17 de Dezembro, 2012 - 12:50 ( Brasília )

Geopolítica

BR - RU - Faltou combinar com os Brasileiros

Agenda surpresa tratada na visita da Presidente Dilma e ministro da Defesa Celso Amorim a Moscou traz surpresa ao meio empresarial


Nelson Düring
Editor-Chefe DefesaNet

 

A surpresa da visita da Presidente Dilma Rousseff e o Ministro da Defesa Celso Amorim passou desapercebida da grande imprensa mesmo sendo mencionada no Comunicado Conjunto.

Trata de mais uma reviravolta no SIAAEB - Projeto Sistema Integrado de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro. Este programa ambicioso que deveria ter uma definição ainda em 2011 foi cancelado na prática.

Qual a Razão? As indefinições pois o próprio Exército desconhecia que todos os recursos de defesa antiaérea estão sob controle do COMDABRA (Comando de Defesa Aeroespacial do Brasil). E os grupos de Artilharia antiaérea designados para a proteção de  Bases Aéreas.

No dia 11 de setembro de 2012 o Ministério da Defesa emitiu os  Requisitos Operacionais Conjuntos (ROC) para o Sistema de Míssil Superfície-ar de Média Altura das Forças Armadas. Interessante que a altitude operacional foi estabelecida em 15.000 m. (DEFESA - Portaria Normativa Nº 2.385/MD, Mísseis Superfície-Ar Média Altura).

O Exército Brasileiro desenvolveu o Programa PROTEGER de proteção às infraestruturas críticas nacionais . Programa mais adequado ao emprego de sistema de defesa antiaérea.

O Comunicado Conjunto Brasil-Rússia anunciado dia 14 DEZ 12,  longo e descritivo traz a seguinte menção quando trata de Cooperação em Defesa:


“COOPERAÇÃO EM DEFESA

Os dois Presidentes congratularam-se pela assinatura do Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da Federação da Rússia de Cooperação em Defesa. Nesse contexto, concordaram em aprofundar a cooperação no marco desse acordo, dedicando particular prioridade à área de desenvolvimento tecnológico. Nesse sentido, reiteraram a importância de desenvolver cooperação de longo prazo, com base no princípio da transferência de tecnologia, no estabelecimento de parcerias industriais e em programas de formação de pessoal. Nesse contexto, as Partes destacaram a potencialidade da cooperação no setor de defesa anti-aérea. Missão brasileira do Ministério da Defesa, com participação empresarial, visitará a Rússia muito proximamente, com esse objetivo.”


Em entrevista para o jornal Valor publicada nesta segunda-feira (17DEZ12) há o texto mais enigmático:

“No caso de sistemas antiaéreos de curto e médio alcance, um projeto de US$ 1 bilhão, no momento o Brasil está conversando somente com os russos. Uma missão militar brasileira vai em janeiro a Moscou para começar a discutir com os russos a eventual compra dos equipamentos, incluindo transferência de tecnologia. Na primeira etapa, o negócio pode representar US$ 200 milhões. AVIBRAS, EMBRAER e ODEBREACHT Defesa estarão envolvidas na missão.”


Também a menção da própria presidente na entrevista coletiva com a imprensa brasileira a Presidente mencionou que os russos mostraram interesse no Projeto de Avião de Transporte KC-390.

Jogos Olímpicos de Inverno Sochi

Para a proteção dos Jogos Olímpicos de Sochi a Rússia vai criar uma área especial de proteção.

Os russos criarão na área do Distrito Militar Sul um grupo especial de defesa aérea que incluirá misseis e aviões de curto alcance.

"O grupo de defesa especial vai garantir a segurança em todas as altitudes, incluindo no Mar Negro, incorporará mísseis antiaéreos  de alta e media altura e também de curto alcance. Será muito confiável e completamente seguro", afirmou o comandante da Força Aérea e Defesa Aérea do Distrito Militar Sul, Andrei Yudin, para a Agência Interfax neste fim de semana.

O Ministério da Defesa da Rússia comprou algumas baterias do sistema de mísseis S-300V4, três dos quais serão entregues ao distrito Militar SUL.

Também a Frota do Mar Negro da Rússia deve introduzir os novos sistemas de mísseis M-22 "Hurricane". Eles vão para o Projeto das Fragatas 22350.

A atual  composição do distrito Sul do comando da Força Aérea e de defesa aérea, está mobiliada com os equipamentos:

Mísseis de Média e Grande Altitude S-300PS, S-300PM ",
Média altitude  Buk-M1,e,
E as aeronaves  Su-24, Su-25SM, Su-27SM3 e MiG-29, MiG-31 e Mi-8, Mi-24 e Mi-28.

 

Os sistemas Russos

No dia 31 de Agosto passado, uma delegação da ROSOBORONEXPORT e da ALMAZ-ANTEY, apresentou a autoridades militares brasileiras sua proposta. Baseada no sistema de proteção antiaérea móvel TOR M2E.

A proposta russa deve ser alterada e provavelmente oferecer um sistema misto de mísseis de defesa antiaérea táticos  TOR M2E e  estratégicos S-300 ou S-400 Favorit. O Exército e a FAB já empregam o MANPADS IGLA-S de fabricação russa.

Pelo visto o Ministro Amorim e a Presidente Dilma Rousseff combinaram com os Russos, porém faltou combinar com os brasileiros.