COBERTURA ESPECIAL - Brasil - Suécia - Geopolítica

24 de Dezembro, 2021 - 17:00 ( Brasília )

Gen Micael Bydén - A Suécia aumentou sua preparação militar


Nota DefesaNet

O gen Micael Bydén foi nomeado Comandante-em-Chefe da Defesa Sueca, em 2015, em Abril de 2021, teve seu mandanto prorrogado até 2024. Um fato raro na administração sueca.

As relações Brasil-Suécia passam pelo Gen Bydén.

O Editor

Dagens Nyheter
Estocolmo
24 Dezembro 2021

 

O comandante-em-chefe da Defesa da Suécia General Micael Bydén avalia que a crise entre a Rússia e a Ucrânia é grave. Na situação tensa, a Suécia aumentou sua preparação militar.

- Não sentamos e esperamos. Nos ajustes de contingência que fazemos, obviamente incluímos a ilha de Gotland, disse Gen Bydén em uma entrevista ao DN.

Micael Bydén voltou na segunda-feira de reuniões com a liderança da defesa dos EUA e teve dias agitados.

De Washington vêm avisos de que a Rússia está preparando ataques contra a Ucrânia, que por sua vez afirma que há agora 122.000 fortes forças russas em suas fronteiras. De Moscou vem o ultimato de que a OTAN deve se retirar da Europa Oriental e não cooperar com países como a Suécia e a Finlândia.

No quartel-general sueco, as reuniões se revezam, mas o Comandante-em-Chefe (ÖB) ainda dá tempo para falar com o DN:

- Agora todos os olhares da Europa e dos EUA estão voltados para a Ucrânia e a Rússia, e o que está acontecendo por lá está tremendo. Minha responsabilidade e das Forças Armadas está aqui em casa: defender e proteger o país, diz Micael Bydén, que continua:

- No período que antecede os feriados de Natal e Ano Novo - com o que está acontecendo agora na Ucrânia e nos arredores com a ação russa, a retórica russa de que alguém pode se sentir pressionado e forçado a fazer coisas - então tomamos mais medidas de emergência.

Temos um nível mais alto de preparação hoje?

- Sim. Adaptamos a preparação à situação atual. É uma situação séria e preocupante. É claro que estamos fazendo mais e estamos preparados para agir mais rápido do que o normal. Estamos preparados para lidar com vários desenvolvimentos, principalmente em nossa área imediata, responde o ÖB.

Especialistas em defesa com quem o DN falou, dizem que a Suécia pode ser exposta a ameaças russas, por exemplo, contra Gotland?

- Gotland sempre estará onde estiver. É extremamente importante para nós ter controle sobre todo o nosso território - e não menos importante Gotland. Na verdade, com decisões políticas e nossas próprias iniciativas, agora nos estabelecemos em Gotland. Fomos lá um ano e meio antes do previsto para a designação no local, responde Micael Bydén.

Ele se refere à decisão de defesa do Riksdag em 2015 de remilitarizar Gotland. Diante de uma crescente ameaça russa, Bydén ordenou um surpreendente avanço militar de unidades para a ilha. Em agosto do ano passado, tropas extras foram enviadas para Gotland quando a Rússia praticava no leste. Agora pode ser relevante novamente:

- Em uma situação tensa na Ucrânia e na Europa, é claro que os ajustes de preparação que fazemos incluem Gotland e o Mar Báltico. Devemos estar preparados para agir em várias direções, diz Comandante em Chefe e enumera uma série de medidas.

Isso se aplica à preparação intensificada das equipes, pessoal que é chamado rapidamente, listas de alarmes, verificação de que as unidades colocadas em espera e medidas administrativas. O acervo de inteligência é fortalecido, assim como o monitoramento do mar e do espaço aéreo, que pode ser ampliado. A preparação da Força Aérea para incidentes está em andamento e pode ser fortalecida.

Na noite da Sexta-feira Santa, em 2013, bombardeiros russos realizaram ataques simulados com armas nucleares contra alvos suecos. Os aviões russos sobrevoaram o lago Gotska - mas nenhum avião Gripen sueco decolou, permaneceram no solo.

Estamos melhor preparados neste fim de semana?

- A resposta é sim, todas as categorias. Somos Forças Armadas diferentes de 2013. Temos outras condições e devemos, e devemos estar, implementados quando algo acontecer. Já o demonstramos várias vezes, é uma grande diferença.

Existe uma ameaça para Gotland, Comandante-em-Chefe estará pronto para agir?

- Absolutamente. Somos nós. Cuidamos da nossa parte, para não escalar nada, mas sim nos refrescar e mostrar que estamos na ponta dos pés, responde o comandante-em-chefe.




O novo Regimento Gotland teve o processo de reconstrução de sua capacidade blindada iniciado, após dois anos estagnado. Em 2022 a conscrição será para completar as unidades blindadas e em 2025, a Companhia de Carros de Combate Lärbro terá  o efetivo completado.


 



A Suécia incorporou o sistema de defesa aérea americano Patriot. 


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


US RU OTAN

US RU OTAN

Última atualização 19 MAI, 11:11

MAIS LIDAS

Brasil - Suécia