15 de Junho, 2014 - 21:37 ( Brasília )

Geopolítica

SIPRI - Armamento Nuclear Mundial número reduz - modernização continua

O Stockholm International Peace Research Institute (SIPRI) lança o balanço das forças nucleares mundial.


Estocolmo -  O Stockholm International Peace Research Institute (SIPRI) lança o seu Balanço Anual Mundial das Forças Nucleares, o qual avalia as tendências predominantes atualmente  nos Arsenais Nucleares Mundiais. Os dados mostram que enquanto o o número total das armas nucleares no mundo continuam a declinar, nenhum dos países possuidores de armamento nuclear  mostram indícios de desistir deles em um futuro próximo.

No início de 2014, nove países – Estados Unidos, Rússia, Reino Unido, França, China, Índia, Paquistão, Israel e Coréia do Norte — possuíam aproximadamente 4000 armas nucleares operacionais. Se todas as nucleares forem contabilizadas, estes países juntos possuem um  total de aproximadamente 16.300 armas nucleares (tabela 1) comparado às  17.270 do início de  2013.

Redução moderada e modernização continua

Nos cinco anos passados  tem ocorrido um continuado declínio do número de armas nucleares no mundo ( tabela 2). O decréscimo é devido principalmente à Rússia e aos EUA  - que juntos contam  por mais de 93% de todas as armas nucleares — reduzindo seus inventários  de armas nucleares estratégicas (strategic nuclear weapons), dentro dos termos do Tratado  Measures for the Further Reduction and Limitation of Strategic Offensive Arms (New START).

Ao mesmo tempo,todos os cinco países legalmente reconhecidos como possuindo armas nucleares  - China, França, Rússia,  UK e os Estados Unidos – estão lançando novos meios de lançamento de armas nucleares  ou têm anunciado a intenção de fazê-lo. Índia e Paquistão continuam e desenvolver  novos Sistemas de lançamento de armas nucleares (vetores) e estão expandindo a sua capacidade de produzir material físsil para fins militares.

Há um consenso entre os “experts” que a Coréia do Norte tem produzido um pequeno número de armas nucleares, muito próximos a artefatos nucleares rudimentares.

'Mais um ano, que as nações possuidoras de armas nucleares realizaram poucas ações que demonstrem o desejo genuíno para o completo desmantelamento de seus arsenais nucleares. Os longos processos dos programas de modernização estão em andamento nestes países sugere que as armas nucleares permanecerão firmemente  nos seus calculus estratégicos', afirmam os pesquisadores do SIPRI,  Shannon Kile e Phillip Patton Schell

Tabela 1. Forças Nucleares, 2014


País
Armas
Operacionais*
Outras  
armas
Total
2014
Ano do 1º
Teste nuclear
EUA 2150 5550 7300 1945
Rússia 1800 6700 8000 1949
UK 160 65 225 1952
França 290 10 300 1960
China   250 250 1964
Índia   90–110 90–110 1974
Paquistão   100–120 100–120 1998
Israel   80 80 . .
Coréia do Norte     6–8 2006
Total 4400 12 865 16 300  


Fonte: SIPRI Yearbook 2014
* 'Armas Operacionais são as armas instaladas em mísseis ou alocadas em bases com forças operacionais.
Todos os dados são estimativos com data de Janeiro de 2014.

Tabela  2 – Forças Nucleares  2010–14

País* 2010 2011 2012  2013 2014
EUA 9600 8500 8000 7700 7300
Rússia 12 000 11 000 10 000 8500 8000
UK 225 225 225 225 225
França 300 300 300 300 300
China  240 240 240 250 250
Índia  60–80 80–100 80–100 90–110 90–110
Paquistão  70–90 90–110 90–110 100–120 100–120
Israel  80 80 80 80 80
Total 22 600 20 530 19 000 17 270 16 300

Source: SIPRI Yearbook 2014
* Baseado em Informação públicas sobre as atividades de produção de plutônio da Coreia do Norte,. É estimado que a Coreia do Norte produziu de 6 – 8 armas nucleares.


Matérias relacionadas

OBAMA - Os EUA Devem Sempre Liderar Link

Arábia Saudita - Impressionante Manobra Abdullah Sword Link