13 de Outubro, 2013 - 18:05 ( Brasília )

Licitação para reconstruir base sai até fim do ano

Projeto executivo que norteará obras foi entregue quinta. Pedra fundamental será lançada entre fevereiro e março

Mona Lisa Dourado 
Jornal do Commercio
 
Um ano e oito meses depois do incêndio que destruiu a antiga Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF), o Brasil se prepara para lançar "o gelo fundamental" da sua nova casa no continente branco entre fevereiro e março de 2014. 
 
Vencedor do concurso promovido pela Marinha e o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) em maio, o escritório paranaense Estudio 41 entregou na última quinta-feira (10) o projeto executivo que norteará a obra, orçada em R$ 110 milhões. O valor é semelhante ao gasto pela Espanha na remodelação recente de sua base. 
 
Entre outros elementos, o documento detalha pontos vulneráveis e de difícil execução. "Demos uma atenção especial para o detalhamento da envoltória e das esquadrias, que assegurem o isolamento adequado e o funcionamento eficiente dos mecanismos internos", diz um dos membros da equipe do Estúdio 41, João Gabriel Rosa. 
 
 
O projeto executivo é a peça-chave para o lançamento do edital de licitação ainda este mês. Poderão se candidatar para assumir a reconstrução da EACF tanto empresas brasileiras, quanto estrangeiras, desde que associadas a companhias nacionais. Caso todo o processo ocorra dentro da normalidade, sem disputas judiciais, o resultado sairá já em dezembro. É para quando estão previstos os estudos geotécnicos do solo para o estabelecimento das fundações, de até 15 metros de profundidade. Até o fim do verão antártico em abril, a Marinha espera estar com o terreno literalmente preparado para erguer a futura estação na Baía do Almirantado, Ilha Rei George. "No inverno, temperaturas negativas e ventos acima dos 150 km/h impedem o trabalho na Antártida", diz o contra-almirante Marcos Silva Rodrigues, secretário da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (SeCirm). As obras serão retomadas a partir de novembbro de 2014.
 
Enquanto isso, os módulos da nova estação serão construídos, montados e testados no Brasil, em um local ainda não determinado. Com todas as correções realizadas, serão desmontados para o transporte ao continente gelado. Finalmente, em março de 2015 a nova EACF deve estar de pé e pronta para ser inaugurada.
 
Segundo o comandante da Marinha, o almirante-de-esquadra Julio Soares de Moura Neto, o programa científico brasileiro será o principal contemplado com a nova estrutura. "Em decorrência do compromisso do País com a ciência, cabe destacar que o espaço destinado aos laboratórios foi o que apresentou a maior ampliação e melhorias qualitativas, além de estar prevista a adoção de tecnologias voltadas à minimização do impacto ao meio ambiente", disse, durante a cerimônia de entrega do projeto executivo da EACF. 
 
"A ideia é aumentar a qualidade dos projetos", corrobora Jefferson Simões, diretor do Centro Polar e Climático da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e delegado brasileiro no Comitê Internacional de Pesquisa Antártica.