COBERTURA ESPECIAL - Guerra Hibrida Brasil - Pensamento

31 de Julho, 2021 - 23:00 ( Brasília )

Comentário Gélio Fregapani - Quem quer uma intervenção militar?

Matéria do Coronel (Ref) Gelio Fregapani para reflexão.

 

Comentário Geopolítico

Quem quer uma intervenção militar?


Certamente muita gente quer, desde a Direita mais radical  até a Esquerda ainda mais radical, cada uma com seus motivos, a Direita por entender que o País só pode tomar jeito se as leis forem mais severas e rigorosamente cumpridas, enquanto a Esquerda, sentindo que não teria a menor chance em eleições limpas estima que, se conseguir provocar uma intervenção, essa será repudiada pela população atraindo apoio para sua causa “democrática”, mas quais seriam as consequências ?
   
Um fato portador do futuro - O entusiasmo das multidões a qualquer presença do Presidente evidencia que as massas populares não se levantariam em defesa do STF, nem da parcela do parlamento que, composta mais por corruptos do que por esquerdistas, se empenha ferozmente na busca de um pretexto para um pedido de impeachment.
   
Uma observação sobre intervenção a ser considerada – A intervenção ideal para a oposição sería se fosse liderada pelo próprio Presidente, a revelia das Forças Armadas, as quais pensam eles, ficariam divididas como também as forças reativas da população. Mesmo que os militares permanecessem unidos ao Presidente, a oposição ainda poderia acusá-los de golpe antidemocrático e isto seria mais vantajoso para a oposição do que perder a maioria de sua representação  legitimamente pelo voto popular.

A oposição entra em desespero  enquanto ela se esmera em criar casos para prejudicar o Governo e a impedi-lo de corrigir as mazelas herdadas e se esquece de que os estímulos exagerados costumam ter efeitos paradoxais e que a afastarão cada vez mais das massas populares, tornando-lhe impossível uma vitória nas urnas a não ser com gigantescas fraudações.
   
Considerando que a simples suspeita de fraudes em preparação já justificaria medidas que ampliassem a transparência, a ferocidade com que o STF e os parlamentares corruptos e ou esquerdistas radicais se empenhem em evitar qualquer possibilidade de auditoria ou de futura checagem de votos.
   
Cenários possíveis - Pode acontecer que o Presidente acabe por reagir fortemente as medidas de provocação do STF e seus asseclas e a reação pode variar de intensidade desde simplesmente não cumprir com as decisões desses Órgãos e em até fechá-los e prender seus membros mais corruptos e ameaçadores, fazendo-os julgar segundo a Lei de Segurança Nacional. Legal pode não ser, mas será legitima perante a opinião  pública e as Forças Armadas que se limitarão a cumprir ordens, neste caso com satisfação.
   
Pode acontecer ainda que as forças mais radicais da Direita tomem a si a reação aos desmandos da oposição com greves, paralizações e outros movimentos como por exemplo os de caminhoneiros, que sabem da força que têm e que até agora só foram contidos pelo desejo do Presidente em manter a legalidade, mas jamais um governo usaria a força legal de repressão para enfrentar um movimento que o apoia em favor de um grupo sem legitimidade, nocivo ao País e que o demoniza sem razão. Neste cenário pode haver conflitos armados?

Sim, mas certamente não serão significativos devido a força esmagadora dos conservadores e o fato que, se idealistas, mesmo errados, são capazes de se sacrificar mas os corruptos, que são a  maioria da oposição, pularão fora ao primeiro sinal de perigo. Naturalmente é provável que o Governo use das Forças Armadas no sentido de pacificar os conflitos, mas é fácil prever onde estarão os corações e as mentes das forças que receberem essas missões. Esperar inerte uma derrota eleitoral causada por evidente fraude é algo fora de cogitação.
   
Certamente existem, além de cenários intermediários, muitos outros que não caberiam neste pequeno comentário, mas vale lembrar aos elementos mais nocivos acoitados no STF e no Congresso que em caso de conflitos mais amplos, podem estar em perigo suas vidas além de seus cargos.

 

Que o Criador, o qual nos fez todos irmãos, nos propicie a neutralização dos elementos nocivos à nossa Pátria sem derramamento de sangue  .
 

Gelio Fregapani 

 

VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


TOA

TOA

Última atualização 22 SET, 09:50

MAIS LIDAS

Guerra Hibrida Brasil