COBERTURA ESPECIAL - Especial MOUT - Inteligência

13 de Julho, 2016 - 13:40 ( Brasília )

RIO2016 - Serviço secreto da França revela possível ato terrorista

Serviço secreto da França revela possível ato terrorista no Rio. Segundo informações, ataque seria cometido por um brasileiro em nome do EI.

 

Andrei Netto
Correspondente em Paris - O Estado de S.Paulo


A ameaça terrorista durante os Jogos Olímpicos do Rio é real. Ao menos é o que afirmou o chefe da Direção de Informação Militar (DRM), um dos serviços secretos da França, o general Christophe Gomart, à Comissão Parlamentar de Inquérito que investigou os atentados de 13 de novembro em Paris e Saint-Denis. Segundo as informações, o ataque seria cometido por um brasileiro em nome do grupo jihadista Estado Islâmico e teria como o alvo a delegação francesa.

A declaração foi feita em 26 de maio aos deputados, mas veio a público na terça-feira com a publicação de um relatório no site do Legislativo. Em seu depoimento, o general revelou por acidente que documentos de inteligência militar da França indicavam a organização de um atentado no Rio de Janeiro pelo Estado Islâmico.

O trecho relativo à capital carioca é um vazamento de informação e, a pedido do próprio general, a transcrição do texto foi retirada das notas públicas da CPI francesa.

Segundo o jornal Libération, o trecho retirado das transcrições diz respeito ao diálogo entre o deputado Georges Fenech e o general Gomart. Todas as declarações do parlamentar foram apagadas dos documentos públicos, mas a resposta do oficial acabou permanecendo por acidente. "Eu não tinha ouvido falar deste cidadão brasileiro que se prepararia para cometer atentados contra a delegação francesa dos Jogos Olímpicos", diz o diretor do DRM, em resposta às colocações de Fenech.

Foto: Arte/Estadão
ctv-mkr-plano-de-seguranca-rio

 

A afirmação foi feita no momento em que o militar revelava outras ameaças de atentados que haviam sido desmontadas pelas forças especiais da França. Entre elas estavam a atuação de sete franceses treinados em campos jihadistas no Iêmen e que retornariam à Europa pelo Djibuti. Ao lado de estrangeiros, eles "seriam suscetíveis de conduzir ações terroristas em território nacional", na França. Outro caso evocado é o de um indivíduo identificado na Líbia e que seria um "combatente estrangeiro que se prepararia para entrar no território francês".

Não há informações nos documentos do Parlamento sobre se o suspeito brasileiro de integrar o Estado Islâmico e preparar um atentado no Rio estaria preso, nem mesmo se ele estaria ou não no Brasil. A reportagem aguarda respostas de pedidos de entrevistas com o deputado Georges Fenech e com a direção da DRM.




Général de corps d'armée Christophe Gomart (Directeur du Renseignement Militaire DRM), desde 2013, comanda a Inteligência Militar da França.

O General Gomart, desde 1999 está, envolvido com a área de inteligência e Forças Especiais, da França.

Matérias Relacionadas

EXCLUSIVO - Exército começa a monitorar lobos solitários e favelas do Rio Link

Para as ações das Forças Armadas no Rio de Janeiro acesse a Cobertura Especial MOUT ( Military Operations in Urbanized Terrain)

Cobertura Especial MOUT Link

As ações de preparação para as Olímpiadas RIO2016, em especial as ações de antiterrorismo  podem ser acessadas na Cobertura Especial EVENTOS

Cobertura Especial Eventos Link



 



Outras coberturas especiais


ESGE

ESGE

Última atualização 21 OUT, 13:00

MAIS LIDAS

Especial MOUT