COBERTURA ESPECIAL - Fronteiras - Segurança

12 de Setembro, 2016 - 08:00 ( Brasília )

EPP - Guerrilheiros paraguaios acionam alarmes regionais



Por Edgar C. Otálvora
Especial para DefesaNet

 
Na data de 27AGO2016 foram emboscados e mortos oito membros das forças militares do Paraguai. A patrulha militar era composta por um oficial com o posto de segundo-tenente, e sete suboficiais, membros da Força-Tarefa Conjunta, que estavam viajando uma estrada de terra perto de Arroyito, distrito de Horqueta departamento de Concepción, no nordeste do Paraguai. Os governos vizinhos do Brasil e Argentina, assim como o da Colômbia, emitiram declarações oficiais condenando o incidente e deram apoio ao Paraguai.

O local do ataque é duzentos e cinquenta quilómetros da capital, Assunção, mas apenas oitenta quilómetros da linha de fronteira entre o Paraguai e do estado brasileiro de Mato Grosso do Sul. Este é o segmento da fronteira hoje é considerado pelas autoridades brasileiras como "zona de guerra", onde uma escalada de violência entre poderosas gangues de São Paulo e Rio de Janeiro contra gangues paraguaias onde ocorrem uma guerra aberta pelo controle do tráfico de drogas e armas.




Localização da cidade de Arroyito nas fronteira com o Brasil


O grupo de militares paraguaios assassinados viajava a bordo de um caminhão Mercedes Benz, que foi atingido por uma ou várias pequenas explosões deixando-o imobilizado. Os militares foram alvos de um ataque com armas pesadas e depois foram executados a queima roupa segundo os relatórios forenses. As estimativas das autoridades paraguaias é que foram usados ??pelo menos nove diferentes armas contra os soldados.

O resultado de um teste balístico feito pelo Ministério Público do Paraguai indica que as armas utilizadas na emboscada foram as mesmas usadas em ataques a delegacias de polícia e o assassinato de um casal de agricultores, eventos que ocorreram durante a 2013 e 2015.  As autoridades paraguaias não têm dúvidas: a responsabilidade pelo ataque em Arroyito é do Ejército del Pueblo Paraguayo (EPP).

Guerrilha com Origem Bolivariana

Em 16FEB2005, em Ñemby, nos arredores de Assunção, foi encontrado o corpo de Cecilia Cubas Gusinky, filha do presidente paraguaio Raúl Cubas Grau. A mulher, de trinta e dois anos, havia sido sequestrado cinco meses antes e os captores receberam US$ 800.000, sem a sua libertação ocorrer. O corpo de Cecilia Cubas foi encontrado em um subterrâneo de mais de três metros de profundidade escavado dentro de uma casa. O sequestro foi realizado pela organização até então chamada PPL “Partido Patria Libre”.

O sequestro e assassinato de Cecilia Cubas expôs o âmbito de parcerias entre várias organizações de esquerda latino-americana num momento em que o Eixo Havana-Caracas ganhou força em todo o continente. Dois anos antes, em novembro de 2003, Hugo Chavez tinha fundado o "Congresso Bolivariano dos Povos", uma confederação de organizações de esquerda do continente se reuniram para junto com Partidos  Legais Frentes Armadas e seus correspondentes “Frentes Legales”. Assim, o Fórum de São Paulo criado em 1989, por Luis Inácio Lula da Silva a mando de Fidel Castro, criou um espaço para propaganda e uma plataforma de trabalho financiado pelo fluxo, aparentemente interminável, de petrodólares venezuelanos.

Em 2005, os governos do Paraguai e da Colômbia declaram que as FARC estavam conectados com o paraguaio PPL, e que esta lhes forneceu apoio logístico e treinamento. Em 07MAR2005, o então presidente paraguaio Nicanor Duarte visitou a Colômbia e na agenda com o seu homólogo colombiano Alvaro Uribe o principal tema  teria sido as relações FARC-PPL. O Procurador-Geral do Paraguai, Oscar Germán Latorre,  reiterou a imprensa em Bogotá que "alguns membros das FARC estavam assessorando o PPL, e especificamente, sabia da presença de uma pessoa de nacionalidade colombiana em Assunção".

O PPL inicialmente negou seus contatos com as FARC. É "uma campanha dos centros de poder para desacreditar os grupos de esquerda que lutam contra o neoliberalismo", dizia um comunicado do PPL no final de 2004. Mas, depois de repetidamente negar o PPL finalmente revelou sua aliança operacional com os narco-guerrilheiros colombianos. Osmar Martínez, líder do PPL, pública no momento em que foi processado e julgado pelo sequestro e assassinato de Cecilia Cubas, admitiu que seu partido tinha recebido o assessoria das FARC. Martinez, que morreu, em 2015 na prisão, disse que teve reuniões em várias ocasiões com Rodrigo Granda, o homem, que desde 1997, trabalhava como "ministro das Relações Exteriores" das FARC.

Em uma carta pública, datada de 2005, Martinez explicou que "as FARC são membros do Congresso Bolivariano dos Povos (CBP), e Granda é delegado internacional em conferências e seminários de esquerda." Martinez ainda negou seu envolvimento no sequestro, mas não hesitou em descrever as FARC como uma organização "irmã". O PPL origem do movimento guerrilheiro atual EPP do Paraguai, era um membro ativo do Congresso Bolivariano dos Povos, em cujo portal publicavam suas declarações.

Granda foi preso, em dezembro de 2004, em Caracas, por um comando secreto colombiano, assim como naquela cidade participou do II Congresso Bolivariano dos Povos patrocinado por Chávez. As atividades internacionais do operador Granda para as  FARC foram assumidas por Orley Jurado Palomino conhecido pelo apelido "Hermes Aguilar". Algumas dessas funções era a de continuar servindo como uma ponte com a o PPL paraguaio, grupo que em Março de 2008, começou a ser chamado de  “Ejército del Pueblo Paraguayo – EPP”  (Exército do Povo Paraguaio).

Ambos Granda como Hermes Aguilar faziam parte dos delegados que as FARC enviaram a Havana para conversações com o governo de Juan Manuel Santos, quando estas começaram em 2012. Como resultado do Acordo de Santos-FARC obtido, em 24AGO16, os membros da guerrilha colombiana obtiveram uma ampla anistia na Colômbia.

No entanto, o Estado paraguaio mantém a acusação contra Hermes Aguilar por sua responsabilidade no assassinato de Cecilia Cubas. A lista de pessoas procuradas pela Interpol, consta a pedido do governo do Paraguai, o nome de Hermes Aguillar,  indicado por "ato punível contra a vida (homicídio premeditado), delito punível contra a liberdade (sequestro) e associação criminosa.

Guerrilha no Youtube

A prisão de Osmar Martinez e outros membros do EPP, abriu o caminho para uma série de lideranças e divisões na organização. O número de homens e mulheres em armas tem sido um mistério como algumas fontes afirmam que o número de membros do EPP pode chegar a quinhentos enquanto outras fontes duvidam que o número de combatentes chegue a uma centena.

De acordo com analistas militares, o EPP interage as atividade guerrilheira entre a população rural e participa das atividades rurais, tornando-se difícil de identifica-los. Mesmo a liderança e a cadeia de comando da organização não é determinado com clareza. O governo de Horacio Cartes, em 28AGO2013, decretou a criação da Força Tarefa Conjunta (FTC), integrada por militares, policiais e agentes anti-narcóticos baseados em Arroyito, com o objetivo central na luta contra o EPP. Após a emboscada, de 27AGO2016, o governo Cartes recebeu um amplo apoio político interno, mas também começaram a criticar a eficácia do FTC.

Desde o nordeste do Paraguai, uma área de baixa densidade populacional e pobre, com limitada presença do Estado, o EPP envia regularmente mensagens sob a forma de vídeos postados no Youtube. Na mais recente deles, em 29ENE16, a organização que se denomina marxista-leninista espalha várias informações enquanto as imagens mostraram uma dezena de homens mascarados em uniformes camuflados, que mostram formações de combate e carregando rifles automáticos.

Neste vídeo, o EPP informa aos habitantes da região serão fuzilados aqueles que violem as "leis", que proíbem a "colocar vacas nas montanhas", "uso de agrotóxicos", "plantar transgênicos", "lavrar nas margens das cercas" ou que os funcionários das estâncias "portem armas".

"A violência é a única linguagem que os ricos entendem", diz o apresentador do vídeo, que também adverte que "Alejandro Ramos foi expulso em Janeiro de 2015 e suas ações não são de nossa responsabilidade", mostrando os conflitos de comando e um fraccionamento sistemático. O PPE estar atualmente nas mãos de Manuel Cristaldo Mieres. Sua companheira e amante Liliana Villalba é, de acordo com relatos da imprensa, uma especialista em armas treinada na Colômbia.

Um fator de preocupação aos Brasiguaios, assim chamados os brasileiros que adquiriram terras e moram no Paraguai. Embora não mencionados explicitamente há clara indicação de que o alvo são as comunidades de Brasiguaios.

A mudança do eixo do Narcotráfico Sul-Americano

Nos últimos anos muitas agência de inteligência e policiais estão observando uma mudança do eixo do narcotráfico na região da América do Sul.



Operação ‘Nueva Alianza XIII’ foi realizada em campo com o objetivo de erradicar a produção de maconha e o tráfico na região entre o Paraguai e o Brasil. Mesmo em período de Jogos Olímpicos o Ministro da Justiça Brasileiro foi ao Paraguai.

Matérias Relacionadas

 

Nueva Alianza XIII - Operação Paraguai e Brasil contra Maconha Link


Muitos grupos estão saindo da Colômbia o que deve ser acelerado agora com o Acordo de Paz assinado entre as FARC-EP e o Governo Colombiano. O crescimento das atividades na Bolívia tem sido observado.

Passa desapercebido para a imprensa pois por tradição os bolivianos resolvem suas diferenças de forma mais pacífica. Outro foi o crescimento explosivo da Argentina na rota do Narcotráfico. Aproveitando a desestruturação das Forças Policiais e Militares da Argentina o Narcotráfico chega de forma quase impune desde o Paraguai até no chamado Conubarno de Buenos Aires.

Jorge Rafaat Toumani, respeitável empresário do setor pecuário, 56 anos, era junho o “Rei da Fronteira”, o mais poderoso traficante de Pedro Juan Caballero, na divisa do Paraguai com o Brasil. Também era conhecido como Sadam, dizem que por uma descendência árabe. Ele fornecia maconha por atacado para as maiores facções criminosas brasileiras, o Comando Vermelho (CV) e o Primeiro Comando da Capital (PCC). Há pouco mais de um ano, no entanto, houve um desentendimento comercial entre os grupos.

Segundo fontes da Policia Federal Brasileira o atentado onde foram disparados dezenas de tiros com metralhadora .50 em pleno centro de Pedro Juan Caballero, foi uma ação conjunta do PCC e CV.

O Paraguai como eixo

A pequena guerrilha do Paraguai começa a ser observado como um potencial elemento de perturbação futura na região. Em Assunção, de forma pública ou silenciosamente, altos funcionários temem que o Paraguai se tornará o destino de muitos guerrilheiros desmobilizados desempregados na Colômbia.

Analistas militares do sul acreditam que o EPP começa a desenvolver uma estratégia limitada, mas preocupante de controle territorial em uma área altamente relevantes para o fluxo de narcóticos dos Andes andina para o mercado brasileiro, argentino mais ou além.

Dependendo das alianças que o EPP fizer ele poderá dominar ampla área do interior do Paraguai incluindo áreas de fronteira com o Brasil.Como o PCC tem cínculos com as FARC assim como o CV parece lógico que uma associação com os Gangues Criminais esteje em desenvolvimento.



 





Matérias Relacionadas


Nueva Alianza XIII - Operação Paraguai e Brasil contra Maconha DefesaNet Link


Outras coberturas especiais


PROSUPER

PROSUPER

Última atualização 12 DEZ, 16:30

MAIS LIDAS

Fronteiras