COBERTURA ESPECIAL - Brasil - Itália - Naval

24 de Janeiro, 2019 - 13:45 ( Brasília )

CCT - FINCANTIERI: ROAD SHOW no BRASIL para a Indústria Local

Delegação italiana liderada pela Ministra da Defesa da Itália Elisabetta Trenta para mostrar o apoio do Governo italiano na concorrência Corveta Classe Tamandaré da Marinha do Brasil

Nota DefesaNet

Ao mesmo momento que o Presidente Jair Bolsonaro  e Primeiro-Ministro italiano Giuseppe Conte, em Davos chega ao Brasil uma delegação liderada pela Ministra da Defesa da Itália, Elisabetta Trenta.

A visita é em apoio à participação da Itália com o Grupo Fincantieri, no Programa Corveta Classe Tamandaré (CCT) da Marinha do Brasil.

Itália procura retomar acordo militar e naval com Brasil Link

As ações da Ministra Ministra da Defesa da Itália, Elisabetta Trenta.

CCT - FINCANTIERI: ROAD SHOW no BRASIL para a Indústria Local Link





Como parte das iniciativas voltadas à licitação lançada pela Marinha do Brasil para a construção de 4 corvetas Classe Tamandaré, o Grupo FINCANTIERI lançou um "road show" destinado a envolver a indústria do país, para promover a criação e o desenvolvimento da cadeia de suprimentos das pequenas e médias empresas locais e nacionais.

O road show começou na quarta-feira (23JAN2019), no Recife, cidade onde está localizado o estaleiro Vard-Promar da FINCANTIERI, e o evento contou com a participação, entre outros, da Ministra da Defesa da Itália, Elisabetta Trenta, que também fez uma visita ao estaleiro. Também presente o embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini.  As próximas etapas serão, dia 30 de janeiro, no Rio de Janeiro e, dia 6 de fevereiro, em São Paulo.

O evento ocorreu na Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE) e à tarde uma visita ao estaleiro VARD-PROMAR.

Em outubro passado, FINCANTIERI foi selecionada na short list dos concorrentes para a licitação promovida pela Marinha do Brasil, no valor de cerca de 1,6 bilhão de euros, que deve concluír-se, em março com a escolha da proposta que vai construir as Corvetas.
 


O Chief Executive Officer (CEO) da FINCANTIERI Giuseppe Bono declarou: “Um elemento distintivo da oferta da FINCANTIERI é o envolvimento da indústria brasileira para uma possível inclusão na cadeia de suprimentos do Grupo, de empresas locais que se tornariam então potenciais fornecedores não apenas para o projeto Tamandaré, mas também para futuros programas navais. A entrada em um negócio mais amplo e estratégico representaria um passo decisivo em termos de crescimento para a economia do país”.




Ministra de Defesa Elisabetta Trenta discursa na Federação das Indústrias de Defesa de Pernambuco (FIEPE).

Bono concluiu: “Gostaria, portanto, de agradecer a Ministra Trenta, que decidiu estar presente hoje, no início da nossa iniciativa, testemunhando assim a atenção para as nossas atividades também no exterior”.

A FINCANTIERI investe no Brasil há anos e colabora com a Marinha do Brasil no desenvolvimento dos programas de modernização de sua frota. De fato, o Grupo FINCANTIERI venceu a licitação para o fornecimento de “serviços de engenharia específicos e especializados” das novas Corvetas Classe Tamandaré, apoiando a Marinha do Brasil na realização do projeto com total satisfação do cliente.

Sucessivamente à aquisição da VARD-PROMAR em 2013, a FINCANTIERI está presente no Brasil, no estado de Pernambuco, com o estaleiro VARD PROMAR. Como prova de objetivo de consolidar sua posição no país, nos último anos o Grupo FINCANTIERI investiu nesta planta cerca de 400 milhões de reais, equivalentes a quase 100 milhões de euros, para modernização tecnológica graças à qual hoje é possível construir de imediato navios militares.

Hoje, o estaleiro Vard Promar emprega aproximadamente 800 pessoas e é uma excelência da indústria naval brasileira que produz navios para operadores primários no setor de Petróleo e Gás, e é capaz de garantir a construção de unidades militares e mercantis em plena conformidade com os prazos e de acordo com os padrões de qualidade exigidos.

No dia 24JAN2019, a Ministra  da Defesa da Itália, Elisabetta Trenta, manteve contato com o Presidente em Exercício Hamilton Mourão e no Ministério da Defesa, com o seu contraparte ministro General Fernando Azevedo.

 




 

O Grupo FINCANTIERI


FINCANTIERI é um dos mais importantes complexos de construção naval do mundo e o primeiro em diversificação e inovação. É líder na projetação e na construção de navios de cruzeiro, é operador de referência em todos os setores de alta tecnologia mecânico-naval, de embarcações militares a embarcações offshore, de embarcações especiais e balsas altamente complexas a mega iates, bem como em reparos e transformações de navios, produção de sistemas e componentes mecânicos e elétricos e na oferta de serviços pós-venda.

Com mais de 230 anos de história e mais de 7.000 navios construídos, FINCANTIERI sempre manteve na Itália seu centro de gerenciamento, bem como todas as habilidades de engenharia e produção que caracterizam seu know-how diferenciado.

Com mais de 8.400 funcionários na Itália e uma produção que emprega quase 50.000 trabalhadores, FINCANTIERI conseguiu valorizar uma capacidade de produção fracionada em vários estaleiros, tornando-a um ponto de força, conseguindo adquirir o maior portfólio de clientes e de produtos no setor de cruzeiros. Para enfrentar a concorrência e destacar-se a nível global, expandiu seu portfólio de produtos alcançando, nos setores em que atua posições de liderança global.

Com a internacionalização, o Grupo conta atualmente com 20 estaleiros em 4 continentes, mais de 19.000 funcionários, é a principal construtora naval do mundo e conta, entre seus clientes, as maiores operadoras de cruzeiros do mundo, a Marinha do Brasil e a Marinha dos EUA, além de várias Marinhas no exterior, e é parceira de algumas das principais empresas de defesa européias no contexto de programas supranacionais.

A atividade da FINCANTIERI é extremamente diversificada para mercados finais, exposição a áreas geográficas e portfólio de clientes, com receitas geradas principalmente entre a construção de navios de cruzeiro, embarcações militares e unidades offshore. Essa diversificação permite mitigar os efeitos de possíveis flutuações na demanda dos mercados finais atendidos em comparação aos operadores menos diversificados.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Cyberwar

Cyberwar

Última atualização 13 DEZ, 10:50

MAIS LIDAS

Brasil - Itália