COBERTURA ESPECIAL - Pacífico - Geopolítica

11 de Fevereiro, 2022 - 10:10 ( Brasília )

EUA se reúne com aliados da Ásia-Pacífico para estreitar vínculos contra a China


Os chefes da diplomacia dos Estados Unidos, Austrália, Japão e Índia iniciaram uma série de reuniões nesta sexta-feira (11) para aprofundar os laços de sua aliança Quad, criada para contra-atacar a crescente influência da China na região.

O primeiro-ministro australiano Scott Morrison iniciou o encontro destacando a importância da cooperação entre democracias e lançando uma alusão velada à sua relação problemática com Pequim.

"Vivemos em um mundo muito frágil, fragmentado e disputado", disse aos diplomatas na Austrália. "Nos levantamos contra aqueles que buscam nos coagir", acrescentou em alusão à China.

Sem mencionar diretamente o gigante asiático, Morrison disse que lhe reconforta saber que seus três sócios compreendem "a tensão e a pressão às quais a Austrália está submetida".

O secretário de Estado americano Antony Blinken disse que embora a ameaça russa sobre a Ucrânia mantenha os Estados Unidos ocupados agora, a questão a longo prazo para Washington é o crescente poder de Pequim, que desafia a "ordem tradicional".

"Na minha cabeça, há poucas dúvidas de que a ambição da China com o tempo é ser a potência líder a nível militar, econômico, diplomático e político não só na região, mas no mundo", afirmou ao jornal The Australian antes das reuniões, que vão durar dois dias.

A aliança Quad foi criada em 2007, mas ganhou verdadeira importância uma década depois, quando a China projetou seu poder militar no mar da China Meridional e protagonizou confrontos fronteiriços violentos com a Índia.

- Covid, 5G, clima -

"Juntos, formamos uma rede vital de democracias liberais que se comprometem a cooperar concretamente e para que todos os países do Indo-Pacífico, grandes e pequenos, possam tomar suas próprias decisões estratégicas, sem coerção", declarou nesta sexta-feira a ministra australiana das Relações Exteriores, Marisa Payne.

Após manobras navais conjuntas de 2020 no Golfo de Bengala, o encontro em Melbourne busca aprofundar a cooperação em campos como o combate à covid-19 e a mudança climática. Também busca coordenação em questões críticas da tecnologia de informação, incluindo a implantação das redes 5G.

O chefe da diplomacia do Japão, Yoshimasa Hayashi, explicou em janeiro ao Parlamento que o Quad permitia estabelecer "uma ordem livre e aberta fundada sobre o Estado de Direito" na região Ásia-Pacífico.

A pandemia permitiu ao grupo assumir uma missão mais ampla do que a de contra-atacar a influência chinesa.

Os quatro países anunciaram a distribuição de 1,3 bilhão de vacinas, das quais 500 milhões já foram entregues, segundo Payne.

Para os Estados Unidos, este encontro em Melbourne é uma oportunidade para reafirmar sua decisão de fazer da Ásia o centro de seu política externa e de defesa.

Embora a Ucrânia esteja "no centro das atenções" agora em Washington, Blinken destacou em sua chegada à cidade australiana que "o mundo é um lugar grande".

"Nossos interesses são mundiais e sabem muito bem que priorizamos as regiões Ásia-Pacífico e Indo-Pacífico", acrescentou.


VEJA MAIS