04 de Maio, 2014 - 17:15 ( Brasília )

Geopolítica

Arábia Saudita - Impressionante Manobra Abdullah Sword



Nelson Düring
Editor-Chefe DefesaNet


No dia 29 Abril, foi o encerramento das manobras a “Espada de Abdullah”, que cobriram ações em todo o Reino da Arábia Saudita, e foram realizadas operações nas  regiões leste, sul e norte do país.

A imprensa saudita afirmou que cerca de 100 a 130 mil militares e forças de segurança, apoiados por aviões, helicópteros, blindados e unidades navais e lançadores de mísseis  antinavio, "no que foi o maior exercício militar na história do reino saudita."

Arábia Saudita vê o Irã e o Iraque como ameaças para com o seu reino, enquanto o país está cada vez mais preocupado com a aliança crescente entre as duas nações predominantemente xiitas. O Chefe do Estado-Maior Tenente-General Hussian Al Qabeel afirmou: "Estamos  preparando as nossas forças armadas para proteger a nação . As forças armadas não têm o objetivo de atacar qualquer um, e esta não é a política do nosso governo ".

Os exercícios foram realizados  em todo o Reino Saudita com um controle central na capital Riad.

Os exercícios coincidem com o nono aniversário da subida ao trono do rei Abudllah, e no encerramento destes ocorreu um desfile militar , o que atraiu um número de dignitários de todo o mundo árabe, em especial do Paquistão e países do Golfo.

O desfile de encerramento, que ocorreu no complexo militar King Khalid Military City (KKMC), de Hafr Al-Baten. Instalações onde estiveram posicionadas, ou melhor reclusas, as forças aliadas, que participaram da Guerra no Golfo, 1991.

As novidades apresentadas são significativas, e que colocam sob outra perspectiva a sempre convulsionada área do Golfo.

Além de uma maciça  demonstração de forças convencionais a Arábia Saudita revelou, pela primeira vez, um segredo estratégico do reino.

Desfilaram dois exemplares do Míssil Balístico de Alcance Intermediário (IRBM), chinês Dong Feng-3 (DF-3), com ogivas nucleares múltiplas (50-100kT), adquiridos em 1987. Os IRBM têm um alcance entre 3.500 a 5.500km. Fontes de inteligência acreditam que a Arábia Saudita possua ao menos 24 DF-3.
 
Além dos equipamentos de apoio ao IRBM DF-3, também desfilaram indicadores de que o "Reino dos Saud" possui o Míssil Balístico de Médio Alcance (MRBM), DF-21, também chinês. O alcance de um MRBM é de 1.000 a 3.000 km.
 
A parada ocorreu dias após a visita do presidente americano Obama ao Reino Saudita. Analistas acreditam que a parada é uma clara indicação à Washington, ao regime dos Aiatolás iranianos e aos russos, que  a Arábia Saudita entrou em um processo independente na defesa de seus próprios interesses  e dos aliados do Golfo contra a contínua expansão de armamentos nuclçeares do Irã. Há uma crescente aproximação estratégica com o Tel Aviv, o que seri impensável há alguns anos.
 
Compareceram  à parada o Príncipe Saudita Salman e os seus convidados Rei Hamad do Bahrein, Sheikh Muhammad bin Zayed, Príncipe de Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos e o chefe do Estado-Maior do Paquistão General Raheel Sharif, que foi distinguido em sentar próximo ao Príncipe Mitab, filho mais velho do Rei Abdullah. O Paquistão fornece as ogivas nucleares  para os mísseis DF-3 e DF-21 da Arábia Saudita.
 
È relevante observar, que 48 horas antes, de os Sauditas revelarem suas armas nucleares, o Primeiro-Ministro israelense Netanyahu,  declarou que a ameaça aos judeus pelas armas nucleares do Irã é a mesma  que a dos Nazistas 75 anos atrás.
 
A posse do mísseis nucleares chineses IRBM DF-3, anunciados publicamente pela primeira vez , foram comprados em 1987, durante a guerra Irã-Iraque. Os MRBM DF-21 foram adquiridos, da China, em 2007, com ajuda americana, com a condição de que não possuiam ogivas nucleares.

A Arábia Saudita contribui aos programa estratégicos do Paquistão, com cerca de U$ 1,5 Bilhão anualmente. Especialmente o desenvlvimento nuclear. Os detalhes onde são aplicados estes recursos não são conhecidos.

O Brasil

É importante notar que a posição de prestígio dado aos sistemas ASTROS II, da AVIBRAS, na disposição das forças passadas em revista pelas autoridades sauditas.

Não é conhecido o atual estágio das relações sauditas – AVIBRAS, mas pode-se ser crível que acompanhem com interese o desenvolvimento do ASTROS 2020 e o Míssil Tático de Cruzeiro AV-TM300.

Vídeo

Vídeo capturado pela MEMRI de um transmissão da rede saudita Al Arabyia. Importante observar a tradução dos locutores sauditas.


x



Matérias relacionadas

O reposicionamento da Arábia Saudita – Roberto Lopes Link

Brasil e Iraque negociam dívida Link

LAAD Bastidores 2 - ASTROS 2020 – Do Tático para o Estratégico Link