COBERTURA ESPECIAL - Fronteiras - Defesa

09 de Julho, 2015 - 17:12 ( Brasília )

SISFRON - Temer visita Centro de Comando em Dourados

Na quinta-feira o presidente em exercício Michel Temer, coordenador do Plano Estartégico de Fronteiras visitou Dourados (MS), onde na 4ª Bda C Mec está o comando do primeiro módulo implantado do SISFRON

Matéria atualizada 12 Julho 2015

Nelson Düring
Editor-chefe DefesaNet


O presidente da República em exercício, Michel Temer (PMDB), visitou Dourados (MS), na manhã de quinta-feira, para conhecer o Projeto Estratégico do Exército Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON).

Temer desembarcou no município de Dourados  por volta das 9h30 e do aeroporto Francisco de Matos Pereira seguiu até a 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada – Brigada Guaicurus – onde assistiu a palestras sobre o funcionamento do sistema. Na 4ª Bda C Mec foi recepcionado pelo comandante, General-de-Brigada Rui Matsuda.

A comitiva do presidente da República em exercício, Michel Temer (PMDB), estava boa parte do Alto-Comando do Exército Brasileiro:Gen Ex Villas Boas, Comandante, Gen Ex Etchegoyen, Chefe do EME, Gen Ex Paulo Humberto César de Oliveira Comandante Militar do Oeste e ouros comandantes.

Cabe ao Vice-Presidente a coordenação do Plano Estratégico de Fronteiras (PEF), criado em junho de 2011, quando o governo federal passou a integrar as ações dos diversos ministérios e os poderes públicos locais nas áreas de fronteira.

O Gen Bda Matsuda fez uma apresentação do SISFRON ao VP Michel Temer e comitiva que tinha a presença do Governador de Mato Grosso do Sul Sr. Reinaldo Azambuja (PSDB)..

“O sistema é uma coisa extraordinária. Acho que a tecnologia aqui implantada está sendo usada para cada vez mais aumentar a segurança nas fronteiras. Recentemente várias operações foram realizadas, mas operações episódicas, como Ágata e Sentinela. Agora ela é permanente, preserva a soberania nacional e combate a criminalidade”, comentou Temer.

Após a entrevista coletiva, Michel Temer conheceu equipamentos utilizados no monitoramento e combate a ações ilícitas e sobrevoou parte da região de fronteira com o Paraguai. Logo em seguida, retornou para São Paulo, onde cumpre agenda, segundo a sua assessoria de imprensa.

O SISFRON

O SISFRON foi inaugurado no seu primeiro módulo em novembro de 2014, em Dourados, como piloto do projeto que visa monitorar toda a área de fronteira terrestre do país, num investimento total previsto de R$ 12 bilhões, em várias etapas de implantação.

No Mato Grosso do Sul, os recursos investidos foram de aproximadamente R$ 900 milhões, implantando o sistema ao longo dos  600 quilômetros de fronteira do Estado.

O centro do sistema, uma central de comando e controle instalada na sede da Brigada Guaicurus, monitora todas as ações ou operações desenvolvidas pelos militares na faixa de fronteira e gerencia possíveis ordens do comando para deslocamento de tropas, entre outras atividades de segurança.

Dezenas de viaturas militares blindadas ou não estão equipados com modernos meios de comunicação de voz e vídeo conectados a um moderno centros de controle, com acesso a computadores que estão conectados não apenas à sala de monitoramento dentro da Brigada, como também a satélites que detalham posicionamento e produzem imagens mais amplas.

Os militares que trabalharão em ‘terra’, assim como aqueles que estarão em helicópteros, possuem equipamentos de câmera de última tecnologia e registram toda a ação. Esses dados são transmitidos ‘ao vivo’ para as centrais de monitoramento e comando que armazenam os dados para definir estratégias futuras ou para definir movimentações imediatas durante as operações, como perseguição a criminosos, por exemplo. São utilizados ainda radares e sensores que identificam movimentações suspeitas e também aeronaves não tripuladas.

Após a explanação sobre o SISFRON parte da comitiva e autoridades do Exército realizou um sobrevvo na área coberta pelo sistema.

Tensas Relações

Medidas de segurança surpreendentes foram impostas pela segurança da comitiva do Vice-presidente.  Além de manterem afastados os jornalistas e em dado momento tornando estes prisioneiros, o que causou uma revolta dos profissionais ali presentes.
 
O oficial-general que esteve maior tempo com o presidente foi o anfitrião, Gen Bda Rui Matsuda, Comandante da 4ª Bda C Mec.

Acredita-se que a tensão do VP  estava relacionada ao momento político e ao incidente da manhã de quarta-feira (ver nota).

Nota DefesaNet

Na manhã de quarta-feira (08JUL15) foi encontrado morto um soldado membro do Batalhão da Guarda Presidencial, serviço de guarda no Palácio Jaburu, residência oficial do Vice-presidente. O corpo estava próximo a uma guarita de vigilância localizada no entorno do Palácio do Jaburu.

O Comando Militar do Planalto está investigando.

O VP Temer não esperou pelas investigações e mostrou um segurança pessoal reforçada mesmo estando em uma unidade militar.