COBERTURA ESPECIAL - Panorama Haiti - Defesa

11 de Março, 2014 - 09:30 ( Brasília )

Representante da ONU para o Haiti elogia atuação brasileira na estabilização do país


O ministro da Defesa, Celso Amorim, recebeu em audiência, nesta segunda-feira, a diplomata Sandra Honoré, representante especial do Secretário-Geral das Nações Unidas para o Haiti e chefe da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah). Em conversa de cerca de 45 minutos, a representante da ONU traçou um panorama sobre a situação sócio-política do país caribenho e falou sobre a mudança de perfil da missão de paz liberada pelo Brasil.

Sandra Honoré foi enfática ao elogiar os dez anos de presença brasileira no país. “Gostaria de agradecer a contribuição inestimável do Brasil para a estabilização política e o desenvolvimento do Haiti, com o envio de quase 20 mil homens ao país desde 2004”, declarou. A diplomata falou sobre as evoluções institucionais alcançadas, como o fortalecimento das forças policiais e a realização de eleições – com a próxima prevista para outubro de 2014. Também destacou a queda vertiginosa nos índices de criminalidade, em especial nos casos registrados de estupros e sequestros.

O ministro Celso Amorim ressaltou a importância do comando do Brasil na Minustah para o desenvolvimento das Forças Armadas brasileiras para missões de paz. “Estamos muito orgulhosos do trabalho dos nossos militares”, afirmou. Amorim destacou o intuito do Estado brasileiro de mudar o perfil da participação nacional na Minustah.

De acordo com Amorim, o Brasil deverá focar seus esforços em cooperações para o desenvolvimento, inclusive com o envio de batalhões de engenheiros das Forças Armadas para ações de infraestrutura e para treinamento de pessoal haitiano. O ministro disse que, aos poucos, será diminuído o efetivo de soldados brasileiros no país. “Mas não há data para evacuação. Nosso compromisso com o desenvolvimento do Haiti não vai diminuir”, destacou.

Realizado na sede do Ministério da Defesa, em Brasília, o encontro contou também com a participação de assessores militares e representante do Itamaraty.