COBERTURA ESPECIAL - Guerra Informação e Híbrida - Inteligência

21 de Maio, 2017 - 13:51 ( Brasília )

Inacreditável - Janot baseia-se em declarações da Rádio CBN e JBS para validar audio

Carro do empresário estava sintonizado na CBN, quando dono da JBS chegou e saiu de encontro com presidente

Rádio ouvida por Joesley indica que gravação de conversa com Temer não sofreu edição


Carro do empresário estava sintonizado na CBN, quando dono da JBS chegou e saiu de encontro com presidente

RIO — A rádio CBN afirma, com base em seus registros, que é possível determinar que a gravação da conversa entre o empresário Joesley Batista e o presidente Michel Temer não sofreu edição. Isso porque, de acordo com a rádio, quando o dono da JBS chega ao encontro com o presidente no dia 7 de março, ouvia uma reportagem da emissora e, ao deixar a reunião, a rádio do carro de Joesley continuava sintonizada na CBN. O quadro 'Nos Acréscimos' estava no ar e, naquele dia, começou às 23h08 da noite.

— Com isso, é possível determinar que o tempo de gravação é de 38 minutos, o tempo da conversa entre Joesley chegar e sair da casa do presidente foi de 38 minutos, e esse tempo é a íntegra do áudio divulgado na quinta-feira e que comprova que o material não teve nenhuma edição. Portanto, a gente percebe que não teve edição na gravação que foi divulgada, colocada aí do início ao fim — argumentou o locutor Milton Jung nesta sexta-feira.

Escalado para a defesa de Temer no inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o advogado criminalista Antonio Cláudio Mariz de Oliveira afirmou nesta sexta-feira, em entrevista ao “Estado de S. Paulo”, que o governo tem “informações seguras” de que o áudio foi adulterado.

O advogado Francisco de Assis e Silva, que coordenou a delação dos donos da JBS, Joesley e Wesley Batista, negou ao GLOBO que tenha havido qualquer ediçãona gravação da conversa de Joesley com o presidente Michel Temer. Segundo o advogado, a gravação pode estar mal-feita, por ter sido realizada por um amador, mas não sofreu qualquer modificação.

— Nós entregamos para a Procuradoria-Geral da República o áudio original. Pega desde o momento que ele (Joesley) entra no Palácio do Jaburu ouvindo a CBN até o final da conversa. Reafirmo que o material é 100% integral — afirmou.


 

O ANTAGONISTA

J&F: "Não há chance alguma de ter havido qualquer edição" no áudio

O Antagonista reproduz nota oficial da J&F e grifa o trecho sobre a gravação de Joesley Batista com Michel Temer:

"A J&F considera fundamental ressaltar a importância do mecanismo da colaboração premiada, que está permitindo que o Brasil mude para melhor. Fica cada vez mais claro que não seria possível expor a corrupção no país sem que pessoas que cometeram ilícitos admitissem os fatos e informassem como e com quem agiram, fornecendo indícios e provas.

A colaboração de Joesley Batista e mais seis pessoas é muito diferente de todas que já foram feitas até aqui. Além da utilização de ação controlada com autorização judicial, houve vastos depoimentos, subsidiados por documentos, que esclarecem o modus operandi do cerne do sistema político brasileiro.

Quanto mais sólida e forte uma delação, maiores os graus de exposição e desgaste dos delatores. No caso dos sete executivos, eles assumiram e ainda assumem um enorme risco pessoal, com ameaças à sua vida e à segurança da sua família.

A negativa de denúncia e o perdão judicial são previstos pela legislação em vigor. A possibilidade de premiação excepcional para uma colaboração igualmente excepcional é de grande importância para o êxito do mecanismo da colaboração premiada.

É natural que, nesse momento, em função da densidade das delações, surjam tentativas de desqualificá-las.

Quanto ao áudio envolvendo o presidente Michel Temer, Joesley Batista entregou para a Procuradoria Geral da República a íntegra da gravação e todos os demais documentos que comprovam a veracidade de todo o material delatado.

Não há chance alguma de ter havido qualquer edição do material original, porque ele jamais foi exposto a qualquer tipo de intervenção.


Joesley Batista e outros colaboradores ressaltam a sua segurança com a veracidade de todo o conteúdo que levaram ao conhecimento do Ministério Público. Eles não hesitarão, se necessário, em fornecer os meios para reforçar as provas que entregaram.”

O Antagonista
 
Temer nos acréscimos

O Globo diz que o grampo de Michel Temer não foi editado:

“De acordo com a rádio CBN, quando o dono da JBS chega ao encontro com o presidente no dia 7 de março, ouvia uma reportagem da emissora e, ao deixar a reunião, a rádio do carro de Joesley continuava sintonizada na CBN. O quadro 'Nos Acréscimos' estava no ar e, naquele dia, começou às 23h08 da noite”.

O locutor Milton Jung explicou:

“É possível determinar que o tempo de gravação é de 38 minutos e o tempo da conversa entre Joesley chegar e sair da casa do presidente foi de 38 minutos, e esse tempo é a íntegra do áudio divulgado na quinta-feira e que comprova que o material não teve nenhuma edição”.



Matérias Relacionadas

FSP - Áudio entregue à PGR tem cortes, diz perícia  Link

O Globo - Editorial: A renúncia do presidente (Ataque ao Brasil) Link

Notas Oficiais - MB - EB - FAB - Reunião Palácio Planalto Link



 


VEJA MAIS