COBERTURA ESPECIAL - Tank - Geopolítica

14 de Março, 2015 - 10:00 ( Brasília )

Iraque - Mecânico remonta tanques contra o EI

Mecânico iraquiano remonta tanques da sucata para a luta contra o Estado Islâmico



BAGDÁ - Em um ferro-velho militar no deserto no Sul do Iraque, equipamentos do Exército abandonados estão há anos esperando serem derretidos para virarem barras de aço. Agora, graças ao novo conflito e a uma mecânica antiga mas útil, alguns desses tanques enferrujados ganharam uma chance.

A impressionante ofensiva de junho passado dos jihadistas do Estado Islâmico, que controlam grande parte do Norte e Oeste do Iraque, deixou o Exército sem saber o que fazer. Além disso muitos de seus equipamentos, fornecido pelos EUA, acabaram tomados durante o avanço dos combatentes sunitas radicais.

O governo xiita de Bagdá pediu reforços de todo o mundo para ajudá-lo no combate. Mas para o mecânico militar aposentado Madhi al-Sukaini, a resposta estava mais perto de casa.

- O depósito de sucata onde milhares de pedaços de equipamento do Exército são despejados está perto de onde eu moro e eram uma lembrança constante da longa guerra com o Irã - disse Sukaini, referindo-se às relíquias do conflito entre 1980 e 1988.

O pátio de sucata também contém armas, veículos e tanques - alguns deles identificáveis apenas pelos barris na areia - das guerras contra o Kuwait e da invasão de 2003 liderada pelos EUA para derrubar Saddam Hussein.

- Uma vez uma ideia passou pela minha mente. Por que não reparar alguns dos veículos blindados para ajudar na guerra? - disse ele, referindo-se ao Estado Islâmico.

Portanto, o veterano de 65 anos do Exército de Saddam passou a trabalhar com seus filhos para restaurar alguns dos veículos mais antigos e fornecê-los às milícias xiitas que lutam para expulsar o EI da cidade natal do falecido ditador: Tikrit, ao norte de Bagdá.

- A ideia veio depois que ouvi que muitos soldados da Hashid Shaabi foram mortos em batalhas devido à falta de veículos blindados - disse Sukaini, na frente de sua oficina em al-Hartha, a cerca de 10 quilômetros de Basra.

A unidade de combatentes da milícia xiita Hashid Shaabi (Mobilização Popular) participaram da contra-ofensiva contra o EI. Lutando ao lado do Exército, muitos deles iam para a batalha com as armas e os equipamentos que podiam juntar - grande parte deles fornecido pelo xiita Irã.

Seu filho Haitham, de 31 anos, chefe da equipe de reparos, disse que os anos experiência de experiência serviram para, além da restauração, melhores nos do equipamentos.

- Conseguimos transformar um veículo blindado em um veículo de assalto através da instalação de uma metralhadora de 23 mm na parte superior com uma armadura para proteger o artilheiro. Está pronto para ser usado na linha de frente perto de Tikrit - disse Haitham antes de saltar para outro de seus veículos, o BTR-50, um blindado de lagartas de fabricação russa.

Após arrumar seus circuitos, em um pátio empoeirado perto da oficina, Haitham dirige o blindado na areia íngreme para provar que poderia enfrentar terrenos acidentados, jogando um polegar para cima quando, mesmo com dificuldade, ele consegue.

A equipe de reparos então pendura uma bandeira com o nome do reverenciado xiita Imam Hussein, e imprime no metal o nome de "Duldul", o cavalo que o comandante xiita al-Mukhtar montou para vingar a morte de Hussein.

No dia seguinte, o veículo foi enviado para o norte para uma posição perto da cidade de Samarra, onde a brigada xiita Ali al-Akbar, está operando. A equipe está atualmente trabalhando em mais três veículos.

- Eu estou orgulhoso de ver este grande trabalho. Nossos combatentes precisam desesperadamente de tais veículos blindados para ficar a salvo dos atiradores inimigos e ataques com morteiros na batalha contra o EI - disse Ali Hummadi da brigada Ali al-Akbar, que está lutando em Samarra e Tikrit.



Outras coberturas especiais


Doutrina Militar

Doutrina Militar

Última atualização 21 NOV, 16:30

MAIS LIDAS

Tank