COBERTURA ESPECIAL - Guerra Hibrida Brasil - Segurança

09 de Agosto, 2018 - 21:15 ( Brasília )

Policial Juliane teve seus últimos momentos com bebida, pegação e dança

Soldado ficou 5 dias desaparecida após ser pega por bandidos em Paraisópolis

Notificações da Folha de São Paulo

Publicado 9.ago.2018 às 12h23


9.ago.2018 às 12h23


Rogéio Pagnan

Antes de ser capturada e depois morta por criminosos na favela de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, a policial militar Juliane dos Santos Duarte, 27, teve um intenso dia de férias.

O registro policial do crime contra a soldado, ao qual a Folha teve acesso, relata, com base em testemunhas, os últimos momentos da PM antes de seu desaparecimento na madrugada de quinta-feira (2) em Paraisópolis, comunidade com pouco mais de 60 mil habitantes, dominada pela facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).


VEJA MAIS