COBERTURA ESPECIAL - OTAN - Geopolítica

09 de Maio, 2017 - 11:40 ( Brasília )

Alemanha concede asilo político a militares turcos

Entre os requerentes estão soldados da OTAN que estavam na Alemanha. Pedidos foram entregues depois da onda de prisões promovida pelo governo turco em resposta à tentativa fracassada de golpe de Estado.

O Ministério do Interior da Alemanha confirmou nesta segunda-feira (08/05) que vários soldados turcos e suas famílias tiveram seus pedidos de asilo político atendidos.

Os requerimentos haviam sido entregues depois do início da onda de prisões promovida pelo governo turco em resposta à tentativa fracassada de golpe de Estado de julho do ano passado.

A confirmação do ministério ocorreu após as emissoras WDR e NDR e o jornal Süddeutsche Zeitung noticiarem que o governo alemão concedera asilo político a militares turcos.

O governo teria esperado pelo resultado do referendo constitucional para tomar uma decisão, afirmaram os veículos de imprensa. O governo nega que haja uma relação, apesar de os veículos citarem como fonte funcionários anônimos do ministério.

Entre os militares que tiveram seu pedido atendido estão soldados da OTAN que estavam estacionados na Alemanha e que geralmente têm passaporte diplomático. Especialistas disseram que a concessão de asilo político nesses casos pode prejudicar ainda mais a já estremecida relação entre os dois países.

No final de janeiro, o ministro turco da Defesa, Fikri Isik, exigiu que a Alemanha rejeitasse os pedidos feitos pelos militares. Ancara acusa vários requerentes de estarem envolvidos na tentativa de golpe.

Desde a tentativa de golpe, as autoridades turcas já prenderam mais 40 mil pessoas e demitiram ou suspenderam outros 120 mil profissionais de diversas áreas, como soldados, policiais, professores e funcionários públicos, todos acusados de ligações com o movimento do clérigo muçulmano Fethullah Gülen, classificado como terrorista no país.

Segundo o Ministério do Interior, da tentativa de golpe até o início de maio, 414 turcos, entre eles soldados, diplomatas, juízes e altos funcionários estatais, entraram com um pedido de asilo político na Alemanha. O número inclui também os familiares dos requerentes.


VEJA MAIS