, manômetros e mangueiras de alimentação de ar. Somente a carga de ar de um cilindro tem a capacidade de gerar de 20 mil a 30 mil disparos, dependendo do modelo do armamento.
 
O produto TAURUS FDBR 101, dentro das normas para preservação do meio ambiente, não polui a atmosfera. Possibilita o treinamento de tiro sem a contaminação do chumbo e outros elementos químicos. Hoje, a contaminação provocada pelas armas reais acionadas em ambientes fechados.