11 de Dezembro, 2013 - 09:44 ( Brasília )

Rio Grande recebe três navios da Esquadra brasileira


Três navios da Esquadra brasileira estão atracados no cais do Porto Novo de Rio Grande desde a manhã de sábado: a fragata Constituição, a corveta Barroso e o navio de Desembarque de Carros de Combate Garcia D'Ávila. As três embarcações, que estavam com suas bandeiras a meio mastro em sinal de luto pela morte de Nelson Mandela, estiveram abertas ao público na tarde deste domingo.

Junto com outros navios da Marinha do Brasil, elas estão participando da Operação Aderex-II/Semana da Marinha, que se iniciou no último dia 2 e se estenderá até o próximo dia 19. As fragatas Greenhalgh e Rademaker, mais o navio-tanque Marajó também atracariam no porto do Rio Grande. Porém, o Marajó teve problemas em um dos motores e foi obrigado a voltar ao Rio de Janeiro. O grupo ficou sem combustível à disposição e por isso as embarcações foram divididas entre Rio Grande e Itajaí (SC).

Conforme informações do comandante da Aderex-II, contra-almirante Flávio Soares Ferreira, também comandante da 1ª Divisão de Esquadra, para essa operação há em torno de 200 militares em cada navio. E a proposta da Aderex é o treinamento dos tripulantes. Ferreira explica que operar navios não é uma tarefa fácil e exige constante preparo da equipe para que esta tenha condições de fazer tudo bem feito, o que é necessário principalmente para se estar preparado para uma eventual situação de guerra.

Essa operação envolve navios e aeronaves da Esquadra, bem como meios navais dos Comandos do 1º Distrito Naval e do 5º Distrito Naval, e ocorre na área marítima compreendida entre o Rio de Janeiro (RJ) e Rio Grande (RS), prevendo visitas aos portos de Rio Grande, Itajaí (SC), São Francisco do Sul (SC) e Paranaguá (PR), destacando a presença da Marinha do Brasil na região Sul do País.

Acompanha o exercício, o comandante-em-chefe da Esquadra, vice-almirante Sérgio Roberto Fernandes dos Santos, que comandou, de 2010 a 2012, o 5º Distrito Naval, cuja sede é em Rio Grande.

Durante a operação, são feitas atividades marinheiras e exercícios de guerra naval, com o propósito de contribuir para o aperfeiçoamento do preparo e emprego do Poder Naval. De acordo com a Marinha, desenvolver operações nos mares do Sul é considerada pelos marinheiros tarefa desafiadora, pois o estado do mar, por vezes desfavorável, torna os exercícios complexos, exigindo máxima atenção.

Os três navios que chegaram ao porto rio-grandino sábado, ficam no Município até esta segunda-feira. Depois, vão para Itajaí, São Francisco e Paranaguá para as comemorações da Semana da Marinha.


Fonte: Jornal Agora (RS)/Por Carmem Ziebell