COBERTURA ESPECIAL - HO - Aviação

04 de Novembro, 2014 - 10:50 ( Brasília )

F-35C faz o primeiro pouso enganchado em um porta-aviões


Vianney Júnior
Analista de Defesa e Aeroespaço
 Editor-chefe de Avaliação de Aeronaves
@jrvianney


A US Navy fez história com a variante embarcada do Joint Strike Fighter, F-35C Lightning II, ao realizar o primeiro pouso com gancho em um porta-aviões ao largo da costa de San Diego.

O piloto de testes da Marinha comandante Tony Wilson pousou a aeronave de teste CF-03 às 12:18 (horário do Pacífico) a bordo do convés de vôo do USS Nimitz (CVN 68).

O pouso enganchado faz parte inicial dos teste de desenvolvimento realizados no mar para o F-35C - Developmental Testing I (DT-I), que começou a 03 de novembro e está prevista para durar duas semanas.

"Hoje é um marco no desenvolvimento do F-35C", disse Wilson, piloto de testes do esquadrão de avaliação VX-23. o culminar de muitos anos de trabalho duro por uma talentosa equipe de milhares de pessoas. Estou muito animado para ver o mais novo avião da América no convés de vôo de nosso porta-aviões mais veterano, o USS Nimitz ".

O Comandante da Força Aérea Naval, vice-almirante. David H. Buss, estava a bordo Nimitz para testemunhar o acontecimento histórico.

"Que dia histórico para a aviação naval. Com os primeiros pousos enganchados e lançamentos do F-35C Lightning II a bordo de um porta-aviões, começamos a integração da próxima geração de capacidade bélica em nossas unidades aéreas baseadas em porta-aviões", disse Buss. "Este importante marco é mais um indicador da evolução contínua da aviação naval para atender a futuras ameaças e manter-se central para o futuro da Marinha e de nossa Estratégia Nacional de Defesa."

A DT-I é a primeira de três fases de testes no mar previstos para o F-35C. Durante a DT-I, a equipe de teste agendou duas aeronaves de teste F-35C da Naval Air Station Patuxent River, Maryland para executar uma variedade de manobras operacionais, incluindo várias decolagens e aterrissagens com catapulta e gancho. As operações de teste também englobam manutenção geral e testes de ajuste para os equipamentos da aeronave e de apoio, bem como as operações simuladas de manutenção.

Tal como acontece com o teste inicial de qualquer nova aeronave, o objetivo é coletar dados ambientais através de instrumentação adicional para medir a integração do F-35C para operações de convoo, e definir os parâmetros de operação do F-35C, a bordo do porta-aviões.

A equipe de teste vai analisar os dados obtidos durante as operações de teste de vôo, conduzir uma avaliação completa de como o F-35C foi operado no ambiente a bordo, e aconselhar a Marinha para fazer os ajustes necessários para garantir que a caça de quinta geração seja totalmente capaz e pronto para integrar a frota a partir de 2018.

"Nosso equipe de teste fez um trabalho incrível preparando  o F-35C para hoje. Este será o primeiro pouso de milhares que vão acontecer ao longo das próximas décadas", disse o Lt Gen Chris Bogdan, CEO do Programa F-35. "Durante meses, temos trabalhado com a equipe do USS Nimitz, forças aeronavais e nossos parceiros da indústria, Lockheed Martin e Pratt & Whitney, bem como seus fornecedores, para nos preparar e treinar para este evento. Estamos pensando em aprender muito durante este teste de desenvolvimento e vamos usar esse conhecimento para fazer a variante naval do F-35 uma plataforma de armas ainda mais eficaz ".

O F-35C combina furtividade avançada com velocidade de combate e agilidade, excepcional fusão de dados, aviônicos de última geração, guerra eletrônica de ponta, capacidade de operações em rede e alto poder de sobrevivência. Com uma envergadura ampla, trem de pouso reforçado, estruturas robustas e revestimentos duráveis, o F-35C foi projetado para resistir a condições severas de bordo ao entregar uma combinação letal de recursos de combate à frota.

O F-35C irá melhorar a flexibilidade, a projeção de poder e capacidades de ataque das unidades aéreas embarcadas e forças-tarefa conjuntas e complementar as capacidades do F/A-18E/F Super Hornet, que atualmente serve como principal caça multi-role da Marinha.

Em 2025, as unidades aéreas baseadas em porta-aviões da US Navy serão composta de uma mistura de F-35C, F/A-18E/F Super Hornet, EA-18G Growlers, E-2D Hawkeye e helicópteros MH -60R/S.

O pouso bem-sucedido do F-35C representa um passo a frente no desenvolvimento do caça de nova geração da US Navy e reforça os objetivos da parceria da Marinha e da indústria para entregar a aeronave à frota, totalmente capaz e operacional em 2018.



Outras coberturas especiais


Base Industrial Defesa

Base Industrial Defesa

Última atualização 21 SET, 08:35

MAIS LIDAS

HO