18 de Novembro, 2020 - 15:15 ( Brasília )

Geopolítica

Israel faz ataque amplo na Síria e sinaliza postura agressiva pós-Trump


Israel lançou ataques aéreos contra o que classificou como uma gama ampla de alvos sírios e iranianos na Síria nesta quarta-feira, enviando a mensagem de que prosseguirá com sua diretriz de ataques apesar da derrota eleitoral do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Israel disse que está retaliando o que descreveu como uma operação patrocinada pelo Irã por meio da qual sírios plantaram explosivos perto de uma base militar israelense nas Colinas de Golã, que estão sob ocupação.

O Estado judeu tem atacado com frequência o que diz serem alvos ligados ao Irã na Síria em anos recentes e intensificou tais ataques ao longo do último ano, o que fontes de inteligência ocidentais descrevem como uma guerra de bastidores para diminuir a influência iraniana.

Mas os ataques desta quarta-feira atingiram uma variedade muito maior de alvos do que o normal, e os militares israelenses foram mais explícitos sobre os detalhes do que no passado, o que leva a crer em uma intenção clara de dar um recado público.

Trump, que fracassou na tentativa de se reeleger em 3 de novembro, tem sido um grande defensor da intervenção militar israelense contra as forças iranianas na Síria. O presidente eleito norte-americano, Joe Biden, disse que tentará ressuscitar um acordo nuclear com Teerã que Trump abandonou.

A agência de notícias estatal síria relatou que três efetivos militares foram mortos e que um foi ferido pela “agressão israelense”.

Israel e Barein acertam abertura de embaixadas em busca de cooperação maior



Israel e Barein abrirão embaixadas em breve, disseram os ministros das Relações Exteriores de ambos os países nesta quarta-feira, uma vez que as duas nações buscam ampliar uma cooperação que os Estados Unidos fomentam como uma aliança anti-Irã.

Na primeira visita oficial de autoridades do Barein a Israel, o chanceler do reino do Golfo Pérsico, Abdullatif Al-Zayani, disse que sua contraparte israelense, Gabi Asshkenazi, visitará Manama em dezembro.

“Fiquei satisfeito de transmitir ao ministro Ashkenazi a solicitação formal do reino do Barein para abrir uma embaixada em Israel e de informá-lo de que a solicitação recíproca de Israel para uma embaixada em Manama foi aprovada. Este é um processo que espero que possa seguir adiante relativamente rápido”, disse Al-Zayani.

Askenazi, falando na chancelaria de Israel ao lado de Al-Zayani, disse que torce para que as cerimônias de inauguração aconteçam até o final de 2020.

Autoridades de Israel e do Barein assinaram vários memorandos de entendimento em outubro em Manama cobrindo comércio, serviços aéreos, telecomunicações, finanças, serviços bancários e agricultura.

Até o final deste ano, os cidadãos do Barein poderão pedir vistos para visitar Israel pela internet, disse Ashkenazi, e voos diretos começarão em breve.




ÚLTIMAS

Geopolítica

MAIS LIDAS