COBERTURA ESPECIAL - Riots - Inteligência

27 de Junho, 2014 - 00:27 ( Brasília )

FGV Retira Apoio ao Novo Manual do Guerrilheiro Urbano


 

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) emitiu nota na quarta-feira (25JUN14), repudiando o uso de seu nome no que DefesaNet considerou como o Novo Manual do Guerrilheiro Urbano, publicado no site Protestos.org, com apoio de entidades internacionais.
 
Na página onde está a publicação (www.protestos.org) todas as menções à FGV Direito Rio e ao Centro de Tecnologia e Sociedade da FGV foram retiradas.    
 
Também foi retirado o nome da pesquisadora Joana Varon, vinculada à FGV,  que recusou-se a falar com a imprensa.
 
A nota emitida na página da FGV e assinada pelo presidente Carlos Ivan Simonsen Leal, reproduzida abaixo, diz-se surpreendido com a publicação de matérias na imprensa sobre “manual estimulando o anonimato em atos públicos e descrevendo mecanismos para dificultar o trabalho das autoridades na identificação de transgressores da Lei.”

Porém, não questiona ou nega o próprio Manual.

Porém, não questiona o envolvimento de seu corpo docente e certamente o uso de instalações e equipamentos em atividades que podem conduzir a ator ilegais.
 
Observar que as universidade e centros de estudo superiores têm sido ao longo dos anos os núcleos formadores de guerrilhas e guerrilheiros e base da Guerra Revoliucionária..
 
O formador do grupo guerrilheiro peruano Sendero Luminoso, Abimael Guzmán, foi professor da Universidade San Cristóbal de Huamanga, em Ayacucho. Esta universidade foi a base do início e apoio das ações do Grupo Sendero Luminoso.
 
Na Argentina muitos analistas acreditam que o atual sistema Universitário, moldado por Néstor e Cristina Kirchner, tornou-se um formador de ativistas e provavelmente organizando estruturas ligadas à Guerra Revolucionária.

O principal centro de ensino superior no Brasil, a Universidade de São Paulo (USP), tem alguns centros com a típica atividade de formação e preparação de ativistas como a a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH).

Uma das líderes da FFLCH é a Professora Marilena Chaui.

Na segunda-feira (23JUN14) foram presas duas pessoas em manifestação em São Paulo. Um dos presos é funcionário da USP, e trabalha no Centro de  Saúde Escola – BUTANTÃ.



Fundação Getúlio Vargas

NOTA DE ESCLARECIMENTO E INDIGNAÇÃO

 

A FGV, que completa 70 anos de relevantes serviços em prol do desenvolvimento nacional, foi surpreendida com matéria publicada em jornais e redes sociais, informando a divulgação, por meio de site hospedado no exterior, de manual estimulando o anonimato em atos públicos e descrevendo mecanismos para dificultar o trabalho das autoridades na identificação de transgressores da Lei.

A respeito disto, a FGV vem esclarecer que jamais se portou a favor de qualquer atividade que pudesse trazer distúrbio à ordem ou que fosse contrária aos princípios de legalidade e moralidade que sempre nortearam e norteiam as suas ações.

A FGV, com veemência, repele tais diretrizes, sendo qualquer opinião neste sentido de exclusiva responsabilidade de seus autores, contra os quais serão adotadas as medidas cabíveis e necessárias ante o indevido e não autorizado uso do seu bom nome, não medindo esforços, em respeito aos seus funcionários, professores, colaboradores, alunos, de ontem e de hoje, e ao público em geral, para a preservação da sua imagem e irrepreensível conduta.

Carlos Ivan Simonsen Leal

Presidente



Recomendamos a leitura do artigo:

FGV Atualiza o Manual do Guerrilheiro Urbano de Carlos Marighella Link


O Editor


Outras coberturas especiais


Vant

Vant

Última atualização 22 SET, 16:00

MAIS LIDAS

Riots