03 de Abril, 2014 - 23:27 ( Brasília )

Tecnologia

BRADAR Consolida Atuação na Área de Sensoriamento Remoto




A BRADAR, empresa controlada pela Embraer Defesa & Segurança, que atua na área de radares para sensoriamento remoto e vigilância aérea e terrestre, ampliou sua atuação no segmento de monitoramento e mapeamento com a tecnologia InSAR, renovando e fechando novos contratos com importantes empresas e institutos. 

A tecnologia InSAR consiste em um sistema que gera mapas de alta precisão altimétrica e planimétrica por meio de radares aeroembarcados das bandas X e P. As ondas da banda X são refletidas e espalhadas pelas copas das árvores, enquanto as da banda P permitem o mapeamento do solo sob a vegetação e condições climática críticas (dia, noite, chuva e nuvens).

Recentemente, a companhia renovou com a Santo Antonio Energia, concessionária responsável pela construção e operação da Usina Hidrelétrica Santo Antônio, localizada no rio Madeira, em Porto Velho (RO), e pela comercialização da energia a ser gerada. Depois de um ano realizando controle mensal de cerca de 2,8 mil km² a fim de identificar regiões que sofreram alterações na vegetação como desmatamentos, clareiras, corte seletivo de árvores e novas edificações, entre outros, a Santo Antônio decidiu dar continuidade ao projeto, que foi o primeiro realizado no Brasil com um radar aerotransportado. Usualmente, a análise de terreno é feita por fiscalização em campo. O trabalho realizado pela Bradar auxilia a companhia na prevenção e controle de áreas sujeitas a erosão.

Outro importante contrato firmado pela BRADAR foi com a CPRM (Serviço Geológico do Brasil). A organização vai fornecer insumos (modelos de terreno e superfície) destinados ao projeto de mapeamento de 74 municípios brasileiros considerados de alto risco. Essas áreas são suscetíveis a deslizamentos e inundações, baseado na metodologia definida pelo IPT/SP (Instituto de Pesquisas Tecnológicas), que utiliza, entre outros elementos, o Modelo Digital de Terreno, Modelo Digital de Superfície, e Rede de Drenagem extraídos de imagens radar interferométricas nas bandas X e P.

Os primeiros produtos começaram a ser entregues à CPRM sob a fiscalização feita pelo IBGE ( Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para aferir a precisão técnica exigida, e o cronograma do projeto encontra-se adiantado em relação ao proposto inicialmente. O projeto terá duração de 15 meses e faz parte do Programa de Aceleração (PAC) do Governo Federal.

A BRADAR também é responsável pelo mapeamento de todo o Departamento de Cundinamarca na escala 1:10.000, uma região muito crítica de nuvens e topografia acidentada localizada na Colômbia. O serviço foi finalizado em dezembro de 2013 para o Instituto Geografico Agustin Codazzi. Ao final de um ano de trabalho, a empresa brasileira entregou 318 mapas na escala 1:10.000. Foi a primeira vez que um mapeamento desse porte e grau de detalhamento foi feito naquele país.