21 de Agosto, 2013 - 11:40 ( Brasília )

Uday Bhaskar - Analista militar indiano comenta explosão no submarino INS Sindhurakshak


A Índia tem em alto apreço as relações com a Rússia e não pretende abdicar da ajuda russa na investigação do acidente ocorrido no submarino Sindhurakshak, declarou em entrevista à Voz da Rússia, Uday Bhaskar, analista militar indiano, antigo comodoro da Marinha de Guerra, ex-diretor do Instituto de Estudos de Defesa (The Institute for Defense Studies).

Uday Bhaskar: A explosão ocorrida na semana passada no submarino Sindhurakshak constitui uma grande tragédia para as Forças Navais do nosso país. Até hoje, os mergulhadores têm tentado encontrar formas de resgatar a embarcação.

A Marinha da Índia pretende avaliar o prejuízo causado de forma autônoma e independente antes de convidar alguém para o efeito ou aceitar a assistência proposta por outros países, incluindo a Rússia e algumas entidades internacionais. Compreendo as dúvidas a esse respeito, mantidas pelos poderes oficiais: a explosão não deixa de se sentir como um choque e um passo atrás. Não ligaria, contudo, muita importância à decisão de realizar a investigação dessa forma. Creio ser possível resgatar o submarino e transportá-lo para outra localidade.

A Índia mantém com a Rússia relações especiais não pelo fato de o submarino em causa ter sido projetado na Rússia. Cumpre frisar que o primeiro submarino indiano foi comprado à URSS em 1967. Neste caso, os colegas russos enviaram mensagens de condolências por motivo da tragédia recente. Estimamos tal atitude da parte russa.

Sou um analista e não posso falar em nome do governo. Nesta etapa, as autoridades não querem dar passos precipitados, mas quando a Índia precisar de ajuda ou de dados periciais, tenho certeza que vamos aceitar tal apoio com muito gosto.

Voz da Rússia: Como se iniciou a colaboração russo-indiana na área de defesa e segurança?

Uday Bhaskar: Diria ser muito importante tanto para a Índia, como para a Rússia, já que me lembro do relacionamento entre os nossos países no período da guerra fria. Desde aquela altura e depois de 1991 para cá, a Rússia e a Índia têm mantido boas e especiais relações.

Nos últimos anos, tem-se sentido alguma desilusão com o estado das relações bilaterais no domínio técnico-militar. Existem vários enfoques quanto aos atrasos na entrega à Índia do porta-aviões Admiral Gorshkov. Se calhar, chegou a hora de rever as relações tanto nesse assunto, como na área de armamentos convencionais e outros segmentos. A Índia não deixa de encarar a Rússia como um parceiro seguro em que se pode confiar.

Voz da Rússia: Segundo informações mais recentes, a Marinha de Guerra indiana tenciona arrendar mais dois submarinos russos. Quer comentar?

Uday Bhaskar: É verdade. A Rússia é nosso parceiro seguro e nós apreciamos tal parceria. Temos estreitado nossa cooperação nas esferas de educação, preparação de marinheiros militares e apoio técnico.

Voz da Rússia: Pode falar um pouco mais de si próprio?

Uday Bhaskar: Sou comodoro na reserva, fui dirigente do Instituto de Estudos da Defesa e do Fundo Naval Nacional. Tenho muito prazer em poder partilhar a minha opinião com o público ouvinte e leitor da emissora Voz da Rússia.