COBERTURA ESPECIAL - Prosub - Naval

03 de Dezembro, 2020 - 00:33 ( Brasília )

S-41 Humaitá pronto para ser lançado.

Também o S-42 Tonelero terá o fechamento da estrutura.



Beatriz Freitas Pereira
Correspondente Especial DefesaNet Itaguaí/RJ


 

“Um projeto (PROSUB) que com certeza levará a Marinha do Brasil a outro nível, tanto em nossa região continental como a nível mundial.” 

 

Foi necessário criar uma estrutura que permitisse efetuar a construção e obter a capacitação necessária para nós, brasileiros, continuarmos em nosso projeto a fim de atingir o nosso objetivo principal, o submarino nuclear brasileiro. Com isso foi criada a Itaguaí Construções Navais (ICN).

Esse arrasto tecnológico que é propiciado com a formação de uma empresa com esse porte, não só em número de funcionários, mas na capacitação necessária desses funcionários, faz com que a empresa precise de uma nacionalização de nossos equipamentos, de pessoal e transferência de tecnologia.” São as palavras do Contra-almirante André Martins, gerente de Infraestrutura Industrial. 



 

O submarino S-41 Humaitá será lançado ao mar, no dia 11 de Dezembro de 2020 para dar início aos testes. O S-BR2 ou S41 é um submarino convencional, tipo Scorpène, movido à Diesel e eletricidade. Pode chegar a 400 m de profundidade e tem 80 dias de autonomia. 
 
O submarino S-40 Riachuelo deverá ser incorporado ao meio operativo da frota naval brasileira em 2021 (previsão abril). No mesmo ano, anterior a entrega do S-BR1, a Base Naval concluirá a obra do Estaleiro de Manutenção.
 
Os submarinos (S-BR/convencionais) possuem cerca de 71.6 m de extensão e 1870 toneladas. O diferencial é possuir paiol de mantimentos, tanques de OC e acomodações, com capacidade para 35 tripulantes. 
 
Fases de construção de submarinos convencionais: 
 
 1-  O início da construção é na UFEM (Unidade de fabricação de Estruturas Metálicas) e moduloa transportados para o estaleiro;

2 - Estaleiro de construção (seções unidas, cascos e corpo do submarino finalizados, outros itens que não entram com o casco aberto são embarcados no navio);

3 - No Estaleiro de construção é levado ao mar através de um elevador de navios (ship-lift), que lança o submarino no mar.

4. A partir daí, iniciasse os testes.

5. Com o passar dos testes, deslocasse para a base de submarinos e passa a ser apoiado por ela, onde permanecerá até o fim dos testes.

6. Após a entrega ao meio operativo para poder operar como um submarino de guerra.



A partir daí, iniciam os testes. 

 
Grandes etapas de testes:
 

1 - Imersão estática:
2 - Imersão dinâmica, e,
3 - Imersão em grande profundidade.

 

Outras Informações:

• A UFEM possui 96 mil m² em área total. 57 mil m² em área construida e 45 edificações.

• A NUCLEP produz todos os segmentos do casco, que foram entregues em tempo hábil para os submarinos até o momento. No SN-BR a NUCLEP produzirá também o reator do LABGENE e em 2021 iniciará a qualificação do Submarino Nuclear.




Transferência do S-BR2 S-41 Humaitá das instalações da NUCLEP para o estaleiro ICN. Foto NUCLEP

•  Em comprimento, o tipo S-BR possui 5 metros a mais que o tipo Scorpène.

• A autoridade de projeto dos submarinos convencionais é da empresa francesa Naval Group. Diferente do SN-BR, que a autoridade do projeto é da Marinha do Brasil e todos os envolvidos no desenvolvimento desse submarino.

Previsões de lançamento ao mar dos submarinos:

 

- SBR-1 (S. Riachuelo) Dezembro de 2018;
- SBR-2 (S. Humaitá) Dezembro de 2020;
- SBR-3 (S. Tonelero) Dezembro de 2021, e,
- SBR-4 (S. Angostura) Dezembro de 2022.

 

Previsões Riachuelo

• Previsão de imersão em grande profundidade do Riachuelo é em dezembro de 2020;

• Lançamento de armas em abril de 2021 (etapa que deve ser cumprida para o navio estar apto a operar;

• Entrega ao meio operativo meados de 2021.

Previsões Humaitá

• Cerimônia de Integração final do Humaitá (seções unidas) - outubro de 2019;

• Lançamento ao mar – dezembro de 2020;

• Entrega para o meio operativo - março 2022.

Previsões Tonelero

• Cerimônia de Integração final do Humaitá (seções unidas) - dezembro de 2020;

• Lançamento ao mar – dezembro de 2021.

Previsão Angostura

• Cerimônia de Integração final do Humaitá (seções unidas) - dezembro de 2021

O submarino agrega 1 milhão de componentes. A complexidade tecnológica dele é enorme, logo, apesar de ser um grau muito grande de dificuldade, dá a oportunidade de capacitação aos brasileiros.

Hoje, o projeto prevê o submarino convencional com propulsão nuclear com um comprimento de 108m, diâmetro de 10m e uma tripulação de 88 militares.
Está previsto para os submarinos convencionais um torpedo Francês. Está dentro do Prosub e as primeiras unidades estão a caminho.

Diferença entre nuclear e propulsão nuclear

• É importante tornar claro que no Brasil se usa a energia nuclear apenas para fins pacíficos. O Brasil é participante do tratado de não proliferação de armas nucleares, tudo isso faz com que o SN-BR seja de grande importância ressaltar que o Brasil não está produzindo armamento nuclear. Está, sim, produzindo um submarino convencional com propulsão nuclear.

Previsões SN-BR

• Concepção foi encerrado em 2013 / 2014;

• Projeto base em meados de 2017;

• A fase entre o projeto base e o detalhamento de todos os equipamentos que serão incluídos, a negociação contratual com todas as empresas que forneceram equipamentos, produziram itens será feito em 2021/2022;

• Logo em seguida a construção;

• Previsão do SN-BR pronto é 2033;

• Autoridade do projeto é a Marinha do Brasil;

• Terá o apoio da França em uma determinada parte do submarino, mas não serão os atores principais;

• No auge do projeto terá cerca de 600 projetistas;

• No submarino com um todo terá a parte não nuclear e a que produz energia nuclear, o que fará a propulsão;

• A Marinha divide o projeto em dois: o PROSUB (encarregado da arte não nuclear) e o Programa Nuclear da Marinha (produzirá o Reator). A integração dos dois programas será coordenado pela COGESN - Coordenadoria-Geral do Programa de Desenvolvimento de Submarino com Propulsão Nuclear;

 

• Cascos do submarino será totalmente novo, ainda mais devido a propulsão;

• Data de prontificação: 2033. Início do projeto 2012 e o início da construção no final de 2022.

Comparação da produção de submarinos brasileiros com outros países:

• Americano: 10 a 15 anos

• Inglês: 18 anos

• Russo: 8 a 19 anos

• Francês: 22 anos
 

Hoje a Marinha do Brasil já possui capacidade para projetar um submarino.
Importante destacar a nacionalização dos equipamentos produzidos.

Custo de produção para os quatro submarinos convencionais: 100 milhões de euros.

Custo de produção para submarino com propulsão nuclear: cerca de 100 milhões de euros.

A Marinha do Brasil busca atender as necessidades brasileiras em cada detalhe do submarino.

 

 





O Shiplift pronto para receber o S-41 para ser lançado ao Mar em 11 Dezembro 2020.

 

Nota DefesaNet

Clique nos banners abaixo e tenha toda a história da evolução do programa do PROSUB.

Matérias relacionadas

Marinha aprova as Bases do Projeto Preliminar do Submarino Convencional com Propulsão Nuclear Link


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Vant

Vant

Última atualização 27 OUT, 16:16

MAIS LIDAS

Prosub